segunda-feira, 4

de

julho

de

2022

ACESSE NO 

STJ manda soltar ex-servidora da prefeitura de Canoinhas presa na Et Pater Filium

Últimas Notícias

- Ads -

Amanda Suchara estava presa desde 29 de março

Decisão monocrática da ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Laurita Vaz, concedeu na noite desta quarta-feira, 11, habeas-corpus a Amanda Suchara, ex-servidora da prefeitura de Canoinhas presa desde 29 de março. Ela foi uma das 14 pessoas detidas na sétima fase da Operação Et Pater Filium.

Amanda é acusada de participar de um esquema dentro da prefeitura de Canoinhas para facilitar pagamentos por serviços não realizados ou realizados parcialmente pela empresa Joziel Dembinski Eireli. Conforme a denúncia feita pelo Ministério Público (MPSC), como fiscal de contratos ela teria assinado atestados de serviços supostamente prestados sem a efetiva fiscalização. Havia, ainda, descompasso entre o exigido em edital e o maquinário de fato usado por Dembinski.

Ainda segundo a denúncia, Amanda teria usado a senha de acesso de dois secretários de Obras para responder a e-mails sobre os processos licitatorios dos quais Dembinski teria participado.

A defesa de Amanda, representada pelo advogado Vilson dos Santos, havia ingressado com o pedido de habeas-corpus no começo desta semana. “Estamos muito satisfeitos pelo fato de a Amanda poder se defender em liberdade, ainda mais sabendo que ela tem duas crianças pequenas, que sofreram a ausência da mãe por mais de um mês”, diz o advogado.

A mesma ministra que mandou soltar Amanda negou liminares que pleiteam habeas-corpus a Beto Passos, Renato Pike, Adoniran Borba Fernandes, Marcio Passos e Joziel Dembinski, também presos na sétima fase da Et Pater Filium.

Amanda deve deixar o Presídio de Joinville nesta quinta-feira, 12.