Vídeo com Moisés violando quarentena complica um pouco mais sua situação


Reprodução

Governador pede diariamente aos catarinenses que fiquem em casa

 

 

 

MAIS FUNDO

Quando se achava que o governador Carlos Moisés (PSL) estava em uma situação complicada, ele consegue chafurdar um pouco mais a lama na qual se meteu. Um vídeo divulgado nas redes sociais neste domingo, 7, mostra o governador participando de uma festa junina em um hotel.

 

 

Desde o início da pandemia Moisés pede diariamente que as pessoas fiquem em casa.

 

 

 

Agora, além do constrangimento a prisão de seu ex-chefe da Casa Civil, Douglas Borba, o fim de semana traz para esta segunda semana de junho, a necessidade de uma explicação sobre sua presença em uma festa quando seu próprio governo viola a regra expressamente assinada por ele.

 

 

 

Os dois episódios vêm no momento em que Santa Catarina exibe o melhor desempenho do Brasil no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus. O reconhecimento está no Ranking Covid-19 dos Estados, divulgado na semana passada pelo Centro de Liderança Pública (CLP) em reportagem do jornal O Estado de S. Paulo. Santa Catarina avançou uma posição em relação à semana anterior, quando estava na vice-liderança.

 

 

 

Isso mostra a total falta de habilidade de  Moisés em governar. Quando o Estado parece estar vencendo o coronavírus, ele mesmo viola a regra que assinou. Até aqui, a compra dos 200 respiradores chineses, o escândalo maior, se mostrou um festival de trapalhadas. Até que se encontre dinheiro graúdo nas contas dos membros do governo envolvidos na operação Oxigênio, o que está parecendo é que o governo se deixou ser alvo de golpistas inescrupulosos. Merece ser punido, senão pela má intenção, pela simploriedade em se deixar enganar tão primariamente.

 

 

 

 

 

 

 

A utilização de práticas ocultas num momento como este se mostra mais perversa do que em um momento de normalidade”

de Alexandre Graziontin, promotor de Justiça e coordenador do Gaeco sobre o que já se apurou na Operação Oxigênio

 

 

 

 

 

 

FECHA O CERCO

Após as prisões deste final de semana, o relator da “CPI dos Respiradores”, na Assembleia Legislativa do Estado de SC, deputado Ivan Naatz, disse que vai convocar o governador Carlos Moisés para depor. Esse pedido deverá ser formalizado aos demais membros da CPI nesta terça-feira (9). “Ele (governador) precisa falar com Santa Catarina. Não dá pra ficar no sofá num momento como este acreditando que não é com ele”, afirmou o parlamentar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PRA PENSAR

No mesmo fim de semana em que o governador se divertia na festa junina do hotel, policiais militares atendiam a denúncia de aglomeração de seis pessoas no Loteamento Santa Cruz, em Canoinhas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SUSPEITA

Sem dar nomes aos bois, o promotor Alexandre Graziontin disse em entrevista ao Bom Dia Santa Catarina de hoje que no mesmo dia houve depósito de R$ 30 mil na conta de uma pessoa e R$ 2 milhões na conta de outro investigado na Operação Oxigênio.

 

 

 

 

 

NA TRINCHEIRA

O cel Mario Erzinger (PL) publicou carta em seu perfil no Facebook dizendo que respeita o contraditório em relação a sua fala na semana passada na sessão virtual da Câmara de Canoinhas – “Talvez eu tenha de usar minha balaclava” – se referindo a possibilidade de os protestos antigoverno Bolsonaro chegarem a Canoinhas.

 

 

 

“Canoinhas tem uma população ordeira em sua maioria e todas as manifestações que aqui ocorreram foram pacíficas, claro sempre com o olhar vigilante dos órgãos de segurança, pois em uma delas, foi abortada a tentativa de subverter a ordem por marginais infiltrados”, disse sem detalhar o episódio.

 

 

 

Lembrando que é da reserva da Polícia Militar, afirmou que “colocarei com orgulho minha farda e todos os meus equipamentos, para defender a liberdade, a democracia e a soberania do meu país, da minha e da sua família e de todos aqueles que querem um Brasil melhor.”

 

 

 

 

 

 

 

FERRAMENTA

Uma ferramenta criada no Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES) capaz de mapear e avaliar risco potencial do esgotamento dos serviços de saúde de regiões específicas durante a pandemia da covid-19 foi disponibilizada aos municípios catarinenses nesta segunda-feira, 8. A avaliação servirá como base para identificar prioridades de investimento hospitalar em Santa Catarina, orientar ações municipais e diagnosticar, por meio de indicadores, quais regiões podem ter maior flexibilização de medidas emergenciais durante o novo coronavírus.

 

 

 

 

 

 

1,2 milhão

de pedidos de benefícios do INSS foram recusados entre janeiro e março deste ano

 

 

 

 

 

 

LIDERANÇA

Reportagem do jornal The New York Times mostra que os quatro grandes países onde os casos de coronavírus aumentaram com mais velocidade nas últimas semanas são Brasil, Estados Unidos, Rússia e Grã-Bretanha. E eles têm algo em comum. Todos eles são dirigidos por homens populistas que se consideram antielite e antiestablishment.

 

 

 

Os quatro líderes – Jair Bolsonaro, Donald Trump, Vladimir Putin e Boris Johnson – também têm muitas diferenças, claro, assim como seus países. No entanto, todos os quatro são versões daquilo que Daniel Ziblatt, professor de Harvard e coautor do livro Como as democracias morrem, chama de “populismo radical iliberal de direita”.





Deixe seu comentário: