segunda-feira, 27

de

setembro

de

2021

ACESSE NO 

É a hora certa para retomar as aulas presenciais?

Últimas Notícias

- Ads -

Pais se dividem sobre questão

 

 

 

O DESTINO DAS CRIANÇAS

Na semana passada o JMais publicou uma reportagem com o título “Veja como será a volta às aulas nas redes estadual e municipal de Canoinhas“. Nas redes sociais o assunto causou polêmica. Foram 164 comentários só na página do Facebook do JMais.

 

 

 

“Acho que é papel dos pais orientar seus filhos sobre as regras, os professores vão fazer o papel deles. Cabe a nós fazer o nosso papel também”, ponderou um dos internautas. “E na hora do recreio, essas crianças vão andar juntas?”, questionou outro. “Acho um absurdo essa volta às aulas. Cada dia mais casos de covid em nossa região. Qual será a segurança de alunos e professores?”, seguiu outro.

 

 

 

Há quem defenda a retomada: “Por favor, quem não for mandar seus filhos para escola, então que tranquem dentro de casa, é revoltante ver certos professores fazendo campanha contra a volta das aulas. Tudo aberto, até boteco, onde está o isolamento social? Você vai no shopping, lá está cheio de crianças, nas ruas todas sem máscara e os professores fazendo terror para os pais, isto é um absurdo”. “Tem as pessoas que defendem o retorno presencial das aulas e tem as pessoas que conhecem a escola”, respondeu uma professora.

 

 

 

 

“Isso é uma palhaçada minha filha não vai à escola nem que venha conselho tutelar”, radicalizou outra internauta. “Tenho a leve impressão que os alunos não vão dar importância pras regras”, complementou outra.

 

 

 

Surpreendentemente, até o secretário de Educação de Canoinhas, Osmar Oleskovicz, fez coro aos descontentes nesta semana. Em uma sessão da Câmara de Vereadores, ele disse que é contra a retomada presencial, mas que cumpre regras que vêm de cima, neste caso, da Secretaria de Estado da Educação. É bom destacar que os Municípios têm autonomia para impor regras mais rígidas, porém, o prefeito Beto Passos (PSD) repete o mantra de que cumpre tudo o que o Estado define em relação a medidas de prevenção à covid.

 

 

 

Nesse diálogo insano em que cada um tem sua opinião e pronto, quem perde são as crianças, excluídas do debate, prontas para obedecer a ordem dos pais. Afinal, é o momento ideal para retomada das aulas?

 

 

 

Não dá pra tirar a razão de quem fala que as crianças estão por toda a parte – supermercados, parques e praias. Os pais os levam de livre e espontânea vontade e, dada a incidência da doença em menores, o impacto é pequeno. Logo, eles estariam prontos para voltar às aulas presenciais.

 

 

 

O ensino remoto, especialmente, para o ensino fundamental, provou-se problemático. As crianças necessitam da presença do professor e têm uma grande necessidade de se socializar. Os efeitos de 2020 na educação ainda hão de ser auferidos.

 

 

 

 

Por outro lado, não tem como não legitimar a preocupação dos pais. Estamos vivendo o período mais crítico da pandemia. Três Barras, por exemplo, contabilizou 18 mortos por covid nos dois últimos meses. Desde o começo da pandemia até metade de dezembro apenas quatro pessoas haviam morrido com covid na cidade. Em Canoinhas já são 39 mortos, 13 só neste ano.

 

 

 

 

A pergunta que fica no ar é: se cuidamos tanto de nossas crianças até aqui, porque mandá-las de volta para a escola em um momento tão crítico da pandemia e às vésperas de termos boa parte da população vacinada?

 

 

 

O ministro da Saúde Eduardo Pazuello disse nesta semana que até metade de 2021, 50% da população prioritária estará vacinada. Isso inclui os professores. Custa esperar? Evidente que sim, é mais meio ano das problemáticas aulas remotas. Não é o ideal. O ideal, porém, só se encaixa em tempos de normalidade. Infelizmente não vivemos tempos normais. Então medidas amargas e com consequências nada agradáveis precisam ser tomadas. Sabiamente, as Secretarias de Educação estão deixando aos pais a escolha. Isso faz com que neste debate onde cada um defende sua opinião e ponto, cada um, de fato, poderá tomar sua própria decisão e tolerar as consequências. Os únicos que não poderão escolher serão os professores.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ICPREV

Sônia Sacheti, que já comandou as pastas da Administração e da Saúde nos governos Orlando Krautler, é a nova gestora do Instituto Canoinhense de Previdência (ICPrev).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

APAGÃO

O prefeito Beto Passos (PSD) não reconduziu a competente Priscila Noernberg para a assessoria de imprensa da prefeitura. Os veículos de comunicação vêm sentindo a falta da profissional. Os secretários também reclamam a presença de um jornalista no governo para transformar suas ações em reportagens.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A PROPÓSITO

Beto Passos volta de suas férias na próxima semana disposto a rever algumas nomeações assinadas por Renato Pike na sua ausência.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

RESSONÂNCIA

Nesta sexta-feira, 12, o prefeito em exercício Renato Pike e a secretária de saúde Kátia Oliskowski assinaram o repasse para o conserto do aparelho de ressonância magnética do Hospital Santa Cruz. O projeto que libera o dinheiro passou pela Câmara na semana passada.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Estamos há 43 dias

Sem o governador Carlos Moisés cumprir a promessa de compra de um novo tomógrafo para o Hospital Santa Cruz de Canoinhas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PRIMEIRO ESCALÃO

O prefeito de Três Barras está nomeando, aos poucos, seus secretários para o segundo mandato. Já com portarias pulicadas estão Zair Packer, que segue na pasta de Administração e Planejamento. Já Samira Mussi segue na Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo e Edith de Souza foi nomeada para a Educação, Cultura e Esporte. Pode haver alterações no entanto. Os partidos que apoiaram a reeleição de Shimoguiri discutem as nomeações.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ESCLARECIMENTOS

A crise na atuação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) em Santa Catarina deve estar entre os próximos assuntos a serem tratados pela Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa. Por solicitação do deputado Kennedy Nunes (PSD), o secretário de Estado da Saúde e representantes da OZZ, empresa terceirizada responsável pela gestão do SAMU, vão ser convocados para prestar esclarecimentos sobre o serviço no estado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SOB NOVA DIREÇÃO

Mauricio Vieira / Secom

O governador Carlos Moisés, junto com demais integrantes do Fórum de Governadores,  participou de reunião virtual com os novos presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira. O encontro, na manhã desta sexta-feira, 12, abre formalmente o diálogo sobre a agenda prioritária dos chefes de estado no Parlamento.