terça-feira, 26

de

outubro

de

2021

ACESSE NO 

Delator teria repassado, sozinho, mais de R$ 100 mil para Alberti em três anos

Últimas Notícias

- Ads -

Trecho da negativa de liberdade provisória cita propina

ANOS DE PROPINA

Conforme o JMais publicou ao ter acesso a parte do inquérito que apura suspeitas de corrupção envolvendo o prefeito de Bela Vista do Toldo, Adelmo Alberti (PSL), o vereador Vilson Stelzner (PSL), o empresário Joziel Dembinski e o ex-secretário de Alberti, Claudinei Ribeiro, presos na quarta fase da operação Et Pater Filium, houve um delator que filmou a entrega de propina de R$ 10 mil enfiados na cueca pelo próprio prefeito.

Pois bem, conforme relatou o desembargador Sérgio Rizello ao negar liberdade provisória a Alberti e Dembinski nesta quarta-feira, 21, somente este delator teria repassado mais de R$ 100 mil para Alberti desde 2018. “Como dito, há indicativos suficientes de que mais de R$ 100.000,00 em propina tenham sido repassados aos investigados desde 2018, e isso apenas por (nome do delator). Soma-se a isso a suspeita de envolvimento de outras pessoas jurídicas no esquema, e a aparente troca de objetos licitatórios realizados entre os municípios de Major Vieira, Bela Vista do Toldo e as empresas vinculadas (ainda que não diretamente) aos agentes públicos que comandavam o Poder Executivo de tais municípios.”

O desembargador cita várias vezes a prisão do ex-prefeito de Major Vieira, Orildo Severgnini, e se mostra estarrecido pelo fato de a prisão de Severgnini não ter intimidado Alberti e os demais acusados, que teriam continuado normalmente a rotina reprovável. “Até a fama que os investigados demonstravam ter entre a cúpula de aparente célula criminosa no município vizinho (Major Vieira) é indicativo de quão profícua é a atuação ilícita de Claudinei Ribeiro e Adelmo Alberti. Como mencionado por (outro delator), Orildo Antônio Severgnini, ex-prefeito
de Major Vieira e réu em duas ações penais instauradas por práticas semelhantes àquelas que ora se investiga, concedia a Adelmo (não em sua presença, naturalmente) o título de ‘mais corrupto do que o Lula’. Independente do juízo que se faça a respeito da culpabilidade do ex-presidente da República, é certo que a menção a seu nome, nestes termos, não pretende realçar sua percebida inocência”.

O delator contou que nem sempre era Alberti quem recebia a propina. Geralmente, quem recebia o dinheiro, na versão do delator, era Claudinei Ribeiro.




“É inadmissível que um indivíduo lance mão da democracia que lhe confere poder e autoridade para encher os próprios cofres de modo escuso (ou, neste caso infame, encher suas roupas de baixo com dinheiro), ou para que instale uma oligarquia que beneficia poucos em prejuízo dos munícipes”

do desembargador Sérgio Rizelo, ao negar liberdade provisória a Alberti e Dembinski





FALANDO EM ORILDO

Sua estadia na Unidade Prisional Avançada de Canoinhas vem fazendo bem aos demais detentos. Eles têm relatado que as narrativas do prefeito sobre suas aventuras na vida pública dão um descanso no já monótono papo de traficantes, maioria dos presos na UPA de Canoinhas.





A PROPÓSITO

Orildo e seu filho Marcus Antonio Severgnini completam agora em agosto um ano de prisão sem condenação.








SORTEIO

A Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Assembleia Legislativa aprovou, nesta quarta-feira, 21, um projeto de lei que prevê sorteio para a confirmação da matrícula do aluno da Educação Básica da rede pública estadual.

A proposta estabelece que a Secretaria de Estado de Educação ficará responsável por definir o prazo de inscrições e gerenciar o cadastro dos estudantes interessados. A SED também deverá realizar o sorteio dos alunos que ficarão com as vagas por meio de um sistema disponível na Internet.






CELERIDADE

A Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Assembleia Legislativa aprovou, em reunião na manhã desta quarta-feira, 21, um projeto de lei que busca garantir celeridade a processos e procedimentos judiciais e administrativos em ações que envolvam vítimas de feminicídio e estupro.





VAI SEM VOLTA

Arquivo

Santa Catarina registra, no primeiro semestre deste ano, 140 presos que receberam o benefício da saída temporária, mas não retornaram às unidades prisionais. São detentos em fase final do cumprimento de pena, com bom comportamento e que estão no regime semiaberto.




“Parece que a Secretaria de Obras deita e rola e dá pra quem quer e quem bem entende”

do vereador Laudecir Gonçalves, sobre os critérios para doação de material em Três Barras. Ele também criticou o fato de que em mais de meio ano de mandato, a Secretaria da Assistência Social está com uma secretária adjunta como titular





ESSENCIAIS

O plenário da Assembleia Legislativa aprovou nesta terça-feira, 20, projeto de lei que reconhece restaurantes, bares e pubs como atividades essenciais, mesmo em situação de emergência ou calamidade. Na prática, o texto altera uma lei estadual que trata do tema para indicar que esses estabelecimentos também devem ser considerados como locais de comercialização de alimentos.