Vereador do PL critica ausência do prefeito Beto Passos em evento protagonizado por Jorginho Mello


Coronel Mário. Sérgio Teixeira da Silva /Divulgação

Episódio marca de vez cisão entre o prefeito e o partido até então aliado

 

 

 

CORREÇÃO: ATÉ AS 13H DE 26-11-19 A COLUNA INFORMOU INCORRETAMENTE QUE A CRÍTICA FOI À AUSÊNCIA DE PASSOS DE UM EVENTO DO PL. LEIA O TEXTO CORRIGIDO ABAIXO 

 

 

FORA DO CÍRCULO

Vereador Cel Mario Erzinger (PL) criticou a ausência do prefeito Beto Passos (PSD) em evento para entrega de recursos para a compra de um mamógrafo para o Hospital Santa Cruz no final de semana por parte do senador Jorginho Mello (PL). Erzinger disse que entende que o prefeito tenha outros compromissos, mas lamentou a ausência sem justificativa. “Fiquei um pouco triste, talvez até decepcionado com a ausência do prefeito neste evento. Nós sabemos da agenda do prefeito, com certeza deve ter tido um compromisso inadiável, mas até me desculpei junto ao senador, ele me questionou três vezes sobre a presença do prefeito em um evento tão importante e ficou um pouco sentido em função disso. Até mesmo porque o senador, quando então deputado federal, encaminhou muitos recursos para Canoinhas”, disse.

 

 

 

Por trás do episódio está o esgarçamento da já combalida relação entre o prefeito e seu vice, Renato Pike, líder inconteste do PL. Pike já está conformado com o fim da relação, tanto é que já articula o partido para mudar de rumo. Teme o inevitável: deve perder figuras de peso que aglutinou a duras penas para a última eleição, a exemplo de Zenici Dreher e Célio Galeski, que devem seguir o rumo de Beto Passos. Galeski, como a coluna já revelou, estuda inclusive trocar de partido ao gosto de Passos a fim de se cacifar para ser seu vice.

 

 

 

Passos, apesar dos gestos, mantém-se em silêncio. Não confirma nem desconfirma que a relação política com Pike chegou ao fim. Quer esticar até onde puder a corda da gestão eficiente para não deixar o debate político contaminar sua agenda.

 

 

 

 

MAIS ASFALTO

A entrega de ordem de serviço início das pavimentações nas ruas José Samuel Schimidt, Cel Januário de Assis Côrte, Henrique Sorg, Curitibanos, Alfredo Maier e João Sabatke ontem foi mais um passo importante para Passos consolidar sua campanha à reeleição, que deve focar em dois pontos principais: mais asfalto e menos poeira e valorização do servidor público, com a aprovação do generoso novo estatuto da categoria.

 

 

 

 

 

 

 

 

PEDRAS NO SAPATO

Passos já sabe que terá dois pontos contraditórios do seu discurso de gestão eficiente a combater: a presença de Edmilson Verka no seu governo e a rumorosa presença do ex-secretário da mesma pasta administrada agora por Verka no processo licitatório para pavimentação de 12 ruas.

 

 

 

 

 

 

 

COOPERATIVA

A Câmara de Canoinhas aprecia nesta terça-feira, 26, projeto de lei que Declara de utilidade pública a Cooperativa Cooperceasa Ouro Verde.

 

 

 

Outro projeto a ser apreciado hoje autoriza a doação de materiais de informática inservíveis e não aproveitados ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina – Campus Canoinhas.

 

 

 

 

 

 

 

 

COBRANÇA POR MELHORIA

O Município encaminhou à Câmara de Canoinhas projeto de lei que permite a cobrança aos moradores por melhoria em ruas da cidade. É a chamada contribuição por melhoria. O projeto prevê asfaltamento em 20 ruas do Município subsidiados com recursos dos moradores, não que necessariamente todos sejam feitos neste governo. Trata-se apenas de uma autorização da Câmara para a cobrança.

 

 

 

 

 

 

 

ELETRÔNICA

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deve permitir hoje que a coleta de apoiamentos de eleitores para a criação de um partido seja feita por assinatura eletrônica, mediante certificação digital, segundo dois ministros ouvidos pelo jornal O Globo. O caminho livre para esse mecanismo, no entanto, não deve resolver o problema do presidente Jair Bolsonaro para criar o Aliança pelo Brasil a tempo das eleições de 2020. Isso porque seus apoiadores desistiram desse sistema por considerá-lo inviável pelo preço. O plano B da sigla de Bolsonaro, o uso da biometria para validar os apoios, também está longe de virar realidade. Reservadamente, ministros duvidam que a Corte autorize a nova regra.

 

 

 

 

 

 

 

PLÁGIO

O suposto plágio na sentença sobre o caso do sítio de Atibaia (SP) na primeira instância deve ser analisado nos votos dos juízes do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF 4) que vão julgar nesta quarta-feira, 27, apelação do ex-presidente Lula.

 

 

 

Os advogados do petista incluíram entre seus argumentos na segunda instância a suposta nulidade da sentença por causa de trechos que se assemelham a decisões proferidas pelo ex-juiz Sergio Moro. A condenação no caso do sítio, com pena fixada para Lula em 12 anos e 11 meses de prisão, foi proferida  em fevereiro pela juíza natural de São Mateus do Sul, Gabriela Hardt, que substituiu o magistrado interinamente.

 

 

 

 

 

 

 

 

“O governo tem dois lados: tem um lado sombrio e tem um outro que é iluminado. O lado sombrio tem feito muito estripulia, mas não tem conseguido atrapalhar de forma eficiente o lado iluminado. Mas o lado iluminado precisa dessa compreensão de que precisamos mobilizar os recursos para produzir o desenvolvimento do Brasil.”

do ex-ministro da Fazenda, Delfim Neto

 

 

 

 

 

 

 

 

BORNHAUSEN

O ex-senador catarinense Jorge Bornhausen está articulando a viabilidade de candidatura de Luciano Huck à presidência. Na chapa dos sonhos de Bornhausen está como vice o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite.

 

 

 

 

 

 

 

R$ 240 mil

foi quanto custou a campanha de Fátima Alves pelo DEM do Acre para a Câmara Federal, maior custo-benefício da eleição 2018. Ela recebeu apenas seis votos





Deixe seu comentário: