Como doar para as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul? Veja os canais oficiais

sábado, 13

de

julho

de

2024

ACESSE NO 

Como doar para as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul? Veja os canais oficiais

Planalto Norte tem segunda maior taxa de cura da tuberculose em Santa Catarina

Últimas Notícias

Índice de cura foi de 77,5% durante o ano de 2023

- Ads -

Dados presentes no informativo epidemiológico Barriga Verde, da Diretoria de Vigilância Epidemiológica do Estado (Dive) de Santa Catarina, apontam que a região do Planalto Norte registrou a segunda maior taxa de cura da tuberculose no ano de 2023, com um índice de 77,5%.

Ainda que a taxa de cura na região do Médio Vale do Itajaí seja superior à do Planalto Norte, com 78,2%, há também uma taxa de pacientes que abandonaram o tratamento, que é de 3,4%, enquanto que no Planalto Norte nenhuma desistência foi registrada durante o ano de 2023.

Neste sentido, tais regiões foram as únicas que atingiram as metas estabelecidas pelo Programa Nacional de Controle da Tuberculose, de ao menos 77,5% de cura e menos de 5% para abandono de tratamento.

A maior taxa de desistência do tratamento para tuberculose em Santa Catarina no ano de 2023 foi registrada na região da Grande Florianópolis, com um índice de 30,4% e apenas 44,8 de cura, figurando a terceira mais baixa estatística relacionada à cura da doença.

No Extremo Sul do Estado, apenas 37% de taxa de cura foi registrada no ano passado, com índices de desistência do tratamento em 12,3%.

O coeficiente de mortalidade por tuberculose em Santa Catarina, de acordo com os dados da Dive, apresentou queda entre os anos 2014 a 2016. Já partir do ano 2016, é possível observar um aumento até o ano de 2019, com queda nos anos de 2020 e 2021, e novo aumento a partir de 2022.

Na região do Planalto Norte, de acordo com estatísticas do DataSus, órgão do Ministério da Saúde que coleta e processa dados de saúde, apenas duas mortes por tuberculose pulmonar foram registradas entre os anos de 2020 e 2024, sendo uma em Mafra e outra em Canoinhas.

TRANSMISSÃO E SINTOMAS

A tuberculose é uma doença infecciosa e transmissível causada por uma bactéria que afeta, principalmente, os pulmões, mas também pode ocorrer em outros órgãos do corpo, como ossos, rins e cérebro. “A transmissão se dá por via aérea e pode acontecer de várias formas: através de fala, espirro e tosse da pessoa infectada. O contato direto com o doente em ambiente fechado e com pouca ventilação e ausência de luz solar representa maior chance de outra pessoa ser infectada”, explica Lígia Castellon Gryninger, médica infectologista da Dive.

O principal sintoma da tuberculose é a tosse (por três semanas ou mais), associada ou não a febre (especialmente à tarde), suor intenso à noite, falta de apetite e emagrecimento.

PREVENÇÃO

A vacina BCG é uma maneira de proteção contra as formas graves de tuberculose e faz parte do calendário vacinal, devendo ser feita ao nascimento. Além disso, como forma de prevenção e controle da doença, é importante investigar os contatos mais próximos da pessoa que está em tratamento para que seja descoberta a infecção ou doença o mais rápido possível. Desta forma, o tratamento é iniciado precocemente e há a diminuição de possíveis complicações, além da redução na transmissão.

O tratamento da tuberculose dura seis meses, é gratuito e está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS)

- Ads -
Olá, gostaria de seguir o JMais no WhatsApp?
JMais no WhatsApp?