UPA e hospital são pautas de reuniões na prefeitura de Canoinhas

Priscila Noernberg /DIvulgação

Qualidade dos serviços oferecidos e valorização dos profissionais que atuam na urgência e emergência foram assuntos debatidos

 

 

A sexta-feira, 5, foi de avaliação dos serviços de saúde oferecidos à população canoinhense pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e pelo Hospital Santa Cruz de Canoinhas. “Há um ano nos reuníamos com os profissionais da UPA para tratar sobre o atendimento realizado na unidade. Hoje sentamos para avaliar tudo o que ocorreu neste ano e em especial no feriado de Natal e Ano Novo”, comenta o prefeito Beto Passos. Em 2017, o Município voltou a administrar a UPA, que recebe mais de 20 mil pessoas todos os meses. “Além de economizarmos, percebemos que houve melhoria no atendimento e é por isso que também agradecemos aos profissionais que lá estão, especialmente por zelarem pela saúde da nossa gente”, afirma o vice-prefeito Renato Pike.

 


 

Participaram deste encontro profissionais da UPA, a secretária Alexandra LavinaIglikowski, o vice-prefeito Renato Pike, o presidente da Câmara, Mario Renato Erzinger, e a vereadora e futura secretária da Saúde ZeniciDreherHerbst. Além dos avanços conquistados em 2017, também foram discutidas as demandas para 2018. “Tratamos ainda sobre o interesse que a gestão tem em rever o regime de quem trabalha na UPA valorizando os profissionais que atuam na rede de urgência e emergência”, afirma Zenici.

 



 

Ainda nesta sexta, reunião com a diretoria do Hospital Santa Cruz (HSC) e secretaria da Saúde tratou sobre o fluxo de atendimento na unidade. O prefeito Beto Passos apresentou à direção dados sobre recursos que já estão disponíveis e que serão usados para mutirões de consultas com especialistas, para manutenção do hospital e para fazer andar a fila de exames represados desde 2010. “Estes mutirões serão realizados este ano. As pessoas não podem viver mais com dor. Já fizemos 177 cirurgias eletivas em 2017 e agora vamos trabalhar para dar conta dos exames e consultas. De 2010 a 2016, 4.497 pessoas estão na fila de espera por exames”, expõe o prefeito.

 

 

O encontro debateu ainda o Plano Operativo do HSC que está sendo elaborado pela Secretaria de Saúde e pela diretoria do hospital.

Deixe seu comentário: