Vereadores querem saber que fim deu projeto de venda de madeira da Flona de Três Barras


Divulgação

WestRock venceu concorrência para elaborar estudo, mas desistiu da concessão

 

 

 

FLONA

A pandemia travou um dos projetos mais ambiciosos do Governo Federal na região: a Concessão Florestal e de Serviços da Floresta Nacional (Flona) de Três Barras. O edital para a realização de estudos de viabilidade econômica para a Concessão Florestal e de Serviços na Unidade foi lançado em setembro do ano passado. Em novembro, a WestRock se credenciou para tanto. A multinacional declinou da concessão, no entanto, no final do ano passado. Desde então, o plano ficou parado.

 

 

 

Após concluídos e apresentados estudos a serem procedidos por quem for credenciado para tanto, deve ser aberta licitação para que empresas apresentem propostas para o manejo florestal e a concessão de serviços na Flona.

 

 

 

 

A falta de informações a respeito foi levantada pelo vereador Cel Mario Erzinger (PSL), que apresentou requerimento a ser entregue ao Ministério do Meio Ambiente para saber em que pé está o projeto.

 

 

 

 

Este plano é inédito fora da Amazônia e servirá como um programa piloto para florestas semelhantes à Flona de Três Barras em todo o Brasil.

 

 

 

 

 

Coordenador da Flona de Três Barras, Carlos José Ribeiro da Silva, disse em entrevista em setembro ao JMais, que “quando falamos em manejo florestal na Flona nos referimos tanto aos plantios exóticos (pinus), quanto aos plantios nativos (araucária). Também haverá a possibilidade de manejo em alguns remanescentes de mata nativa no interior da Unidade. Para os plantios exóticos (pinus) pretende-se o corte raso com a posterior recuperação ambiental destas áreas. Para os plantios de araucária pretende-se o desbaste embasado em estudos científicos. Já para os fragmentos nativos pretende-se o uso múltiplo da floresta, com aproveitamento de produtos madeiráveis e não-madeiráveis”.

 

 

 

 

Nesta terça, Carlos disse à coluna que será feita uma nova modelagem de concessão para 2021.

 

 

 

 

A WestRock confirma que participou do edital para a realização de estudos de viabilidade técnica econômica e financeira para a concessão de exploração de produtos madeireiros, não madeireiros e serviços na Floresta Nacional de Três Barras (Flona). No entanto, após avaliar o protocolo proposto, a empresa declinou de seu interesse.

 

 

 

 

 

 

 

“Gostaríamos que pelo menos uma parte ficasse aqui em Canoinhas”

Do vereador Paulo Glinski (PSD) sobre os dividendos que devem render a exploração da Flona de Três Barras

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CUMULATIVO

O Tribunal de Contas do Estado viu acumulação de cargos por parte da contadora da Câmara de Vereadores de Canoinhas, Morgana Lessak, ao assumir, também, o cargo de diretora executiva do Instituto de Previdência do Município (ICPrev). Prefeito Beto Passos (PSD) foi multado em R$ 1.136,52 pela irregularidade. Cabe recurso.

 

 

 

 

 

 

“Somos uma caixa de ressonância da comunidade e eu, pelo jeito, tenho sido uma caixa bem incomodativa”

do vereador Paulinho Basilio (MDB), cutucando a administração municipal

 

 

 

 

 

 

 

 

DOIS PESOS, DUAS MEDIDAS

A VERSÃO ORIGINAL DESTA NOTA CONTÉM ERROS CORRIGIDOS ÀS 15h DE 14/7/20

Vereador tresbarrense Marco Antonio de Souza (MDB) está questionando o Município sobre a prestadora de serviços médicos que trabalha exclusivamente no combate ao coronavírus no Centro de Triagem de Três Barras. Segundo ele, na semana passada recebeu o documento da licitação ocorrida em Canoinhas na qual a mesma empresa oferece valores menores aos que estão sendo praticados com Três Barras. O contrato foi renovado neste mês de julho por mais três meses sem necessidade de licitação, conforme prevê o decreto de situação de emergência.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PA

Causou estranheza em quem leu atentamente a notícia da terceira morte por covid-19 em Canoinhas a informação de que o homem teria morrido no Pronto Atendimento e não na ala covid-19, onde devem estar internados, em isolamento, os casos de detectados com a doença. Ocorre que, segundo a secretária de Saúde Kátia Oliskovicz, o homem sofria de trombose e como não há médico especialista pelo SUS em Canoinhas o paciente aguardava transferência para hospital de referência quando morreu.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PREOCUPAÇÃO

A preocupação com o avanço do coronavírus e a indignação com a falta de apoio por parte do governo catarinense pautou a reunião dos prefeitos da Associação dos Municípios da Região Lagunar (Amurel), nesta segunda-feira, 13. A deputada estadual Ada Faraco de Luca (MDB) participou do encontro, realizado em ambiente virtual.

 

 

 

Ada reconheceu o esforço dos prefeitos e questionou as falhas do governo. “Sinto que nós estamos navegando em um mar revolto, em um navio sem comandante”, disse. A deputada afirmou que não é contra o governador. “Eu não sou é cega. O que nós queremos é resultado”, completou. “Essa inércia está irritando a todos. Parece que é brincadeira. Já era para estar tudo pronto há dois meses e meio atrás. Todo mundo sabia que a situação iria piorar no inverno”, lamentou.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

RESPIRADORES

Há três meses o governo de SC prometeu equipar 28 leitos de UTI no Hospital Santa Cruz de Canoinhas. Nada do prometido foi cumprido até agora.

 

 

 

 

 

 

 

60%

foi o percentual de redução no número de sanções dadas pelo Ibama por agressão ao meio ambiente no último ano

 

 

 

 

 

 

 

TCE

O Tribunal de Contas Estadual de Santa Catarina baixou uma norma retirando os conselheiros técnicos (os concursados) da relatoria de casos que envolvam autoridades políticas, como governador, vice e deputados estaduais. Apenas os conselheiros de nomeação política poderão analisar os seus casos. A informação é da coluna Painel, da Folha de S.Paulo.

 

 

 

O TCE-SC integra a força-tarefa que investiga suspeitas de fraudes na compra de ventiladores pulmonares pelo governo catarinense durante a pandemia do novo coronavírus. O ex-secretário estadual da Casa Civil, Douglas Borba, chegou a ser preso no mês passado.

 

 

 

 

 

 

 

 

28%

foi o aumento no número de pedidos de seguro-desemprego em junho

 

 





Deixe seu comentário: