sexta-feira, 19

de

agosto

de

2022

ACESSE NO 

Mãe esfaqueada ao tentar salvar a filha do ex-genro será sepultada neste sábado em Três Barras

Últimas Notícias

- Ads -

Sônia Corrêa Lemes da Silva, de 40 anos, faleceu na manhã desta sexta no UTI do Hospital Santa Cruz

Sônia Corrêa Lemes da Silva, 40 anos, será velada neste sábado, 4, a partir das 7h, na Igreja Evangélica Assembleia de Deus no distrito do São Cristovão. Em seguida, ela será sepultada às 15h no Cemitério Municipal de Três Barras.

Sônia era mãe de Thais Correa Lemes da Silva, 23 anos, assassinada pelo seu ex-companheiro Carlos Alberto Becker Ribeiro, 32 anos, que também morreu após a intervenção do filho de Sônia e irmão de Thais. A tragédia aconteceu no distrito do São Cristóvão no dia 25 de agosto.

Ao tentar defender a filha do agressor, Sônia foi esfaqueada em dois pontos da barriga pelo ex-genro, e desde então estava internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Santa Cruz de Canoinhas (HSCC). Na manhã desta sexta-feira, 3, Sônia não resistiu e acabou falecendo.

Ela parte deixando o esposo Marcos, quatro filhos, demais familiares e amigos.


ENTENDA O CASO

A Polícia Civil ainda não concluiu o inquérito que apura o duplo homicídio ocorrido na quarta-feira, 25, no distrito do São Cristóvão, em Três Barras, mas as evidências deixam clara a tragédia.

O irmão de Thais Correa Lemes da Silva, 23 anos, assassinada pelo ex-companheiro Carlos Alberto Becker Ribeiro, 32 anos, se apresentou à Polícia Civil, mas ainda não prestou depoimento. Foi ele quem matou Ribeiro na tentativa de salvar a irmã e a mãe, Sônia, também esfaqueada por Ribeiro.

Ele reafirmou que agiu para tentar salvar a irmã e a mãe. “Depois que ele matou imediatamente se apresentou para a autoridade policial e vai responder pelo crime em liberdade. Não cabe prisão em flagrante quando a pessoa se apresenta para a autoridade policial assumindo o crime e relatando que agiu em defesa dos familiares”, explica o delegado regional Rui Orestes Kuchnir.

Segundo a Polícia Militar, vizinhos relataram que Thaís já tinha medida protetiva contra Ribeiro. Eles residiam em Joinville e após terminar o relacionamento, a vítima voltou a residir em Três Barras.Thaís trabalhava no Supermercado Via Atacadista, em Canoinhas, e quando soube que o ex-companheiro teria viajado de Joinville à Três Barras, para evitar um possível confronto, não foi ao trabalho. No entanto, ela e a mãe saíram para levar os irmãos de Thaís, de carro, para a escola. Neste momento, Ribeiro começou a persegui-las e bateu seu carro contra o da mãe de Thaís, onde ela estava com a filha. Mesmo com o carro batido Sônia conseguiu fugir, mas Ribeiro não desistiu e as perseguiu até a casa onde elas moravam.

Quando as duas chegaram, Ribeiro não deu tempo para elas fecharem a casa. Ele invadiu a residência e começou a desferir golpes de faca na ex-companheira e em Sônia. O irmão da vítima, ao presenciar a cena, tentou salvar a mãe e a irmã. Ele atirou com uma espingarda calibre 22, mas não acertou o agressor.

Após o disparo, o irmão da vítima teria entrado em luta corporal com o agressor e acabou sendo lesionado no braço esquerdo. Mesmo assim, conseguiu tomar a faca de Ribeiro e desferiu alguns golpes para se defender e se desvencilhar do agressor.

Quando a Polícia Militar chegou no local, havia uma grande movimentação de populares e equipes de socorro. A equipe policial providenciou o isolamento da área e ajuda ao atendimento pré-hospitalar das vítimas.

A Polícia Civil e o Instituto Geral de Perícias também foram acionados. Thaís e Carlos já estavam mortos. Sônia foi levada para o Hospital Santa Cruz, passou por uma cirurgia e seguia na UTI até esta sexta-feira quando veio a falecer.