Wilmar Sudoski e Cel Mario foram os que mais apresentaram projetos de lei na atual legislatura


Wilmar Sudoski (PSD), diplomado nesta quinta/Edinei Wassoaski/JMais

Projetos de autoria dos vereadores chegaram a 113 nesta legislatura

 

 

BALANÇO

Ainda há de serem analisados com maior acuro os motivos da derrota do vereador Cel Mario Erzinger (PL) na busca pela reeleição na Câmara de Vereadores de Canoinhas. De modo geral, sem desmerecer o esforço dos demais, ele é o que melhor entendeu, à risca, ao pé da letra, a função do vereador: legislar, fiscalizar e representar os anseios da coletividade.

 

 

Ao longo de quatro anos de gestão, ele foi, ao lado de Wilmar Sudoski (PSD), quem mais apresentou projetos de lei.

 

VEREADORPLsEMBARCOU
WILMAR SUDOSKI323
MARIO ERZINGER317
PAULINHO BASILIO276
NORMA PEREIRA217
CAMILA LIMA176
CÉLIO GALESKI133
ZENICI DREHER97
TELMA BLEY88
GIL BAIANO64
TOTAL113
Fonte: SAPL Câmara de Vereadores de Canoinhas

 

 

 

Somente no ano passado ele apresentou 340 requerimentos ao Executivo, que vão desde uma lâmpada queimada na via pública até o conserto de um bueiro na rua. Por apenas um projeto de diferença em relação ao recordista, Wilmar Sudoski (PSD) – reeleito, frise-se – Erzinger apresentou o segundo maior número de projetos de lei (veja tabela acima). Foram 31 ao longo da legislatura ante 32 de Sudoski. Aí cabe uma observação: como a tabela destaca, nem todos os projetos apresentados pelo vereador são ideias suas. Há os projetos de autoria coletiva, quando um vereador propõe e outros apenas assinam como forma de apoiá-lo. Gil Baiano (PL), por exemplo, assumiu somente em 2020 e embarcou em quatro projetos de colegas, apresentando, de fato, dois projetos de lei de sua autoria. Ambos concedem alvarás provisórios de táxi. Zenici Dreher (PL) também assumiu em 2020.

 

 

 

 

Erzinger é um dos que mais tempo ocupa nas sessões da Câmara. O que para muitos pode parecer discursos chatos, cheio de salamaleques introdutórios, se bem analisados traduzem a real função do vereador: estar atento a tudo que acontece na cidade e agir no momento que acha certo. Erzinger seguir à risca a regra dos bons modos, também. Quando extrapolou, como no caso da balaclava para defender o presidente, soube recuar no momento certo, muito embora resquícios dos danos tenham ficado. Evitou o confronto com quem quer que seja e procurou interagir constantemente no pantanoso terreno das redes sociais, onde manter a elegância (e a sanidade) são tarefas hercúleas.

 

 

 

 

Mesmo com uma boa estratégia de campanha, muito bem apresentada por meio de vídeos que retratavam a família perfeita, o que soa muito bem a um amplo público conservador, não deu. Como prêmio de consolação Erzinger deve assumir a Secretaria de Habitação.

 

 

 

 

Analiso detidamente o caso de Erzinger para tentar entender o que é relevante para o eleitor decidir quem vai e quem fica. Claro que outros vereadores – reeleitos no caso de Wilmar e Gil ou que simplesmente não se candidataram – também têm suas virtudes e defeitos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ZENICI

Zenici Dreher (PL) é outro caso que merece análise mais detida. Não dá pra negar que os três anos longe da Câmara fizeram a diferença, mas como explicar a reeleição de Gil Baiano (PL), que ficou o mesmo período longe da Câmara? Coisa que só a misteriosa cabeça do eleitor pode explicar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CONTAS

A diferença entre receita e despesa da campanha de Beto Passos (R$ 12 mil) representam gastos não mensuráveis, explica sua assessoria. É, por exemplo, o caso de um carro emprestado para executar funções de campanha.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CULTURA E ESPORTE

A professora Carolina Carvalho foi convidada para assumir a Fundação Municipal de Cultura. Com uma boa votação na disputa pela Câmara de Vereadores, Jocimar Jubanski deve continuar à frente da Fundação Municipal de Esportes de Canoinhas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

JET LEG

Beto Passos e Adelmo Alberti passaram por um dia de cão nesta quinta. Quando chegavam em Curitiba, o avião que os trazia de Brasília precisou voltar para São Paulo por causa do mau tempo. Acabaram dormindo em um hotel por poucas horas e tomaram outro voo, o que os fez atrasarem para a cerimônia de diplomação.

 

 

 

Os efeitos do cansaço foram sentidos. Sempre zeloso nas identificações, Passos chamou o vice-prefeito eleito de Bela Vista do Toldo de Alfredo Schiessl (é Dreher) e Alberti chamou o membro da Junta Eleitoral, o advogado Alcides Piermann Jr, de juiz.

 

 

 

 

 

 

 

RECURSOS

Passos e Alberti viajaram na companhia do vereador Célio Galeski (PSL). Na foto eles visitam o gabinete do senador Jorginho Mello (PL). ” Vamos em busca de mais auxílios de emendas parlamentares de deputados e senadores para cada vez mais fazermos melhorias em nosso município.” De concreto, no entanto, nada certo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

JUSTIÇA

Outro recurso, este judicial, foi peticionado pela oposição a Alberti para tentar anular sua eleição. Agora a juíza eleitoral Marilene Granemann de Mello terá de intimar os investigados para apresentar defesa em 24h. Depois desse prazo, as peças sobem para o relator no Tribunal Regional Eleitoral, que será votado pelos desembargadores do Tribunal.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Temos uma administração municipal totalmente destruída em Major Vieira”

do promotor eleitoral Renato Maia de Faria chamando os eleitos para a responsabilidade de reconstruir a administração majorvieirense

 

 

 

 

 

 

 

 

HOMENAGEM

Durante sessão extraordinária nesta quinta-feira, 17, a Assembleia Legislativa homenageou as igrejas evangélicas de Santa Catarina pelas contribuições à sociedade durante a pandemia de covid-19. Setenta e dois pastores receberam certificados em nome das igrejas pelo exercício da caridade, do atendimento a pessoas em situação de risco e pelo combate à depressão e dependência química.

 

 

 

 

 

 

 





Deixe seu comentário: