Volta às Aulas: ano letivo começa segunda para 600 mil alunos no estado

A secretaria da educação realiza melhorias como reformas e manutenção em escolas

 

O ano letivo para aproximadamente 600 mil alunos da rede estadual começa na próxima segunda-feira, 11. A Secretaria de Estado de Educação (SED) está trabalhando para elevar a qualidade de ensino ao patamar de países como Cingapura e Finlândia, fazendo de Santa Catarina uma referência na educação pública.

 


O secretário de Estado de Educação, Natalino Uggioni, tem como perspectiva, nos próximos anos, que as instituições públicas de ensino sejam ainda mais atrativas para um maior número de famílias. “Queremos que a escola pública do Estado de Santa Catarina se torne referência e, com isso, os próprios pais percebam que o nível de educação pública melhorou, que está no nível de expectativa deles”, projeta.

 

Para garantir que o começo dessa transformação ocorra bem, os preparativos foram intensos nas últimas semanas. Escolas passam por manutenção e reformas. O quadro de docentes em sala de aula foi reforçado com 911 novos professores efetivos para as disciplinas de Artes, Língua Portuguesa e Inglesa, Matemática, Geografia, História, Sociologia, Química, Filosofia e Educação Física.

 

Para finalizar, os profissionais da educação se reúnem durante toda esta semana para planejar e alinhar ações do primeiro semestre letivo. A formação é realizada para os mais de 40 mil professores, gestores e coordenadores, nas 1.073 escolas da rede estadual.

 

Na abertura da capacitação, Uggioni agradeceu o engajamento dos profissionais durante a preparação e pediu que esse entusiasmo seja mantido ao longo do ano. Segundo ele, o empenho de todos deve ter como foco o trabalho em sala de aula. “Nós não vamos medir esforços para que os professores tenham as melhores condições. Todos devem trabalhar por isso. Em troca, o professor deve ajudar a cuidar bem das escolas e zelar pela boa formação dos alunos. Quem paga por tudo é a sociedade e ela quer respostas, quer educação de qualidade”.

 

Professora de biologia do Instituto Estadual de Educação (IEE), em Florianópolis, Cintia Kaefer projeta um ano letivo com uma integração positiva entre professores, alunos, pais e todo o ambiente escolar. Tudo isso foi discutido nas capacitações promovidas pela SED. “É muito importante esse momento para a gente sentar com o corpo docente e toda a equipe pedagógica. Temos uma boa infraestrutura aqui, com muitos projetos”, avalia Cintia.

 

Da escola pública, a preparação para a vida

 

Enquanto o Governo do Estado trabalha para transformar a realidade da educação, ex-alunos da rede estadual de ensino são a prova de que um futuro próspero e feliz está ao alcance de todos, independentemente da condição financeira.

 

 

 

 

 

Desembargador do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, Altamiro de Oliveira passou no concurso para a magistratura há quase 30 anos. Mas a trajetória dele começou bem antes, nas salas de aula da Escola Antonieta de Barros e no Instituto Estadual de Educação, em Florianópolis.

 

“Estudar em escola pública nunca me prejudicou em nada, muito pelo contrário. Foram colégios que me prepararam muito bem para o vestibular e para a vida. A maioria dos meus colegas cursou ensino superior. São formados em Letras, Direito, Medicina. Também há engenheiros, bioquímicos, dentistas”, conta Oliveira.

 

O segredo, segundo ele, foi nunca negligenciar os estudos, mesmo precisando trabalhar fora desde cedo para ajudar na renda de casa. O pai acompanhava o dia a dia na escola e exigia que todos os filhos tivessem as lições de casa feitas antes de saírem para brincar. Nada disso impediu que Altamiro tivesse uma infância feliz, cultivando a paixão pelo futebol, pelo teatro e, mais tarde, pelo Direito. Ao mesmo tempo, em casa, ele e os irmãos competiam para ver quem tirava as melhores notas, disputa estimulada dentro da família. “Meus pais foram fundamentais”, reconhece.

 

“Hoje, com a tecnologia, o leque de opções é muito maior. O estudo dá uma bagagem para que você descubra o caminho que quer seguir. Para quem está começando o ano letivo agora, recomendo que tenha foco, estude e tenha sempre em mente os seus objetivos”, aconselha o magistrado.

 

O aluno de Brusque que virou CEO

 

Em outras cidades de Santa Catarina, histórias como a do desembargador também abundam, inclusive na iniciativa privada. O jovem empreendedor Tiago Vailati estudou todo o ensino fundamental na Escola Estadual Dom João Becker, em Brusque. Hoje é CEO de uma empresa de tecnologia que emprega 120 pessoas e atende a mais de 14 mil clientes em todo o país. “Nunca cheguei a ser o primeiro aluno da classe, mas nunca deixei de levar os estudos a sério. Hoje olho para trás e vejo que fiz muito bem”, lembra Vailati.

 

 

Enquanto estudava, ele conseguiu uma vaga de estágio em uma grande empresa de varejo na cidade. Ao passar por vários setores, aprendeu em todos e percebeu uma oportunidade de desenvolver softwarepara ajudar microempresários a dar os primeiros passos no comércio. Assim, criou uma empresa junto de dois colegas de trabalho e, hoje, já tem clientes em 1,8 mil municípios de todas as regiões do Brasil.

 

Segundo Vailati, muito do que aprendeu no ensino fundamental é importante hoje na gestão da empresa. Essas habilidades também são cobradas dos colaboradores, em especial a língua portuguesa e a matemática básica. “Eu diria que é muito importante ter um bom português. Como não temos contato físico com nossos clientes, o canal de comunicação é o e-mail. Por isso é fundamental ter bom vocabulário, saber se expressar bem e de forma correta”, conta o empreendedor. “E talvez não vamos ter que descobrir a raiz quadrada, o seno ou o cosseno todos os dias. Mas entender os conceitos e saber aplicá-los desenvolve o raciocínio lógico, algo que é muito importante para quem trabalha com tecnologia”, acrescenta.

 

O conselho dele para quem está se preparando para o início do ano letivo é levar os estudos a sério. “Minha sugestão é que extraia o máximo possível e se dedique, porque lá na frente pode fazer falta”, orienta.

Ensino médio com jornada ampliada



 

A rede estadual de ensino já oferece oportunidades para quem quer ir além das aulas regulares. Em todas as regiões catarinenses, há ampla oferta de jornada ampliada no ensino. As três opções são Ensino Médio Integral em Tempo Integral (EMITI), Inovador (EMI) e Integrado à Educação Profissional (EMIEP).

 

 

 

 

EMITI

O EMITI está disponível em 32 escolas de todas as regiões. O objetivo da modalidade é incentivar o protagonismo juvenil, em parceria com o Instituto Ayrton Senna e apoio do Instituto Natura.  De forma integrada à aprendizagem dos conteúdos de português, matemática, história, entre outros, também consegue incentivar os jovens a desenvolverem competências altamente valorizadas no mundo atual, como resolução de problemas, responsabilidade, comunicação, abertura para o novo e criatividade.

 

EMI

O Ensino Médio Inovador (EMI) é ofertado em 115 escolas e tem como objetivo oportunizar ao jovem a ampliação do tempo escolar com a inserção de atividades que tornem o currículo mais integrado e dinâmico, com conteúdos curriculares organizados a partir de um planejamento interdisciplinar. As atividades envolvem dimensões do trabalho, da ciência, da tecnologia e da cultura.

 

EMIEP

O Ensino Médio Integrado a Educação Profissional enfoca uma concepção de formação humana, tendo como base o trabalho como princípio educativo, a integração entre trabalho, ciência e cultura. A proposta é integrar as disciplinas técnicas às grandes áreas do conhecimento do Ensino Médio.

 

Mais recursos para o transporte escolar

 

Em 2019, o Governo do Estado repassará R$ 95,5 milhões para que os municípios arquem com os custos do transporte escolar dos alunos da rede estadual. O valor representa um incremento de quase R$ 8 milhões em relação ao ano passado.

 

 

 

 

Esse aumento é resultado de um acordo entre a SED, a Federação Catarinense de Municípios (Fecam) e a União dos Dirigentes Municipais de Educação de Santa Catarina (Undime/SC). “Mais uma vez tivemos agilidade neste processo e iniciaremos o ano letivo com os valores já definidos. A parceria entre SED e Fecam continua forte”, comenta o prefeito de Tubarão e presidente da Fecam, Joares Ponticelli.

 

O documento foi assinado por Uggioni, Ponticelli e o secretário Municipal da Educação de Águas Mornas e representante da Undime/SC, Mário Fernandes. Com os recursos adicionais, os 119 mil alunos da rede estadual que utilizam o transporte têm a garantia da continuidade do serviço e do acesso às escolas com segurança.

 

Escolas que não iniciam aula dia 11 de fevereiro:

RIO FORTUNA: início das aulas dia 12 juntamente com o município devido ao transporte escolar.

 

EEB Nossa Senhora de Fátima

IMARUÍ – devido ao transporte escolar (em licitação)

EEB Prof Luiz Felix Barreto
EEB Prof Eulina Heleodoro Barreto

 

JOSÉ BOITEUX – devido ao transporte escolar (em licitação)

EIEF Vanhecu Patte
EIEF Luzia Meiring Nunc Nfoonro
EIEB Laklano

 

SÃO JOSÉ – roçado (devido ao vendaval da sexta-feira, 1)

EEB Nossa Senhora da Conceição – Início das aulas previsto para dia 18/02

 

Deixe seu comentário: