domingo, 22

de

maio

de

2022

ACESSE NO 

Nova licitação deserta para restaurante da estação desafia governo

Últimas Notícias

- Ads -

Município estuda possibilidades para explorar obra restaurada

DESAFIO

Restou deserta a segunda tentativa de licitar o restaurante da estação ferroviária de Marcílio Dias. Embora o Município tenha feito poucas exigências para o locatário, os profissionais da área da gastronomia temem que a distância do restaurante atraia poucos comensais. Isso me parece uma bobagem, já que o povo já demonstrou ser muito interessado em novidades. Hoje, sem restaurante, a estação já atrai muita gente só pra ver a restauração.

A gestora da Fundação Municipal de Cultura de Canoinhas, Carolina Carvalho, conta que busca alternativas para fazer o restaurante funcionar. “Vai ter algo lá sim, vamos repensar em outras possibilidades, como por exemplo relançar o edital com uma nova proposta abrindo para outra modalidade que não o restaurante. Também existe possibilidade de parcerias com o Senac, mas precisaremos estudar o que é mais viável”, conta.

O Senac é referência onde tem restaurante e, sem dúvida, seria uma boa alternativa. Resta saber se, a exemplo dos donos de restaurantes da cidade, a instituição teria interesse em assumir o local. Fato é que não podemos desperdiçar a excelente oportunidade que a restauração trouxe de reativar um local que, além de bonito, emula um dos períodos mais significativos da nossa história.




89

cidades perderam agências bancárias no ano passado por causa da pandemia


TRANSPARÊNCIA

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) provocou uma situação no mínimo questionável. Não é mais possível consultar nomes de filiados a partidos políticos. Questões de duplas filiações e dados de mortos como já se viu em alguns partidos ficam livres para acontecer.


A CONTA

Arquivo

Hospitais filantrópicos – como é o caso do Santa Cruz de Canoinhas e Félix da Costa Gomes de Três Barras – e Santas Casas estão cobrando R$ 2 bilhões prometidos pelo Governo Federal para mitigar os custos da pandemia. Hoje o governo repassa R$ 1,6 mil por dia por leito de UTI, mas não cobre outros custos como material para exames e contas sazonais. O dinheiro foi prometido em maio do ano passado e até agora nada.

Detalhe: a toque de caixa, governo e congresso liberaram R$ 6 bilhões para pagar campanhas políticos neste ano.



TIRO CERTO

O Governo Bolsonaro é um desastre econômico que patina no combate ao desemprego, à inflação e a desigualdade. Mas em um quesito pode se orgulhar do êxito. Desde a campanha eleitoral, em 2018, o número de registro de armas de fogo quase quadruplicou. Dados revelados pelo colunista Lauro Jardim, de O Globo, mostram que foram concedidos 242.075 registros de armas de fogo de janeiro a novembro de 2021 ante 51.027 em todo o ano de 2018.



MACHISMO

Em um recorte por sexo, 15.901 armas foram registradas em nome de mulheres e 406.956 estão nas mãos de homens. O resultado disso já se contabiliza não na redução da criminalidade, mas no aumento de feminicídios, de brigas de trânsito e de bebuns armados atirados a esmo. Não precisa ir muito longe para constatar isso. Basta vasculhar a editoria de Polícia do JMais.



IMPASSE

O setor de transporte público, um dos mais afetados pela pandemia, deve tentar dividir a conta com o poder público para voltar a funcionar a todo o vapor em 2022. O prejuízo do setor no Brasil supera os R$ 21 bilhões.