Como preparar seu corpo para receber a vacina da covid-19


Tânia Rêgo /Agência Brasil

A manutenção de uma imunidade alta depende de diversos fatores, incluindo alimentação, exercícios físicos e até mesmo a roupa que você escolhe. Saiba mais!

 

 

 

Após muitas expectativas, o Brasil já tem mais de 9 milhões de vacinados contra a covid19, o que traz esperança pelo fim da pandemia e do isolamento social. No entanto, os cuidados com a saúde ainda são essenciais.

 

 

 

A vacinação de toda a população, seguindo as etapas de acordo com os grupos prioritários que são mais vulneráveis a contrair a doença ou ter sintomas graves, é fundamental para que a vida possa voltar ao normal.

 

 

 

A seguir, entenda como funciona o processo de imunização promovido pela vacina e também como preparar seu corpo para a vacinação.

 

 

 

Como funciona a imunização com as vacinas?

As vacinas são desenvolvidas a partir de rígidos critérios científicos e sanitários para garantir tanto a segurança quanto à qualidade e eficácia.

 

 

 

O conhecimento acumulado de décadas de pesquisas em vacinas e os esforços globais, com elevados investimentos públicos e privados, permitiram que as vacinas contra a covid19 fossem desenvolvidas com eficácia comprovada em menos de um ano.

Um dos elementos que incluem a forma como a vacina funciona é o tipo de vacina, que pode ser:

 

 

 

  • vacina atenuada: na qual o vírus ou bactéria são enfraquecidos;

  • vacina inativada: na qual o vírus ou bactéria são inativados;

  • vacina com toxóides: composta por uma versão enfraquecida da toxina que a bactéria produz;

  • vacinas com subunidades: na qual são inseridas apenas partes do vírus ou bactérias.

 

 

 

 

 

Independentemente do tipo, a vacina funciona apresentando ao corpo o vírus ou bactéria responsável pela doença, no entanto, em uma versão na qual o vacinado não adoece, mas adquire imunidade.

 

 

 

Essa abordagem deve-se ao fato que a produção de anticorpos naturais do organismo funciona dessa forma, sendo que quando se contrai uma doença, o organismo consegue combatê-la produzindo anticorpos contra ela.

 

 

 

Apesar da eficácia da vacinação, é importante manter todos os cuidados sanitários até 15 dias depois da segunda dose, ao menos, e enquanto a maior parte da população ainda não foi vacinada.

 

 

 

Como manter a imunidade do corpo elevada?

Uma das formas de potencializar a produção de anticorpos – seja tomando a vacina ou mesmo contraindo uma doença -, é manter a imunidade do corpo elevada, o que depende de uma série de cuidados diários.

 

 

 

Com a imunidade alta o corpo consegue ter uma resposta mais rápida e eficiente às doenças, evitando quadros graves, e também produzir anticorpos mais rapidamente caso seja vacinado. Confira algumas recomendações a seguir.

 

 

 

Alimentação

A alimentação nutritiva e balanceada é um dos principais elementos que favorecem a manutenção de uma imunidade elevada.

O consumo de alimentos in natura, como frutas, verduras, legumes e grãos, por exemplo, garante um melhor funcionamento do organismo devido à boa disponibilidade de nutrientes e vitaminas.

 

 

 

Deve-se ainda reduzir – não necessariamente eliminar – opções menos saudáveis, como processados e ultraprocessados, com excesso de sódio, açúcares em excesso e também muitos laticínios que aumentam os processos inflamatórios do organismo.

 

 

 

Hidratação

O consumo adequado de água é fundamental para manter uma alta imunidade. A recomendação é beber 0,35ml de água por quilo de peso corporal todos os dias.

 

 

 

Dessa forma, uma pessoa com 65 kg, por exemplo, deve consumir aproximadamente 2,27 litros de água diariamente.

O consumo adequado de água contribui para o bom funcionamento do metabolismo e também facilita a eliminação de toxinas presentes no organismo.

 

 

 

Cuidado com estresse e ansiedade

O momento de isolamento social é estressante e gera muita ansiedade, no entanto, essas condições afetam negativamente a imunidade. Dentre outros fatores destaca-se o aumento dos níveis de cortisol no sangue que intensifica processos inflamatórios.

 

 

 

A recomendação é buscar por atividades relaxantes, como meditação, fazer algum hobby, conversar com pessoas queridas e ter um descanso e sono de qualidade.

 

 

 

Peso ideal

A obesidade está diretamente associada a complicações da Covid19 e também outros agravantes na saúde, como maior predisposição à diabetes, hipertensão e problemas cardiovasculares.

 

 

 

Dessa forma, é importante unir alimentação e prática de exercícios para manter-se no peso ideal e evitar baixa na imunidade em decorrência do sobrepeso ou por doenças associadas à obesidade.

 

 

 

Exercícios físicos

O sedentarismo é outro problema na sociedade e foi agravado devido à necessidade de isolamento social. A recomendação é que cerca de 20 minutos diários sejam suficientes (podendo ser mais), mas a prática deve ser regular.

 

 

 

Encontre um exercício que atende melhor suas necessidades e preferências, podendo ser caminhada, corrida, bicicleta, ioga, pilates, natação, musculação, dança e outros.

Lembre-se ainda que o excesso de exercícios físicos também é prejudicial ao corpo, pois queima demasiadamente à energia necessária para os processos fisiológicos e metabólicos do organismo.

 

 

 

Vestimentas

Sim, as roupas que você usa podem afetar sua imunidade. Pessoas com tendência a problemas respiratórios, como asma, bronquite e rinite, por exemplo, podem ficar com a imunidade baixa se não usarem roupas que aqueçam.

 

 

 

Mesmo no verão é importante atentar-se às mudanças de temperatura e evitar, principalmente, ficar com a região torácica desprotegida.

Sendo assim, a moda fitness para os momentos de exercício e a moda para o dia a dia devem garantir o conforto térmico.





Deixe seu comentário: