segunda-feira, 27

de

setembro

de

2021

ACESSE NO 

Troca de comando do IMA de Canoinhas mostra sinais da virada política de Moisés

Últimas Notícias

- Ads -

Mais político, governador quer escapar do segundo pedido de impeachment

 

 

 

MUDANÇA DE RUMO

Uma semana antes de ser julgado pela Assembleia Legislativa no segundo pedido de impeachment, dessa vez pela compra de respiradores que nunca foram entregues, o governador Carlos Moisés (PSL) faz mais um gesto de alinhamento à “velha política”. Na sexta-feira, 19, ele consumou uma troca que vinha sendo gestada há semanas. Ele trocou a gerente regional do Instituto do Meio Ambiente (IMA) de Canoinhas, Francine Nader, pelo ex-vice-prefeito de Canoinhas, Wilson Pereira (MDB).

 

 

 

Pereira nega qualquer trauma na troca, mas admite que o critério usado por Moisés foi fundamentalmente político. Depois de escapar do primeiro pedido de impeachment, o governador procurou todos os deputados para negociar. Conseguiu convencer a bancada do MDB, que topou apoiar o governo e, claro, quis algo em troca. Destaque-se que conforme disse o presidente estadual do MDB, Celso Maldaner, à coluna, a decisão é da bancada e não do partido que, inclusive, fará prévias em agosto.

 

 

 

Pereira, emedebista de cruz na testa, acabou se beneficiando do acordo e assume nesta terça-feira, 24, a gerência regional que ficou oito anos nas mãos de Francine, uma façanha considerando que a engenheira ambiental nunca ocupou cargo político antes. “Foi uma das melhores coordenadoras do Estado”, elogiou Pereira. Ela deve ocupar outro cargo estadual possivelmente em Florianópolis.

 

 

 

 

Pereira coloca como desafios frente ao IMA a liberação de licenças ambientais para as obras de expansão da WestRock em Três Barras e um megainvestimento de R$ 1 bilhão em energia elétrica na região de Porto União, ainda em fase embrionária.

 

 

 

 

 

Francine elogiou Pereira e disse que “o IMA continua em boas mãos”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1 A ZERO

A nomeação de Pereira é vitória do deputado estadual Valdir Cobalchini (MDB), que entrou em contato com o ex-vice-prefeito oferecendo o cargo. Como a coluna já revelou, Cobalchini iniciou um cabo de guerra com o deputado federal Carlos Chiodini (MDB) pela influência na região. Ambos buscam o nome ideal para apoiar na disputa pela Assembleia em 2020, um cabo eleitoral que agregue ao máximo. Os dois devem rivalizar – no caso de Chiodini para se manter e de Cobalchini para emplacar – na busca por uma vaga no Congresso.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ABRE E FECHA

Os funcionários do comércio já estavam em casa quando ontem à noite o governo decidiu liberar a abertura de comércio de rua às 8 horas. Muitos tiveram mais um dia de prejuízo por causa da morosidade.

 

 

 

O vice-presidente da Fecomercio região norte e presidente do Sindilojas de Canoinhas e Região, Carlos Burigo, comemorou a decisão. “Como entidades patronais temos de cuidar o máximo para não criar uma insegurança jurídica que venha futuramente prejudicar nossos associados e representados”, disse.

 

 

 

A Fecomercio argumentou desde a publicação do decreto com as dificuldades deste horário, “principalmente para os municípios menores que não têm um transporte coletivo adequado, dificultando tanto para o empresário como para o empregado. Só cobrávamos coerência”, frisa Burigo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

MISSÃO CUMPRIDA

Os vereadores de Três Barras já encerraram as atividades de março. Só mesmo uma sessão extraordinária os fará se reunir neste mês. Regimentalmente eles são obrigados a fazer seis sessões ordinárias por mês.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A LISTA

Os vereadores de oposição se mostraram indignados com a resposta negativa do Executivo ao pedido de divulgação da lista de vacinados até agora em Canoinhas. “Já tem cidades no Brasil inteiro divulgando essa lista”, destacou a vereadora Tatiane Carvalho (MDB). Ela exemplificou o caso de Blumenau, que divulga a lista no site da prefeitura. “É o direito do cidadão comum. Quem está recebendo essa vacina não é paciente, são pessoas que estão recebendo um benefício pago com dinheiro de impostos”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Onde tem pandeiro tem pagode”

do vereador Marcos Homer (Podemos) usando ditado para comentar sobre a negativa da lista

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SEGURANÇA

Divulgação/PMSC

Em viagem a Brasília nesta quarta-feira, 24, o governador Carlos Moisés (PSL) tratará da situação da crítica da pandemia no Ministério da Saúde. Na pauta estarão assuntos como insumos, equipamentos e vacinas. Segundo o colunista Ânderson Silva, da NSC, neste último tópico, Moisés apresentará um pedido ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para os agentes de segurança sejam incluídos nos grupos prioritários de vacinação.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PREVENÇÃO

A Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) realizou, nesta terça-feira, 23, feriado de aniversário de Florianópolis, uma ação de desinfecção e sanitização nas dependências de suas duas sedes: o Palácio Barriga Verde e a Unidade Administrativa Presidente Deputado Aldo Schneider. O tratamento consistiu em procedimentos técnicos de higienização que promovem a redução de microrganismos causadores de diversas doenças, incluindo o novo coronavírus, tornando o ambiente menos insalubre e reduzindo as ameaças invisíveis dos ambientes.

 

 

 

Os produtos de desinfecção utilizados são de baixa toxicidade e inodoros, recomendada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para não oferecer riscos à saúde.

 

 

 

 

 

 

90 mil

cirurgias eletivas estão represadas em SC