segunda-feira, 16

de

maio

de

2022

ACESSE NO 

Empresário preso entregou portas e janelas prometidas por Alberti, diz testemunha

Últimas Notícias

- Ads -

Acusação consta no processo de apura compra de votos

OUTRA ESFERA

Além dos tantos problemas que Adelmo Alberti (PSL) acumula na Justiça vem agora mais um: na sexta-feira, 30, o Ministério Público Eleitoral (MPE) se manifestou pela cassação da chapa vencedora da eleição municipal de 2020 em Bela Vista do Toldo. A manifestação pede a cassação dos mandatos de Alberti e do seu vice, Alfredo Cesar Dreher (Podemos). Alberti está preso, alvo da quarta fase da Operação Et Pater Filium. Já Dreher assumiu o cargo de prefeito interinamente logo em seguida.

Na manifestação o MPE transcreve o depoimento de uma eleitora que teria vendido o voto em troca de portas e janelas na qual ela envolve outro preso na mesma operação: o empresário Joziel Dembinski.

“Quem foi entregar os materiais na sua casa, com um caminhão da prefeitura, foi o Joziel. Ele só disse que foi o prefeito e o Cezar quem mandaram entregar as portas e janelas”, diz o depoimento.

Agora, caberá à Justiça Eleitoral acatar ou não a denúncia. No caso de cassação da chapa, confirmada nas instâncias recursais, uma nova eleição para prefeito e vice será marcada em Bela Vista do Toldo.



NEM UM REAL

A mesma pessoa que teria trocado voto pelas portas e janelas disse que em fevereiro deste ano mandou mensagem para Adelmo sobre boletos que ele teria prometido pagar e questionou se eles tinham quitado os dois boletos. Adelmo teria respondido que era para ela “parar de atentar o Alfredo Cezar, porque ele não tem um real no bolso”. A mulher diz que não respondeu mais nada, porque ficou nervosa. As mensagens foram apagadas por Adelmo, segundo ela.




PLURIANUAL

Composição da Câmara de Vereadores em 2021/Joselito Beluk/Divulgação

A Câmara de Vereadores de Canoinhas começa a apreciar nesta segunda-feira, 3, na volta do recesso, o Plano Plurianual (PPA) para os próximos quatro anos. O PPA sempre é elaborado no primeiro ano de mandato e deve ser cumprido, sempre, até o primeiro ano do próximo prefeito.

Trata-se de um instrumento de planejamento governamental que
define diretrizes, objetivos e metas da administração pública, com o propósito de viabilizar a implementação e a gestão das políticas públicas, convergir a dimensão estratégica da ação governamental e orientar a definição de prioridades.

O projeto estima receitas e despesas e aponta onde o Município deve investir.

Das 179 páginas do PPA que será avaliado pelos vereadores, 83 versam sobre diretrizes para a educação.






KASSAB

Divulgação

O ex-ministro da Ciência e Tecnologia Gilberto Kassab, que preside o PSD nacional e esteve em Florianópolis na semana passada em encontro estadual do partido, fez alertas sobre desafios econômicos do país, sinalizando o tom do debate na área para a sucessão presidencial. Disse que o principal problema da economia brasileira, hoje, é a pandemia, mas chamou a atenção sobre a falta de energia e riscos na área ambiental.

Sobre eleições, Kassab disse que quem estiver melhor colocado nas pesquisas no começo do ano que vem será o candidato do PSD ao Governo do Estado.








OCULTO

Ao sancionar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2021, o governador Carlos Moisés vetou na última quarta-feira, 28, uma emenda que obrigava o Executivo a “evidenciar” o orçamento da residência oficial do governador e da vice-governadora. As estruturas estão sob o guarda-chuva da Casa Civil, que deveria incluir as duas casas no orçamento a ser divulgado, como as demais secretarias.





VALE-GÁS

O governo federal pretende criar auxílio voltado para a compra de gás. Com o preço do botijão em alta e diante da resistência da equipe econômica em intervir no mercado, a ideia de dar um vale à população para compra do gás de cozinha tem ganhado força entre auxiliares do presidente.

A proposta aparece em momento de queda de popularidade de Jair Bolsonaro. O projeto faz parte do pacote social que o Planalto quer viabilizar neste ano para entrar em 2022 com rejeição menor.

A solução conta com a simpatia até do ministro da Economia, Paulo Guedes, que costuma impor freios aos projetos do Executivo que envolvem aumento de despesas.





CHEQUE EM BRANCO

Pelo menos seis parlamentares usaram a “emenda do cheque em branco” para enviar, no total, R$ 27,6 milhões para cidades comandadas por parentes como filho, irmão, pai ou sobrinho, informa reportagem do jornal O Estado de S.Paulo. Um dos casos é o de Bituruna (PR), a 81 km de Porto União. Após a morte do deputado José Carlos Schiavinato (Progressistas), em abril, vítima da covid-19, o suplente Valdir Rossoni (PSDB-PR) destinou R$ 8,1 milhões à cidade, cujo prefeito é seu filho, Rodrigo Rossoni. Criado na gestão Bolsonaro, o mecanismo permite a parlamentares destinar dinheiro para suas bases eleitorais de forma rápida e sem necessidade de projeto. Como também mostrou o Estadão, o que deveria ser exceção virou regra para 393 congressistas.