Como doar para as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul? Veja os canais oficiais

domingo, 26

de

maio

de

2024

ACESSE NO 

Como doar para as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul? Veja os canais oficiais

Em Papanduva, Assembleia debate circulação de máquinas agrícolas nas rodovias

Últimas Notícias

Documento cobrando solução deve ser encaminhado ao Congresso Nacional

CIRCULAÇÃO

- Ads -

A Câmara de Vereadores de Papanduva recebeu nesta segunda-feira, 13, uma audiência pública realizada pela Assembleia Legislativa (Alesc) para debater as regras para circulação de máquinas agrícolas nas rodovias federais e estaduais. O encontro foi promovido pela Comissão de Agricultura e Desenvolvimento Rural do Parlamento.

A reunião foi sugerida pelo deputado estadual Oscar Gutz (PL), a partir das reclamações de produtores agrícolas em relação a normas do Código Brasileiro de Trânsito que proíbe a circulação desses equipamentos nas rodovias. Devido a essa restrição, as máquinas precisam ser transportadas por carretas, o que, segundo os agricultores, prejudica a rentabilidade e a produtividade do segmento.

De acordo com Gutz, o objetivo da iniciativa é levar a demanda dos produtores catarinenses para o Congresso Nacional. “O pessoal precisa colher, precisa plantar, mas está impedido de transitar pelas rodovias e isso nós não queremos. Queremos que haja um diálogo, que nós possamos trabalhar, que nosso agricultor possa produzir e possa trafegar nas BRs ou nas SCs”, afirmou. Da audiência foi produzido um documento que será encaminhado ao Congresso Nacional.

Para o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Papanduva, Miguel Iancovski, a restrição está causando transtornos para a categoria. “Nunca tive um acidente com trator, agora com caminhão e automóvel tá cheio de acidente. Nos Estados Unidos, os agricultores andam com trator no centro das cidades”, justificou.

O prefeito de Papanduva, Jefferson Schuppel, também participou da audiência. “Temos de dar prioridade para o nosso produtor circular. Aqui em Papanduva, a agricultura é o eixo dorsal da nossa economia, então o agricultor não pode ser penalizado”, afirmou.

Esta foi a segunda audiência pública promovida pela Comissão de Agricultura da Alesc sobre o assunto. Nos próximos dias, as comunidades de Abelardo Luz, Ituporanga e Sombrio vão receber eventos semelhantes.







EXPERIÊNCIA

A vereadora Zenilda Lemos (UB) fez questão de dizer que ela e os outros 11 membros da comitiva que foi a Canoas (RS) ajudar os flagelados pela enchente se autofinanciaram. O Município entrou apenas com o ônibus, no qual, inclusive, eles dormiram e fizeram suas refeições. A vereadora, que também é assistente social, fez um relato emocionante do que encontrou por lá durante a sessão desta segunda-feira, 13.





CONTAGEM REGRESSIVA

Pelo menos quatro nomes devem deixar o primeiro escalão do governo Jorginho Mello para concorrer nas eleições municipais. Carmen Zanotto (Saúde), Sargento Lima (Segurança), Ricardo Guidi (Meio Ambiente) e Robison Coelho (Portos, Aeroportos e Ferrovias) têm até 6 de junho para se desligar do governo.




PM

O Supremo Tribunal Federal (STF) vedou “qualquer restrição de gênero” na disputa de vagas, e determinou “concorrência (das mulheres) em igualdade com os candidatos do sexo masculino para a totalidade das vagas” – o que mexeu com a lista de aprovados.

Neste caso, o governo de Santa Catarina terá que decidir se mantém o número previsto de candidatos aprovados previsto em edital – 500 – ou se amplia a quantidade de vagas para incluir os que ficaram fora da lista de aprovações após a mudança.





SALDO

Mais de 820 mil eleitores de Santa Catarina não regularizaram o título de eleitor até o prazo máximo que terminou na quarta-feira, 8, e não devem poder votar nas eleições deste ano. Os dados, ainda prévios, são do Tribunal Regional Eleitoral do Estado (TRE/SC).






FECHADO

O cadastro eleitoral está fechado para novas inscrições eleitorais, regularização de título de eleitor, transferência de domicílio e atualização de dados, com exceção do Rio Grande do Sul, que teve o cadastro prorrogado por mais 15 dias devido à situação do estado causada pelas enchentes.




HISTÓRICO

Promotoras que trabalharam na acusação abraçam mãe da vítima/Luiz Felipe Mayer/JMais

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina publicou reportagem sobre o que chamou de “uma das mais extensas sessões do Tribunal do Júri de que se tem notícia em Santa Catarina” o tribunal de júri que culminou com a condenação de três réus acusados de tramar e executar o assassinato do canoinhense Claudio Herbst em abril de 2021. Foram seis dias e mais de 144 horas, sendo que dois policiais civis foram sabatinados por mais de 20 horas.






- Ads -
Olá, gostaria de seguir o JMais no WhatsApp?
JMais no WhatsApp?