UnC capacita pesquisadores para catalogação do acervo científico


Campus de Canoinhas conta com coleções de peças que serão catalogadas no formato digital/Divulgação/UnC

Cenpaleo tem o maior acervo paleontológico do Estado de SC e está entre as dez maiores coleções do Brasil

 

 

Os pesquisadores da Universidade do Contestado dos Campi de Canoinhas, Concórdia e Mafra irão participar, entre os dias 12 e 16 de abril, de treinamento remoto sobre a plataforma Pergamum Museus.

 

 

 

A capacitação visa a criação do catálogo digital do acervo dos Centros de Pesquisa da Universidade, incluindo o Museu da Terra e da Vida do Centro Paleontológico da UnC (Cenpaleo). Para o professor Dr. Luiz Carlos Weinschütz, a possibilidade de criar um registro digital do acervo se tornará um marco na história do Cenpaleo, tendo em vista que atualmente a coleção é registrada (tombado) em um arquivo físico, um livro de anotações, com acesso restrito a equipe e dos pesquisadores visitantes.

 

 

“A disponibilização de nosso acervo de forma digital possibilitará que seja consultado por um universo inimaginável de pesquisadores e interessados.  Esse é um grande passo dado pela UnC para incrementar as ações interinstitucionais, principalmente vinculadas ao patrimônio paleontológico sob guarda de nossa universidade”, comemora o professor.

 

 

Outras coleções também serão incorporadas nesse arquivo, como o acervo do novo Museu da Concórdia, acervo de peças do Curso de Medicina Veterinária de Canoinhas,  o Herbário de Mafra, entre outras.

 

 

 

O Pergamum é um sistema informatizado de gerenciamento de dados direcionado aos diversos tipos de Centros de Informação como arquivos, bibliotecas e museus. Hoje é utilizado por centenas de instituições no Brasil e no exterior. Com a atual reforma do Cenpaleo em plena execução, incluindo a ampliação de nossa reserva técnica, a criação deste registro digital possibilitará a confecção de relatórios, busca por peças e levantamento histórico do uso do acervo.

 

 

 

“Temos o maior acervo paleontológico do Estado de Santa Catarina, e estamos entre as dez maiores coleções paleontológicas do Brasil (são 12 mil peças catalogadas e pelo menos outras 12 mil peças para serem catalogadas), e que logo será uma das mais modernas em relação ao seu controle”, explica.  A expectativa é que o acervo tombado esteja disponível na nova plataforma digital a partir do segundo semestre.





Deixe seu comentário: