segunda-feira, 24

de

janeiro

de

2022

ACESSE NO 

Uniguaçu demite professor acusado de fazer apologia ao estupro

Últimas Notícias

- Ads -

Professor disse que “se o estupro é inevitável e iminente, relaxa e aproveita”

 

 

 

O professor da Uniguaçu, Dr Ricardo Germano Efing, foi afastado da função depois que um vídeo começou a circular nas redes sociais nesta sexta-feira, 19, mostrando o que seria um trecho de uma aula do professor transmitida online par uma turma de Engenharia de Produção.

 

 

No trecho, o professor faz uma comparação sobre situações em que o ser humano precisa se adaptar, mesmo contra a vontade. “Desculpe meninas, eu sei que é chulo o que eu vou dizer, mas é aquele ditado, se o estupro é inevitável e iminente, relaxa e aproveita”.

 

 

Assista o trecho:

 

 

 

A Uniguaçu, que é sediada em União da Vitória, mas tem núcleo em Canoinhas e Caçador, se pronunciou no mesmo dia, demitindo o professor. Em nota, afirmou que em razão dos fatos durante a aula online, a faculdade decidiu primeiramente pedir desculpas à turma e, logo em seguida, desligar imediatamente o professor da instituição de ensino.

 

 

 

Confira a nota na íntegra:

 

https://www.jmais.com.br/professor-reconhece-expressao-inapropriada-ao-se-referir-a-estupro/

 

Na internet ele aparentemente apagou redes sociais e até mesmo seu perfil no Linkedin. Na plataforma Lattes, onde se registram acadêmicos, ao consultar pelo nome do professor nenhum resultado retorna. Em outros sites, Efing é apontado como membro do conselho de ética da Associação Brasileira de Fisioterapia Traumato Ortopédica (Abrafito). Ele foi coordenador do curso de fisioterapia do Centro Universitário Campo Real, é especializado em Ortopedia Traumatofuncional e também especialista em Fisioterapia Pneumofuncional.

 

 

 

O Centro Universitário Campo Real também emitiu nota informando a demissão do professor depois que tomou conhecimento do episódio.