quarta-feira, junho 23, 2021

ACESSE NO 

Industry cativa ao mostrar bastidores do mundo das finanças na charmosa Londres

Últimas Notícias

Elenco jovem conquista pelo talento

 

 

 

TUDO DE SI


Não há nada de cativante e charmoso em um jovem imigrante morrer de exaustão depois de virar madrugadas trabalhando para entregar um material a contento para sua chefe de estágio em um dos mais conceituados bancos de investimentos de Londres. Essa imagem é a que choca logo no início de Industry, série da HBO recém-encerrada disponível na HBO GO. Trata-se da nova bem-sucedida empreitada de Lena Dunham, a idealizadora da inovadora Girls.

 

 

 

 

Lena parte desse prólogo traumatizante para mais uma vez mostrar a intimidade o mundo jovem sob um olhar despretensioso e, por isso mesmo, charmoso e cativante. Se em Girls eram os desejos e aspirações românticas que davam o tom, aqui é a aspiração profissional que fala mais alto. Os estagiários do banco são o foco. Curioso em um mundo em que os jovens demonstram cada vez menos interesse por carreiras bem-sucedidas este enfoque. Estes jovens idealizadores, no entanto, existem e não são poucos.

 

 

 

 

A série foca em Harper (Miha’la Herrold). Negra, rosto carismático e de espírito mais ou menos livre, ela encara o desafio de tentar uma vaga no Pierpont & Co. Não imaginava que o mundo corporativo fosse tão tóxico e competitivo. É esse choque que os jovens estagiários levam ao entrar nesse mundo que a série propõe expor. Já seria suficientemente interessante não quisesse Lena se aprofundar nas personalidades de seus protagonistas.

 

 

 

 

Da criatividade de quem já está entediado com o sexo (pesquisas apontam que jovens cada vez mais se desinteressam por sexo) até os complicados relacionamentos com os pais são abordados, assim com em Girls, de um modo desafetado e desinteressado, mas que permite concluirmos através de gestos e olhares. Em tempos de tantas séries óbvias nos idiotizando, não é pouca coisa.

Você perdeu renda por causa da pandemia?