Como doar para as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul? Veja os canais oficiais

quinta-feira, 13

de

junho

de

2024

ACESSE NO 

Como doar para as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul? Veja os canais oficiais

Prefeita se pronuncia sobre apreensão de ônibus escolares no interior de Canoinhas

Últimas Notícias

Segundo ela, questão é isolada

- Ads -

TRANSLURDES

Em vídeo publicado em suas redes sociais, a prefeita de Canoinhas, Juliana Maciel Hoppe (PL), se pronunciou sobre o caso de apreensão dos ônibus de empresa terceirizada que realizam transporte escolar na localidade de Felipe Schmidt, que fica no interior do município.

De acordo com a prefeita, o caso de superlotação, registrado em vídeos que circularam nas redes, é isolado. A situação teria sido desencadeada por conta de um problema mecânico em outro ônibus da empresa Translourdes, sediada em Araucária (PR). O motorista de outro ônibus teria passado pelo local onde o primeiro veículo quebrou e concedeu lugar às crianças no ônibus que dirigia, para que voltassem às suas casas. “Eu fiquei muito indignada em ver aquele vídeo, nós pagamos à empresa e não é pouco, então é necessário que todas os alunos tenham um assento adequado”, afirmou a prefeita.

Juliana também alegou ter ficado “assustada” com os registros em vídeo do caso de superlotação e fez questão de destacar que “esse não é o padrão de serviço do município de Canoinhas”.

A prefeita ainda afirmou no vídeo que o Executivo municipal recebeu reclamações sobre problemas mecânicos nos ônibus daquela linha e que a empresa foi notificada por conta destas questões para prestar informações. A Prefeitura, de acordo com Juliana, pediu substituição de todos os ônibus que fazem a linha escolar da localidade de Felipe Schmidt.

“Nós prezamos pela segurança de todos os alunos e por isso pedimos à Polícia Militar realizar vistoria em todos os ônibus das empresas terceirizadas de transporte escolar”, completou Juliana.

Na verdade, pais de alunos chamaram a Polícia Militar para inspecionar os ônibus em uma reunião tensa realizada na tarde desta quarta-feira, 29.






MENSAGEIRO

No primeiro dia de depoimentos da fase Três Barras da Mensageiro foram ouvidos policiais que trabalharam na investigação. Foram ouvidas quatro testemunhas, todas ligadas à Polícia e ao Gaeco. Eles apenas confirmaram o que já consta dos autos das ações das quais eles participaram. Uma servidora da prefeitura de Três Barras também foi ouvida.

Nesta sexta-feira, dia 1º, vão depor ex-secretários municipais como Francisco Altamir Farias e João Pedro Simão. O vereador Ernani Wogeinaki Jr, filho de um dos réus, também vai depor.







REGULAR

Sete a cada dez rodovias pavimentadas em Santa Catarina tem algum tipo de problema e são consideradas de qualidade regular, ruim ou péssimas. Os dados fazem parte da pesquisa CNT de Rodovias, feita pela Confederação Nacional de Transportes (CNT), que avalia as condições da infraestrutura rodoviária do país. Este é o segundo pior resultado entre os estados da região Sul.

A malfadada SC-477, pasmem, consta como regular.




CHEGANDO PERTO

Uma nova fase da Operação Lesa Pátria, que apura o financiamento dos atos golpistas de 8 de janeiro, cumpriu mandados de busca e apreensão em ao menos 14 cidades de Santa Catarina nesta quinta-feira, 30. A Polícia Federal também cumpriu mandados de prisão preventiva, expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em Minas Gerais. Os alvos, no entanto, não foram divulgados.

Na região houve cumprimento de um mandado em Mafra.







TELA QUENTE

O presidente da Fesporte, Paulão do Vôlei, partiu para cima do deputado estadual Fernando Krelling (MDB) durante evento nesta semana. A confusão começou logo após Krelling ter encerrado a audiência pública que discutiu a suspensão do calendário esportivo de Santa Catarina.

O parlamentar foi chamado de “babaca” por Paulão. A informação é que ele teria se irritado com as cobranças feitas por Krelling, que pediu a retomada das competições. A situação incomodou os demais parlamentares que, na manhã desta quinta, 30, acusaram Paulão de ter desrespeitado a Assembleia Legislativa. Veja o momento do entrevero separado pelo sempre boa praça deputado Mário Motta, no vídeo acima.






RETIRE-SE

Nesta terça-feira, 28, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou o requerimento do deputado federal Gilson Marques (NOVO-SC – foto) que retirou de pauta a PEC 221/19 que visa reduzir a carga horária de trabalho semanal de 44 para 36 horas. O texto da PEC é de autoria do deputado Reginaldo Lopes (PT-MG). O pedido foi aprovado por 30 votos a 25. Apenas as federações PT/PCdoB/PV e Psol-Rede e o governo orientaram contrários à retirada.

“Essa proposta é absurda! Ainda mais ouvindo argumentos de deputados governistas de que a redução da jornada de trabalho não implicaria na redução da produtividade. E mais: por que vamos votar um projeto que seria aplicado apenas daqui a 10 anos? Qual a lógica disso? Como alguém vai saber quais as necessidades da sociedade daqui a uma década?”, destaca Gilson.

- Ads -
Olá, gostaria de seguir o JMais no WhatsApp?
JMais no WhatsApp?