sexta-feira, 23

de

fevereiro

de

2024

ACESSE NO 

Três-barrense acidentado em MG é transferido para SC

Últimas Notícias

- Ads -

Ele foi encaminhado a um hospital de Brusque

- Ads -

O caminhoneiro três-barrense Antônio Dorizete Pecharka, 56 anos, que estava há 11 dias internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital de Campo Belo, em Minas Gerais, cidade na qual sofreu um acidente no dia 21 de novembro, na BR-354, voltou para Santa Catarina.

Segundo a filha de Antônio, Letícia Pecharka, ele foi transferido na manhã deste sábado, 2, para Brusque. Ele foi transportado com uma aeronave do Estado e internado no Hospital Imigrantes, especializado em cirurgia cardiovascular. “Agora vamos torcer para que dê tudo certo”, diz Letícia. A família teve de assinar um termo de responsabilidade devido aos altos riscos do translado. “Agora é um passo de cada vez, mas o importante é que ele está aqui”, comemorou Letícia.

O acidente que hospitalizou Antonio envolveu uma colisão frontal entre dois veículos, resultando em vítimas fatais e interditando completamente a rodovia nos dois sentidos.

Segundo informações das equipes da Polícia Militar de Minas Gerais presentes no local, a colisão ocorreu por volta das 13h40 e envolveu o veículo que era dirigido por Antonio, um caminhão/trator Volvo carregado de sacos de cal e um caminhão Volkswagen 11.180 que transportava carne refrigerada ensacada.

Segundo o site Portal Campo Belo, o acidente foi resultado de um choque frontal quando a carreta carregada de cal virgem ensacado, conduzida por Antonio no sentido Candeias/Campo Belo, encontrou o caminhão no sentido oposto, na contramão de direção, ao contornar uma curva à esquerda. A colisão foi tão severa que ocasionou a morte de duas pessoas que estavam no Volkswagen no local. As duas vítimas fatais eram de Minas Gerais.

Com o impacto da batida, Antonio capotou duas vezes. Ele foi socorrido pelo Samu e encaminhado em estado grave para a UTI da Santa Casa de Campo Belo.

Desde então, a família vinha lutando para conseguir trazê-lo para um hospital mais perto de casa. O drama se agravou com a necessidade de atendimento especializado que não existe no hospital mineiro.

O JMais conversou com a secretária de Saúde de Três Barras, Siomara Mühlmann Corrêa, e a gerente regional de Saúde, Cíntia Aguiar. Ambas falaram que estavam acompanhando o caso de perto e aguardando, somente, a liberação de Antônio por parte dos médicos mineiros para que então pudessem providenciar a transferência.

- Ads -
Olá, gostaria de seguir o JMais no WhatsApp?
JMais no WhatsApp?