quinta-feira, 23

de

setembro

de

2021

ACESSE NO 

Desafios para a Saúde em 2021 e prefeitos tomam posse com medidas de ajuste fiscal em destaque neste sábado

Últimas Notícias

- Ads -

Sábado, 2 de janeiro de 2021

 

 

 

O Globo

 

 

Manchete: Paes anuncia medidas de ajuste fiscal e corte de gastos

Prefeitura quer rever R$ 1 bi em isenções tributárias e elevar alíquota de Previdência

A recuperação das finanças da prefeitura do Rio é prioridade da nova gestão do prefeito Eduardo Paes. Ele vai começar revendo isenções tributárias que somam R$ 1 bilhão por ano. Para recompor o combalido caixa do município, tanto pela crise econômica quanto pela pandemia do novo coronavírus, Paes vai encarar uma medida dura, propondo aumento da alíquota de contribuição previdenciária dos servidores de 11% para 14%, e deve renegociar contratos. Ao tomar posse ontem, o prefeito anunciou um plano com 25 metas prioritárias para cem dias, que prevê recuperar as clínicas da família para a vacinação contra covid-19 e os BRTs que estão sucateados. PÁGINAS 8 e 9

 

  • Novos prefeitos priorizam ações contra a Covid
  • Máscaras e videoconferências nas posses da pandemia

 

 

 

 

  • Por que aglomeram? Para analistas, festas lotadas são reflexo de sociedade individualista
  • Luxemburgo: O desafio de livrar pela segunda vez seguida o Vasco do rebaixamento
  • Bolsonaro veta medida que blindava gastos com vacinas
  • Venda porta a porta cresce e vira saída para desemprego
  • Menina de 5 anos morre vítima de bala perdida na virada do ano

 

 


 

 

Folha de S. Paulo

 

 

Manchete: Vacina, verba e cirurgias são desafios para a Saúde

Com risco de orçamento enxuto, SUS tem de enfrentar imunização e procedimentos adiados na pandemia

Sob risco de um orçamento mais enxuto, a Saúde entra 2021 com dois desafios graves em meio à pandemia da Covid-19: o início de uma campanha de imunização contra o novo coronavírus e o estoque de cirurgias represadas durante a crise.

No ano de 2020, foram cerca de 1 bilhão de procedimentos adiados, incluídas aí consultas regulares e exames. Houve uma queda no número de cirurgias eletivas por medo de contágio.

A lista de desafios para o sistema público ainda inclui a previsão de piora em indicadores de saúde por atrasos no atendimento de pessoas com outras doenças. SAÚDE A13

 

 

 

  • Covas defende tolerância na política durante posse em SP
  • Bolsonaro garante gasto militar, mas não com vacinação
  • Para 58%, Flávio é culpado no caso das ‘rachadinhas’
  • Pandemia gera virada diferente em 2021

 

 


 

 

O Estado de S. Paulo

 

 

Manchete: Prefeitos tomam posse com medidas de ajuste fiscal

Bruno Covas determina revisão de contratos e corte de cargos; no Rio, Paes fala em reforma da Previdência

Com o caixa baixo e os efeitos da pandemia ainda relevantes para derrubar a arrecadação, prefeitos das principais cidades do País anunciaram, já na posse, ontem, medidas de ajuste fiscal, cortes de despesas e revisão de contratos. Em São Paulo, Bruno Covas (PSDB) publicou decreto que prevê a revisão e renegociação de convênios, contratos e parcerias. Ele também determinou que todos os órgãos da administração municipal apresentem, até o fim do mês, propostas de redução de no mínimo 10% de cargos comissionados e de confiança. No Rio, que tem déficit orçamentário estimado em R$ 10 bilhões em 2021 e servidores com salários atrasados, Eduardo Paes (DEM) lançou pacote para tentar organizar as contas. As medidas incluem a criação de uma “lei de emergência fiscal”, reforma da Previdência municipal e cortes de despesas, entre outros pontos. Outros prefeitos, como João Campos (PSB), no Recife, foram na mesma linha

 

 

  • Países fecham ano com dívida recorde
  • ‘Não tem lógica pensar que Anvisa é contra a vacina’
  • Aída, uma trajetória olímpica na luta contra a desigualdade
  • Nova fronteira, 27 anos depois