segunda-feira, 27

de

setembro

de

2021

ACESSE NO 

“Sistema chegou no seu limite”, afirma gerente da Casan sobre fornecimento de água em Canoinhas

Últimas Notícias

- Ads -

Estatal prevê criação de dois reservatórios e expansão da ETA

 

 

 

CASAN

O gerente da Casan de Canoinhas, Cleber Pereira da Costa, respondeu nesta quarta, 10, ao requerimento apresentado pelos vereadores de Canoinhas ao Ministério Público denunciando a falta de água em vários bairros da cidade e cobrando medidas judiciais contra a estatal. “Vamos responder aos questionamentos, não há má vontade. Foram condições específicas, condições químicas da água do rio Canoinhas que nos obrigaram a  trabalhar numa banda mais baixa para fornecer água dentro dos padrões que o Ministério da Saúde preconiza. Como a demanda foi maior do que a produção, teve esvaziamento dos reservatórios”, justifica.

 

 

 

Costa diz que já repassou à Câmara a informação de que o sistema de captação e tratamento de água da Casan chegou no limite. “Por isso a partir do meio do ano vamos iniciar a construção de dois novos reservatórios pra amenizar a situação, além de fazer a ampliação da estação de tratamento”.

 

 

 

Só a expansão da Estação de Tratamento de Água (ETA), estima Costa, é avaliada em R$ 8 milhões. A obra, adianta, demanda estudo para se fazer um projeto. Os reservatórios estão estimados em R$ 2 milhões. No caso dos reservatórios, o projeto está mais adiantado. Em março deve estar concluído o levantamento topográfico. Na sequência uma licitação será aberta em regime de urgência. A estimativa é de que as obras dos reservatórios comecem no segundo semestre.

 

 

 

 

Costa lembra que com as condições da água do rio em estágio normal não há problema de abastecimento. Costa disse que os problemas da semana passada foram corrigidos. “Qualquer reclamação de falta de água hoje é pontual”, afirma.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SAMASA

Sobre a falta de água no distrito do São Cristóvão – Três Barras tem sistema próprio de abastecimento de água, mas o São Cristóvão segue com a Casan – Costa diz que o Serviço Autônomo de Água e Saneamento Ambiental (Samasa) de Três Barras também tem culpa no cartório.

 

 

 

 

Ele afirma que falta água apenas nas áreas altas do distrito. “O Samasa deveria ter um reservatório elevado, uma linha de recalque se fosse necessário”, explica. Segundo Costa, há dez anos se discute esse investimento. “É fácil culpar a Casan quando eles não fazem a parte deles”, alega.

 

 

 

 

 

 

 

477

Durante reunião on-line conjunta da Câmara de Transporte e Logística da Fiesc e do Conselho Estratégico de Infraestrutura de Santa Catarina nesta quarta-feira, 10, o secretário de Estado Infraestrutura e Mobilidade, Thiago Vieira, disse que não há como intervir na SC-477, em Major Vieira, e que é preciso dar um passo de cada vez.

 

 

Ele lembrou que a situação ficou ainda mais crítica na 477 com a queda de trecho da BR 280, intensificou ainda mais o nosso problema. “Por que a gente não intervém lá? Por que a gente não intervém em Caçador na 350, a 153. Por que a gente não intervém em Rincão Torcido? Ora, senhores, nós estamos fazendo um passo de cada vez, os senhores que trabalham com infraestrutura, sabem muito bem que nós precisamos vencer uma primeira etapa. No caso da 477, nós já estamos com uma empresa contratada, que tem  – eu tenho acompanhado isso -, feito um excelente trabalho, está em ritmo acelerado e publicamente agradeço, porque quando o parceiro assume o compromisso de uma forma rápida é porque quer resolver, quer somar com a gente, temos de reconhecer, porque o Estado não faz nada sozinho”, afirmou o secretário.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

GARGALOS

Falando ainda sobre rodovias catarinenses, Vieira disse que “independentemente da estrutura organizacional, se uma estrada pertence à esfera federal, estadual ou dos municípios, os gargalos são de Santa Catarina. Se nós não resolvermos os nossos gargalos de infraestrutura, nossa economia que hoje cresce de forma acelerada, será estagnada. E é por isso, que entendendo que o dinheiro do contribuinte deva voltar para a melhoria do contribuinte, que independente de qual seja a cor do gato, esse gato ele tem de matar o rato”. Ele respondia indiretamente às críticas sobre os investimentos do Governo do Estado na BR-470.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DINHEIRO NOSSO

Ricardo Wolffenbüttel/Secom

O governador Carlos Moisés propôs ao ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, investir recursos estaduais para acelerar a obra de duplicação da BR470, entre Navegantes e Indaial, no Vale do Itajaí. Carlos Moisés disse que a ideia é colocar recursos próprios do Estado por meio de convênios com o Governo Federal.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LIVRES

Santa Catarina é o 5º entre 16 Estados com mais cidades sem mortes por covid-19 até esta quarta-feira. O estado tem 22 municípios entre os 357 do país nessa condição, segundo o Ministério da Saúde e as Secretarias Estaduais de Saúde. Nenhum deles fica no Planalto Norte.

 

 

 

 

 

 

 

FESTA

O ano foi de pandemia, mas, apesar das recomendações de distanciamento social, teve deputado federal que gastou até R$ 347 mil em despesas de transporte, como fretamento de jatinho, aluguel de carro, combustível e passagens aéreas. Levantamento feito pelo Estadão mostra que 12 parlamentares ainda aumentaram esse tipo de pagamento em 2020 mesmo com a Câmara funcionando em esquema remoto.

 

 

 

 

 

 

 

AJUDA

Divulgação

Dona de muitas das marcas de cerveja mais vendidas no Carnaval, como Brahma e Skol, a Ambev vai dar um auxílio de até R$ 255 para os ambulantes que vão ficar sem trabalho no evento deste ano por causa da suspensão das festas de rua na pandemia.

 

 

 

Aproximadamente 20 mil trabalhadores serão contemplados em todos os estados, segundo a empresa, que criou um site chamado Ajude um Ambulante para distribuir os recursos por partes.

 

 

 

Os trabalhadores receberão R$ 150 após fazerem um cadastro comprovando que foram ambulantes oficiais no Carnaval de anos anteriores. Os outros R$ 100 serão doados pela Ambev em até 20 parcelas de R$ 5, cada vez que um cliente do aplicativo de entrega de bebidas Zé Delivery fizer uma compra de cerveja da fabricante com um cupom do programa a ser distribuído pelos próprios ambulantes. A medida estimula o ecommerce. A informação é da coluna Painel SA da Folha de S.Paulo.

 

 

 

 

 

 

 

 

70

vezes mais alto foi o custo dos votos em mulheres em relação aos destinados aos homens nas eleições de 2020