terça-feira, 5

de

julho

de

2022

ACESSE NO 

Vereadores pedem que maquinário apreendido na Et Pater Filium seja entregue ao Município

Últimas Notícias

- Ads -

Segundo MPSC, máquinas foram compradas por Beto Passos em nome de laranja

A Câmara de Vereadores de Canoinhas aprovou na noite desta segunda-feira, 9, requerimento elaborado pela oposição para que o Grupo Especial Anticorrupção (Geac) de Joinville, responsável pela operação Et Pater Filium, libere a cessão de uso do maquinário da empresa Joziel Dembinski Eireli para o Município de Canoinhas. Segundo o Ministério Público (MPSC), dois caminhões pertencentes à empresa foram comprados pelo ex-prefeito Beto Passos (PSD) e colocados no nome de Dembinski que seria, portanto, seu laranja para fraudar processos licitatórios do Município. Passos e Dembinski estão presos desde 29 de março acusados de formar uma quadrilha para lesar os cofres públicos.

A empresa prestava serviços para a Secretaria de Obras transportando cascalho e pedras britas, além de serviços de máquinas retroescavadeiras que, segundo investigações da quarta fase da Et Pater Filium, seriam do prefeito de Bela Vista do Toldo também preso, Adelmo Alberti (PSL). Alberti afirma que foi quem aconselhou Passos a comprar os caminhões. Dembinski ainda preparava o solo para aplicação de emulsão asfáltica. Os vereadores justificam o requerimento pelas dificuldades enfrentadas pela Secretaria de Obras para fazer seu trabalho por falta de maquinário.

Marcos Homer (Podemos) lembrou das revelações sobre a denúncia da sétima fase da Et Pater Filium trazidas pelo JMais no fim de semana na qual Alberti dá detalhes de como o suposto esquema de Dembinski e Passos funcionava em Canoinhas. “Talvez estejamos fazendo demagogia ao fazer esse pedido por nao ser da nossa alçada, mas quem não pede não ganha”, disse.

Juliana Maciel (PSDB) também disse ser uma tentativa de reverter, em partes, o prejuízo trazido ao canoinhense com o suposto esquema criminoso. “Porque o maior prejudicado foi o cidadão canoinhense. Se a gente não pedir, de vez que não vem, então estamos fazendo essa tentativa”, frisou.

Maurício Zimmermann (PL) elogiou o pedido e aproveitou para criticar o secretário de Obras, Edmilson Verka. “Que se tome atitude, que licite-se o serviço para que o munícipe não seja prejudicado”, ressaltando que não se pode ficar no aguardo de uma decisão judicial que pode nem vir.