sábado, 25

de

setembro

de

2021

ACESSE NO 

Para baratear diesel, governo quer mudar ICMS e sem verba, Saúde reduz à metade os leitos de UTI para Covid

Últimas Notícias

- Ads -

Sábado, 6 de fevereiro de 2021

 

 

O Globo

 

Manchete: Sem verba, Saúde reduz à metade os leitos de UTI para Covid

Ministério da Economia recebeu pedido para liberar R$ 5,2 bi para custear hospitalização

O número de leitos de UTI pagos pelo governo federal para tratamento de pacientes de Covid-19 deve cair até o fim do mês para 3.187, menos de 50% dos atuais 6.830, segundo o Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass). O Ministério da Saúde pediu a liberação de R$ 5,2 bilhões ao Ministério da Economia, no dia 29, para fazer face aos gastos com hospitalização, em caráter emergencial. PÁGINA 9

 

 

  • Para baratear diesel, governo quer mudar ICMS
  • DEM tenta evitar debandada com saída de Maia
  • Obituário: Christopher Plummer, o capitão Von Trapp de ‘A noviça rebelde’, aos 91 anos
  • Bagunça na fila prejudica idosos no Grande Rio
  • Botafogo é rebaixado pela terceira vez

 

 


 

 

Folha de S. Paulo

 

Manchete: Risco ambiental de Bolsonaro freia avanço do Brasil na OCDE

País poderia ser aprovado em comitê que trata do tema, mas discussão é suspensa após carta de ONG

O comitê de política ambiental da OCDE cancelou a discussão sobre a elevação do status do Brasil no órgão, que ocorreria na semana que vem. O país, que vem atuando como convidado, reivindica o grau de participante. A entrada na OCDE, espécie de clube dos países ricos, é uma das maiores prioridades da política externa da gestão Jair Bolsonaro. Integrar o comitê acelera a adesão a instrumentos ambientais, um passo obrigatório.
Em documento obtido pela Folha, o secretário-geral da entidade, Angel Gurría, havia recomendado que, durante a reunião de terça (9), o grupo chancelasse o Brasil. No entanto, a discussão acabou removida da agenda. O recuo se deu depois de
os participantes do encontro receberem uma carta da ONG de direitos humanos
Human Rights Watch com denúncias sobre a política ambiental de Bolsonaro, relata Patrícia Campos Mello. Procurado, o Itamaraty informou em nota que aguarda uma posição dos integrantes da comissão. MercadoA13

 

 

  • Particulares podem ter 70%; estaduais enfrentarão greve
  • Fundo escandinavo exclui Cargill, Bunge e ADM por desmatamento no país
  • Por compras, Congresso propõe mudar MP da vacina
  • Como se preparar para a vacina; veja campanha em SP
  • Idosos recebem doses no 1º dia e se dizem aliviados
  • Presidente propõe mudar ICMS sobre combustíveis
  • Lula indica que Haddad concorrerá caso ele não possa
  • Oxford protege de variante britânica, mostra estudo
  • Equador vê eleição com descrença em meio à pandemia
  • Ivermectina não tem eficácia contra a Covid, declara fabricante

 

 


 

O Estado de S. Paulo

 

 

Manchete: Anvisa ameaça ir ao Supremo para barrar MP que libera vacinas

Antes, presidente da agência vai pedir a Jair Bolsonaro veto a regra aprovada por senadores

O presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, disse que vai recomendar a Jair Bolsonaro veto à regra aprovada por senadores que dá cinco dias para a agência conceder aval emergencial a vacinas contra a covid-19 autorizadas em países que não faziam parte de sua lista, como Rússia e Argentina. Caso o veto não ocorra, Torres pretende ir ao STF.
O presidente da Anvisa diz que o texto obriga a agência a chancelar um imunizante mesmo sem análise técnica e lança dúvidas sobre a segurança e eficácia dos produtos que entrarem no País por esse caminho. A medida beneficia principalmente a vacina Sputnik V, que já obteve aval na Rússia e na Argentina, mas ainda não tem autorização no Brasil. Especialistas veem na medida um ataque à autonomia da agência. O secretário executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, disse que o governo pretende importar 10 milhões de doses da Sputnik V. METRÓPOLE / PÁG. A16

 

 

  • Bolsonaro quer ICMS fixo sobre combustível
  • Estudo para desestatização da Ceagesp continua
  • Exercícios nas ruas exigem cuidado
  • Em SP, escolas particulares podem receber 70% dos alunos
  • Bolsa Família pode ser critério para volta do auxílio
  • Um dia festivo para os idosos