sexta-feira, 19

de

abril

de

2024

ACESSE NO 

Depois de mais de um ano preso, ex-prefeito Adelmo Alberti é solto

Imagem:Arquivo

Últimas Notícias

- Ads -

Decisão foi comunicada ao Presídio Regional de Caçador no fim da tarde desta terça-feira

- Ads -

O ex-prefeito de Bela Vista do Toldo, Adelmo Alberti, teve alvará de soltura expedido pela Vara Criminal de Canoinhas no fim da tarde desta terça-feira, 9. Ele estava preso desde julho de 2021, quando foi alvo da quarta fase da Operação Et Pater Filium. Atualmente, Alberti estava no Presídio Regional de Caçador.

Segundo as condições do alvará de soltura, Alberti usará tornozeleira eletrônica.

“A defesa entendeu que seria possível neste momento ser revogada a prisão dele. Apresentamos requerimento neste sentido, com o qual o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) se manifestou favorável, mediante condições, tendo o Judiciário revogado a prisão preventiva, mediante a imposição de algumas medidas cautelares”, disse o advogado Paulo Glinski, que junto com seu irmão, o advogado Luis Glinski, defende o ex-prefeito.

Como condições para a liberdade, Alberti não pode se ausentar da comarca sem autorização judicial, não pode frequentar as dependências da prefeitura, não pode manter contato com os demais denunciados e com qualquer pessoa vinculada às denúncias da Operação Et Pater Filium. A restrição de circulação que será monitorada pela tornozeleira autoriza Alberti a circular somente nos limites da comarca, ou seja, mas cidades de Canoinhas, Bela Vista do Toldo, Major Vieira e Três Barras.


ACORDO

Assinado em 15 de outubro do ano passado, o acordo de colaboração premiada firmado entre Adelmo Alberti e o MPSC, reduz a 12 anos de prisão a pena do réu em vários processos que apuram atos de corrupção aos quais Alberti é acusado. Desde que firmou o acordo, Alberti passou a entregar todo o esquema do qual participava e que é apurado pela Operação Et Pater Filium. Foi a partir da sua delação (hoje chamada de colaboração premiada) que o MPSC chegou às prisões de Beto Passos (PSD) e Renato Pike, presos na sétima fase da Operação.

O acordo de colaboração premiada elenca uma série de compromissos por parte de Alberti. Entre eles está entregar ao Município, como forma de ressarcimento, um terreno na rua Estanislau Schumann, uma escavadeira hidráulica, uma retroescavadeira Massey Ferguson, três caminhões tratores, uma prancha reboque, um caminhão Mercedes-Benz, três semirreboques, um caminhão Volkswagen, uma caminhonete Toyota Bandeirantes e uma escavadeira hidráulica, tudo em seu nome. Além do material que consta como propriedade de Alberti, ele ainda entregou 23 áreas de terras no Loteamento Recanto Verde e o Autoposto Bela Vista.

O ex-prefeito se comprometeu, ainda, a pedir exoneração do cargo de assessor parlamentar da Câmara de Vereadores de Bela Vista do Toldo e, durante o período de 10 anos, não exercer qualquer função pública e afastar-se de qualquer atividade empresarial que negocie ou contrate com o Poder Público, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica própria ou de terceiro.

- Ads -
Olá, gostaria de seguir o JMais no WhatsApp?
JMais no WhatsApp?