quinta-feira, 23

de

setembro

de

2021

ACESSE NO 

Vacinação contra covid deve começar pela capitais na 4ª feira e Câmara dos EUA aprova pela 2ª vez impeachment de Trump, em destaque nesta quinta

Últimas Notícias

- Ads -

Quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

 

 

 

O Globo

 

 

Manchete: Vacinação deve começar pela capitais na 4ª feira

Mas Saúde diz ao STF não ter estoque de seringas e agulhas

A imunização dos brasileiros contra a Covid-19 deve começar na quarta-feira, dia 20, segundo previsão do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. No próximo sábado, um avião chegará da Índia com 2 milhões de doses da vacina da Universidade de Oxford/AstraZeneca. De acordo com o planejamento, a vacinação terá início pelas capitais. Em resposta ao Supremo Tribunal Federal, o Ministério da Saúde informou que não tem estoques de seringas e agulhas porque isso seria competência de estados e municípios. PÁGINA 8

 

 

 

  • Bolsonaro freou combate ao vírus, afirma Human Rights Watch
  • Pandemia em alta leva Justiça a suspender Enem no Amazonas
  • Prefeitura do Rio cria novas regras contra aglomerações
  • Obituário – Dom Eusébio Schei, aos 88 anos
  • Prefeito de Goiânia morre de covid
  • Montadoras rebatem crítica de Bolsonaro
  • Presidente ameaça demitir executivo à frente do BB
  • Câmara declara impeachment de Trump pela 2ª vez

 


 

 

Folha de S. Paulo

 

 

Manchete: Trump é impedido pela segunda vez

Com aval de dez republicanos, Câmara aprova processo contra presidente, acusado de insuflarinsurreição; ação vai ao Senado

Donald Trump se tornou ontem, a uma semana do fim de seu mandato, o primeiro presidente dos EUA a ter dois impeachments aprovados na Câmara. Desta vez, houve dez republicanos entre os 232 votos a favor da destituição. Ele é acusado de insuflar uma insurreição contra o governo depois de estimular simpatizantes a marchar ao Capitólio em 6 de janeiro, quando ocorreu a sessão para confirmar a vitória de Joe Biden. A ação segue agora para o Senado, que o inocentou em 2019. É necessário o aval de dois terços da Casa (67 de 100 senadores). Ainda não há data para o julgamento, mas é improvável que ocorra até a posse de Biden, no dia 20. Mesmo com Trump fora da Casa Branca, o processo deve continuar, com o objetivo de retirar direitos políticos e impedi-lo de voltar a se candidatar. Após a aprovação, ele pediu união, mas não mencionou o processo. MundoA8

 

 

  • Hospitalizações sobem 19% nas últimas duas semanas em São Paulo
  • Saúde planeja vacinação no dia 19; Doria quer começar já no 17
  • Empresários sugerem dar vacina ao SUS para usá-la
  • Dois milhões de doses da Oxford/AstraZeneca chegarão no sábado
  • Indonésia começa a imunizar contra Covid com a Coronavac
  • Força-tarefa faz jornada dupla em análise de uso emergencial
  • Bolsonaro tenta sabotar medidas contra vírus, diz relatório da ONG
  • Morre Maguito Vilela, prefeito de Goiânia, vítima do coronavírus
  • Bolsonaro ameaça demitir presidente do BB após plano
  • Lobo-Guará empaca, e apenas 12,7% das notas de R$ 200 circulam
  • Israel lança maior ataque em dez anos contra Síria

 

 


 

 O Estado de S. Paulo

 

 

Manchete: Câmara dos EUA aprova pela 2ª vez impeachment de Trump

Decisão é inédita na história do país e teve apoio de republicanos, mas o Senado não deve afastar o presidente

Pela primeira vez na história dos EUA, a Câmara aprovou o segundo impeachment de um presidente no exercício do mandato. Por 232 votos a 197, deputados decidiram pelo afastamento de Donald Trump. Dez republicanos, partido do presidente, votaram a favor da condenação e cinco se abstiveram. No primeiro processo, em 2019, nenhum correligionário apoiou a proposta. Trump, porém, não deve perder o cargo a uma semana de deixar a Casa Branca. O Senado, que detém o poder para afastálo, está em recesso até o dia 19, um dia antes da posse de Joe Biden, e não deve ser convocado. No processo, os democratas citaram a recusa de Trump em aceitar a derrota nas eleições e sua tentativa de deslegitimar a vitória de Biden como a semente para a insurreição do dia 6, que deixou 5 mortos. A acusação de incitação à insurreição é a mais grave apresentada contra um presidente nos EUA. INTERNACIONAL / PÁGS. A8 e A9

 

 

 

  • Bolsonaro quer demitir o presidente do Banco do Brasil
  • Ajuda de matrizes a montadoras no País soma US$ 69 bi
  • Governo planeja iniciar vacinação na terça-feira
  • Projeto dá às PMs fiscalização sobre segurança privada
  • SP decide que alunos terão 1/3 de aulas presenciais
  • Maguito Vilela, prefeito de Goiânia, morre de covid
  • Bolsonaro polariza disputa no Congresso
  • Mourão rebate Macron sobre soja brasileira
  • Itália inicia julgamento de 350 mafiosos