Planos de anúncio a partir de R$ 100. Clique aqui e converse com a gente

terça-feira, 23

de

julho

de

2024

ACESSE NO 

Planos de anúncio a partir de R$ 100. Clique aqui e converse com a gente

Vereadores questionam mudança de endereço da Fundação Cultural de Canoinhas

Últimas Notícias

Segundo eles, há várias reclamações

FUNDAÇÃO

- Ads -

A Câmara de Vereadores de Canoinhas elencou uma série de problemas decorrentes da mudança de endereço da Fundação Cultural de Canoinhas (FCC) de uma casa alugada para o prédio histórico da esquina das ruas Getúlio Vargas e Major Vieira.

Os vereadores colocam como problemas salas sem ventilação adequada, sem janela, com odor desagradável de mofo, causando mal-estar aos alunos e instrutores; dificuldade em garantir a qualidade nas aulas de música devido à falta de janelas, resultando no uso de ventiladores que interferem na qualidade do som; interferência na qualidade das aulas devido ao intenso movimento de veículos na rua Getúlio Vargas, especialmente nas salas da frente; entrada de água no recinto em dias de chuva forte devido a problemas estruturais no telhado, prejudicando o acesso dos alunos; inviabilidade do uso da biblioteca pública no primeiro andar devido às aulas de música, canto e teatro, considerando que o silêncio é necessário para leitura e estudos; descontentamento geral dos instrutores devido à mudança da Casa da Cultura para o prédio da Fundação Cultural, sendo que todos foram contrários devido às condições inadequadas para oferecer aulas de qualidade; utilização inadequada do espaço destinado ao Museu Alvanir Vieira sendo usado para outros fins que não para o qual foi criado, privando a comunidade do acesso ao acervo do Museu, que contêm obras doadas pelos familiares de Alvanir Vieira, o mesmo espaço se destina a exposição de obras de artistas regionais e desta forma deixa de valorizar e incentivar o trabalho dos artistas locais; utilização da sala do Museu Alvanir Vieira para ministrar aulas de teatro e musicalização. O local é inadequado para esse fim, pois não possui sanitários disponíveis na dependência, segundo os vereadores.

Requerimento aprovado na sessão desta segunda-feira, 22, questiona:

1 – Quais medidas estão sendo adotadas para resolver os problemas de infraestrutura na Casa da Cultura, especialmente relacionados à ventilação, odor de mofo e problemas estruturais?

2- Existe um plano para garantir a privacidade e a qualidade das aulas de música na Casa da Cultura?

3- Há alguma medida prevista para minimizar o barulho do intenso tráfego de veículos na rua Getúlio Vargas durante as aulas?

4- Quais são as medidas planejadas para resolver os problemas estruturais do telhado e evitar a entrada de água no recinto em dias de chuva forte?

5- Há planos para criar um ambiente adequado para aulas de música, canto e teatro, considerando a necessidade de silêncio na biblioteca pública?

6- Como será abordada a insatisfação dos instrutores em relação à mudança da Casa da Cultura para a Fundação Cultural? Por que não foi considerada a opinião dos instrutores? Quais serão as medidas adotadas para oferecer condições adequadas para as aulas?

7- Quais são os planos para garantir que o espaço do Museu Alvanir Vieira seja utilizado de forma apropriada, valorizando desta forma o seu acervo, demonstrando reconhecimento e gratidão aos seus familiares e garantindo à comunidade o acesso como forma de perpetuar sua memória? De que forma será oportunizando o espaço para que nossos artistas locais possam ser conhecidos e valorizados, encontrando apoio para expor seus trabalhos e desta forma um incentivo a continuar?

8- Considerando o espaço do Museu Alvanir Vieira inadequado para o uso de sala para aulas de teatro e musicalização, bem como considerando a falta de sanitários na dependência, quais medidas serão tomadas para adequar a situação?

9- Qual foi o motivo da mudança da Casa da Cultura que se localizava na Rua 12 de setembro nº 72, um local amplo e adequado, para o prédio da Fundação Cultural?





RESPOSTA

A resposta aos tantos questionamentos da Câmara se resume a uma palavra: dinheiro. Ou melhor, a falta dele. A FCC trabalha com um orçamento anual de míseros R$ 731 mil. Este orçamento foi aprovado pela Câmara no ano passado, o momento adequado para se discutir um repasse maior que permitisse a FCC pagar um aluguel.




RECURSOS

Divulgação

O presidente do PT de Três Barras, Aristides Ataíde, entregou à prefeita de Três Barras, Ana Claudia Quege (MDB), quatro emendas parlamentares da bancada do partido na Assembleia e na Câmara dos Deputados, totalizando R$ 600 mil.

Do deputado federal Pedro Uczai vieram R$ 250 mil, do deputado estadual Padre Pedro Baldissera foram R$ 150 mil. Já da deputada estadual Ana Paula Lima foram R$ 100 mil, além de outra emenda de R$ 100 mil assinada pela deputada estadual Luciane Carminatti.

Com exceção da emenda de Luciane, que será destinada a Apae de Três Barras, os demais valores serão destinados à compra de três veículos Spin para a Secretaria de Saúde para o transporte de pacientes que fazem tratamento fora do domicílio.




PERSEGUIÇÃO

Reprodução

O deputado estadual Jessé Lopes (PL) expôs um servidor do Instituto do Meio Ambiente (IMA) de Canoinhas afirmando que, por ser comunista, ele estaria travando licenciamentos ambientais.

Consultada pela coluna, a gerente do IMA Canoinhas, Zenici Dreher, diz que a “Coordenadoria Regional do Meio Ambiente de Canoinhas (Codam) atende a seis municípios, nenhum deles licencia, então todos os processos são protocolados na Codam/IMA. A Codam conta com oito servidores de nível superior efetivos, especialistas nas diferentes áreas e os processos são distribuídos conforme o segmento da atividade (não estão só com um técnico). As análises são fundamentadas nas legislações vigentes e os procedimentos seguem atos normativos do IMA e de cada município. Obras públicas têm tramitação prioritária e as demais seguem ordem cronológica.”



INVASÃO ZERO

O secretário de Estado da Segurança Pública, deputado Sargento Lima, irá coordenar, em Santa Catarina, a Frente Parlamentar Mista Invasão Zero. Nesta terça-feira, 23, em Brasília, Lima foi nomeado coordenador pelo deputado federal Luciano Zucco (PL), que coordena o movimento no país.

A Frente, segundo Lima, é uma iniciativa para combater a invasão de propriedades no país. É uma resposta às crescentes preocupações com invasões de terras em várias regiões do Brasil, enfatiza o coordenador em SC. O trabalho efetivo como coordenador se inicia logo após o retorno do deputado à Alesc, cuja data ainda não está marcada.

Essa Frente foi criada após a CPI do MST, que investigou invasões de terras. Logo após o término da comissão, os parlamentares observaram um aumento nas invasões e ameaças de ocupação.





OS MAIORES

Jeep Renegade é o modelo usado mais procurado em Santa Catarina no primeiro trimestre dentre os veículos que mais tiveram redução de preço no país. A conclusão é do estudo da OLX, maior classificado de autos do Brasil. O levantamento se baseou na lista de modelos zero km que mais baixaram de preço nacionalmente em 2023. O Peugeot 208 ocupa a segunda posição no ranking, seguido pelo Fiat Toro, em terceiro. Ao avaliar as variações entre o 1º trimestre de 2024 e o mesmo período do ano anterior, os carros que são ou possuem versões elétricas se destacam em procura por meio da plataforma: JAC iEV, Caoa Chery Tiggo 5x Pro e JAC E-JS1.

- Ads -
Olá, gostaria de seguir o JMais no WhatsApp?
JMais no WhatsApp?