quinta-feira, 23

de

setembro

de

2021

ACESSE NO 

Um ano após registrar primeiros casos, região vive pior momento da pandemia

Últimas Notícias

- Ads -

Na semana passada, o Planalto Norte registrou 18 novas mortes, sete delas somente em Canoinhas

 

 

Há um ano, em 27 de março de 2020, o Planalto Norte registrava os primeiros casos de covid-19. Dois jovens moradores de Papanduva retornaram do México – onde passaram um período de férias em Cancún – no dia 20 de março de 2020, quando Santa Catarina já havia decretado isolamento social. Com os amigos de 27 e 28 anos viajava um terceiro amigo, de 27 anos. Este terceiro rapaz testou negativo para o coronavírus.

 

 

 

Acompanhe os números do coronavírus na região de Canoinhas

 

 

 

Ao chegarem em Papanduva, os dois rapazes foram isolados em uma casa que fica na propriedade da família de um deles. O resultado dos exames que fizeram em um laboratório particular saiu no dia 27, uma sexta-feira, e eles permaneceram em isolamento. Os três foram assintomáticos, ou seja, não apresentaram sintomas. “Eles não tiveram contato nem com os pais deles”, frisou o prefeito de Papanduva, Luis Henrique Saliba à época.

 

 

 

No dia 9 de abril, o  JMais publicou uma entrevista com Lucas Salvi, um dos dois moradores de Papanduva que contraiu o vírus na viagem para o México, contando como enfrentou a doença.

 

Poucos dias depois, no dia 3 de abril, a Secretaria de Saúde confirmava o primeiro caso de coronavírus em Mafra. O paciente era um ou uma jovem de 25 anos que não teve gênero revelado, para preservar sua identidade.

 

 

Três Barras e Canoinhas começaram a registrar os primeiros casos da doença quase um mês depois. No dia 28 de abril de 2020, coleta enviada ao Laboratório Central de Florianópolis (Lacen) de um paciente de 29 anos de Três Barras testou positivo para covid-19. Tratava-se de um funcionário de uma empresa terceirizada que prestava serviços à WestRock na obra de expansão da empresa, que no dia anterior havia testado negativo.

 

 

 

Em menos de uma semana, no dia 5 de maio,  Canoinhas também registrava os três primeiros casos de coronavírus, confirmados por exames feitos no Laboratório Central de Florianópolis (Lacen). Os três primeiros casos à testaram positivo para covid-19 tinham viajado recentemente para os Estados do  Recife, Bahia e Alagoas. Na época, a Central de Referência registrava apenas seis atendimentos diários e 62 pessoas eram monitoradas.

 

 

 

No dia 4 de maio, Porto União também confirmou os quatro primeiros casos. Os pacientes – que não tiveram os nomes divulgados – eram da mesma família, três deles assintomáticos.

 

 

 

O último município da região a confirmar casos de coronavírus foi Major Vieira, no dia 26 de julho. Apesar da alta contaminação em Santa Catarina, Major Vieira era um dos seis municípios que não haviam registrado casos da doença. O primeiro paciente a testar positivo não possuía histórico de outras doenças. Ele foi  internado no Hospital Santa Cruz de Canoinhas e seu quadro era estável.

 

 

 

 

AS PRIMEIRAS MORTES

Na manhã do dia 12 de maio do ano passado, uma terça-feira, Papanduva, o primeiro município a registrar casos na região, anunciava também a primeira morte por causa da covid-19.  O anúncio foi feito prefeito Luiz Henrique Saliba, pela secretária da Saúde Cátia Thorstenberg e pelo médico Elói Quege, durante entrevista a Rádio Super FM. A vítima, um homem de 38 anos, morador do bairro Santa Mônica, tinha histórico de patologia pulmonar e faleceu no domingo, 10 de maio, no hospital São Vicente de Paulo, em Mafra.

 

 

 

Canoinhas, Mafra e Três Barras confirmaram as primeiras mortes somente em julho de 2020. A primeira morte foi anunciada pelo prefeito Beto Passos (PSD) na manhã do dia 2 de julho, durante uma coletiva de imprensa online. O paciente era um homem de 56 anos, morador do Campo d’Água Verde, que tinha passado por um procedimento de saúde na cidade de Curitiba (PR).

 

 

 

O primeiro óbito de um morador de Mafra por covid-19 foi confirmado pela Secretaria de Saúde em 14 de julho de 2020. O paciente de 62 anos, segundo a secretaria, foi internado na cidade de Joinville, onde realizou a coleta para o exame de covid-19 no dia 9 de julho. Ele não passou pelo sistema de saúde do município de Mafra. Este paciente foi transferido de Joinville para Canoinhas e faleceu dois dias depois.

 

 

 

 

Um homem de 74 anos que apresentava comorbidades, ou seja, outras doenças, foi o primeiro tresbarrense a morrer por covid-19. A morte aconteceu no dia 26 de julho. O paciente estava internado na unidade de terapia intensiva (UTI) do HSCC desde o dia 18 de julho. Há seis meses ele havia passado por procedimentos de cateterismo e angioplastia.

 

 

 

As últimas cidades do Planalto Norte a registrarem mortes foram Bela Vista do Toldo e Irineópolis. Bela Vista do Toldo confirmou no dia 23 de novembro de 2020, a primeira e única morte até agora de paciente acometido pelo vírus. A vítima fatal era uma mulher de 26 anos, moradora da localidade de Rio dos Poços, interior de Bela Vista do Toldo. Ela era casada, portadora de doença crônica, com familiares residentes em Jaraguá do Sul.

 

 

 

O primeiro paciente a falecer por causa da doença respiratória em Irineópolis foi um homem de 70 anos, no dia 10 de janeiro deste ano. Ele tinha registros de comorbidades e faleceu um dia depois de ser internado no Hospital Municipal Bom Jesus.

 

 

 

 

 

DEPOIS DE UM ANO

Hoje, não só o Planalto Norte, mas Santa Catarina e o Brasil vivem o pior momento da pandemia até aqui. Santa Catarina ultrapassou a marca de 10 mil mortos, chegando a registrar 210 óbitos somente em um dia, nesta sexta-feira, 26. Entre os pacientes infectados no Planalto Norte, 193 deles morreram em decorrência do vírus. Nesta semana, foram confirmadas 21 novas mortes por covid-19 na região, sete delas somente em Canoinhas.

 

 

 

 

O Planalto Norte compreende as cidades de Bela Vista do Toldo, Canoinhas, Irineópolis, Itaiópolis, Mafra, Major Vieira, Monte Castelo, Papanduva, Porto União e Três Barras, que somadas tem uma população de 241.228 habitantes. Destes, 12.658 já foram infectados pelo novo coronavírus, o que representa um total de 4,99% da população.

 

 

 

 

Dos 12.658 casos positivados, 11.487 já estão recuperados e outros 978 são casos ativos e seguem em tratamento.

 

 

 

 

Nesta semana, Canoinhas e Três Barras registraram as mortes dos pacientes mais jovens acometidos pelo coronavírus, um canoinhense de 28 anos e o pároco da cidade de Três Barras, de 34 anos, o que demonstra que a pandemia vem rejuvenescendo, atingindo pacientes cada vez mais jovens. No entanto, o paciente mais jovem que veio à óbito na região desde o início da pandemia foi um adolescente de 12 anos em Major Vieira em dezembro do ano passado.

 

 

 

Em Canoinhas faleceram 36 homens e 17 mulheres até esta sexta-feira, 27. Entre os falecidos, 74,07% tinham mais de 60 anos. Em Três Barras, morreram 17 homens e 15 mulheres até esta sexta-feira. 65,63% deles tinham mais de 60 anos.