sexta-feira, 19

de

abril

de

2024

ACESSE NO 

Prefeita de Três Barras alega que projeto de unificação seria solução para falta d’água no município

Últimas Notícias

- Ads -

Moradores do distrito São Cristóvão têm reclamado constantemente de falhas no serviço

- Ads -

A prefeita de Três Barras, Ana Cláudia Quege (PP), publicou recentemente, em suas redes sociais, um vídeo se posicionando sobre as recentes reclamações de moradores sobre falta de fornecimento de água no distrito São Cristóvão.

Conforme comentários da prefeita no vídeo, ela se mostra “solidária” com a população e compreende as reclamações de moradores do distrito que, segundo ela, é uma “importante região do município”.

Atualmente, o órgão que administra as faturas de água no município é o Serviço Autônomo Municipal de Água e Saneamento Ambiental de Três Barras (Samasa), no entanto, a autarquia terceiriza o serviço de fornecimento de água no distrito do São Cristóvão para a Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan).

No vídeo publicado em suas redes sociais, a prefeita Ana Cláudia Quege comentou que, recentemente, recuperou o projeto de unificação do sistema de água que, segundo ela, seria a única solução para o problema. “Trata-se de um projeto com a execução estimada em mais de R$ 20 milhões e já foi apresentado no Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) do Governo Federal”, afirmou a prefeita.

Somente neste ano, foram três comunicados oficiais do Samasa dirigidos à população, sobre abastecimento de água reduzido no distrito do São Cristóvão. Nas três ocasiões, a redução no abastecimento foi atribuída a manutenções realizadas pelas Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc). Ainda assim, outras situações de problemas com o fornecimento de água foram motivo de reclamações da população três-barrense.

A Casan foi procurada pela reportagem do JMais e alegou que fornece água para o distrito do São Cristóvão, em conformidade com o contrato vigente. No entanto, de acordo com a Casan, a responsabilidade pela gestão, pelas melhorias e pelos investimentos necessários para acompanhar o desenvolvimento da localidade é da empresa com concessão no município.

Até recentemente, a empresa concessionária que prestava o serviço era a Empresa Brasileira de Saneamento (EBS), antiga Versa e ex-Serrana, denunciada no esquema investigado na Operação Mensageiro. Atualmente, a responsável pelo serviço é a empresa MPB Engenharia.

Representantes do Samasa também foram procurados pela reportagem do JMais e perguntados sobre a situação, eles alegaram apenas que estão “tomando as medidas possíveis para solucionar o problema”.



OUTROS BAIRROS

Em novembro de 2023, famílias do bairro Km 6, em Três Barras, fizeram recorrentes reclamações sobre problemas no fornecimento de água. Segundo os moradores, a falta d’água costumava durar dias.

À época, o Samasa atribuiu as falhas no serviço a quedas de energia relacionadas às condições climáticas que assolaram a região do Planalto Norte no final do ano passado, e que ficariam por conta da Celesc.

Naquele momento, a Celesc reforçou o posicionamento do Samasa e complementou que a região do Planalto Norte e o município de Três Barras, por terem distribuição de energia em padrão construtivo aéreo, seriam muito afetados, principalmente, por descargas atmosféricas e vegetação.

O JMais publicou uma matéria sobre as reclamações das famílias do Km 6, em novembro de 2023.


Assista à matéria abaixo:

- Ads -
Olá, gostaria de seguir o JMais no WhatsApp?
JMais no WhatsApp?