terça-feira, 26

de

outubro

de

2021

ACESSE NO 

Caminhonete queimada em Bela Vista do Toldo era clonada

Últimas Notícias

- Ads -

Aumentam indícios de ligação com outros dois veículos clonados apreendidos na operação Et Pater Filium

A caminhonete encontrada queimada na manhã desta segunda-feira, 12, na localidade de Rio d’Areia de Cima, interior de Bela Vista do Toldo, também era clonada. A informação foi confirmada pela Polícia Militar de Canoinhas no começo da noite desta segunda.

A caminhonete Ford Ranger foi encontrada na mata, num local de reflorestamento de pinus.
Segundo a PM, não foi possível verificar qual a procedência do veículo por ele estar totalmente queimado e com os vidros derretidos, porém foi constatado que a placa que estava no veículo era de outra caminhonete com as mesmas características, portanto, trata-se de um veículo clonado.
Próximo da caminhonete foi encontrada uma máquina retroescavadeira CAT.

Retroescavadeira encontrada próximo da caminhonete/12.7.21/PM/Divulgação


A Polícia Civil foi acionada e abriu inquérito para investigar o caso.

SUSPEITAS

O fato de a caminhonete incendiada ser clonada amentou as suspeitas de ligação com a operação Et Pater Filium, que prendeu o prefeito Adelmo Alberti (PSL), o vereador Vilson Stelzner (PSL) e mais dois suspeitos na semana passada.

Duas caminhonetes com registro de roubo ou furto foram encontradas nas casas de Adelmo e do empresário Josiel Dembinski, um dos suspeitos presos.

Um dos veículos estava na garagem da casa do prefeito e o outro na casa de Dembinski. Por essa suspeita, a Justiça da comarca arbitrou fiança no valor de R$ 11 mil, decisão revista nesta segunda-feira, 12. Agora, caso consiga liberdade provisória com relação à denúncia de corrupção, Alberti não precisará mais pagar esta multa.

Ao cumprir o mandado de busca e apreensão referente a crimes contra o patrimônio público na casa do prefeito, uma Toyota Hilux, de cor branca, foi encontrada e, ao verificar o chassi do veículo, constatou-se que se tratava de produto de furto ou roubo.

A esposa de Adelmo, Maria Emília, afirmou que seu marido havia adquirido o veículo há aproximadamente dois meses, mas não sabia de quem ele havia comprado. Em depoimento ao delegado, Alberti afirmou que havia emprestado o veículo de Dembinski, que, inclusive, é seu primo.

No mesmo dia, na localidade de Serra do Lucindo, interior de Bela Vista do Toldo, durante o cumprimento de mandado de busca referente a mesma operação que prendeu o prefeito, foi encontrada uma caminhonete Mitsubishi Triton, de cor branca, em posse de Dembinski. O veículo também era clonado e produto de furto ou roubo. Além disso, na propriedade de Dembinski foi encontrado um revólver calibre 32 e várias munições.

Dessa forma, além de terem sido presos preventivamente na operação do Gaeco, que versava acerca de crimes contra a administração pública, foi lavrado auto de prisão em flagrante contra Alberti por receptação e ocultação de veículo furtado ou roubado e, no caso de Dembinski, por posse ilegal de arma de fogo e por receptação.