Tentativa de defenestrar a “nova política” bateu na trave na Alesc


Daniela Reinehr acompanha sessão do impeachment/Divulgação

Daniela Reinehr governadora era tudo que a Assembleia não queria

 

 

INEDITISMO

Julio Garcia estava certo de que amanheceria governador interino neste sábado, 24. Não deu. Foi engolido pelos fatos. Era forçado demais pedir a cabeça de Daniela Reinehr (sem partido) no processo de impeachment que segue agora só com Carlos Moisés (PSL). Pela maioria dos deputados estaduais estava tudo certo, mas faltou combinar com o Sargento Lima e, principalmente, com o Judiciário.

 

 

 

 

Se governador e vice fossem afastados teríamos um ineditismo na história da política catarinense. Com Daniela governadora interina temos outro ineditismo.

 

 

 

 

Daniela foi salva porque uma análise ponderada, como a feita pelos membros do Judiciário, constatava que ela pode ser acusada de muitas coisas, mas não de corroborar com o aumento (que de fato nem se concretizou) aos procuradores do Estado. Os deputados forçaram e o Judiciário, que nada ganha com troca de governos, brecou.

 

 

 

Agora, o Estado tem uma governadora ainda mais sem noção das atribuições do cargo do que o próprio Moisés. Salvo engano, tem tudo para afundar o Estado em um espiral de achismos e, o pior, de ideologias. Bolsonarista de cruz na testa, Daniela é fundamentalista. Basta um breve passeio por seu feed pra ver o quanto idolatra o presidente que receita Cloroquina e relativiza a vacina contra covid.

 

 

 

 

O que se resume disso tudo é que a Assembleia Legislativa mirou um trem e acertou um bonde. Moisés sai de cena (pode voltar na segunda votação, nada é certo neste momento) e entra o radicalismo do bolsonarismo raiz. Que Deus abençôe Santa Catarina.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PELAS REDES

 

Ivan Krauss (PRTB) registrou sua participação em reunião a convite da Associação de Moradores do Alto a Tijuca (Amat). “Presidente da Amat, Fernando, com termo de compromisso de melhorias do Bairro Alto da Tijuca assinado por Dr Ivan Krauss e Prof Patricia, candidatos a prefeitura de Canoinhas”, postou.

 

 

 

 

 

Beto Passos (PSD) se uniu ao seu vice Renato Pike (PL) para convidar a população a participar de um passeio ciclístico marcado para este sábado, 24. “Convide a sua família, os amigos e participe do passeio ciclístico.  A concentração vai ser na Praça Abraão Mussi, na Rua Major Vieira. Vamos demonstrar todo amor, carinho e respeito pela nossa terra e pela nossa gente!” O passeio aconteceu pela manhã.

 

 

 

 

 

 

 

 

Já Norma Pereira (PSDB) registrou mais visitas a distritos e localidades. “Ontem passamos em algumas casas em Marcílio Dias, onde fomos muito bem recebidos. Explicamos nossas ideias e também ouvimos as necessidades dos moradores. Em breve voltaremos para mais visitas nesse bairro tão lindo do nosso município. Esperamos conseguir visitar todos, mas se acaso não der tempo, nossa equipe está tão engajada quanto nós e deverá chegar até você.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SEM PROGRAMA

 

O direito de resposta concedido pela Justiça Eleitoral a Beto Passos (PSD) neste sábado, 24, se refere exclusivamente às inserções da coligação de Norma e não ao programa eleitoral da candidata, conforme consta na sentença. A dúvida foi esclarecida conforme consulta feita pela coligação de Norma.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ANIMADO

Paulinho Basilio (MDB) segue animado com a possibilidade de debater com seus pares nas outras duas coligações. Ele foi o único que confirmou intenção de participar, o que tornou o evento inviável.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DEFERIDO

Depois de passar um período de tormento com o pedido de impugnação de sua candidatura, o candidato a vereador pelo PSD, Nilson Cochask, respirou aliviado neste sábado, 24. Ele teve o pedido de impugnação negado e, portanto, o registro de candidatura deferido. Até terça-feira, 28, todos os pedidos de registro de candidatura devem estar julgados. “Com efeito, não há prova hábil, a cargo do impugnante, que ampare a alegação de que o impugnado se desincompatibilizou de direito, mas não de fato”, registrou a juíza eleitoral Marilene Granemann de Mello. A acusação da coligação de Norma Pereira era de que ele havia se descompatilizado de fato, mas não de direito da Secretaria de Obras.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CHUMBO TROCADO

No mesmo dia em que teve de dar direito de resposta à coligação de Beto Passos (PSD), a coligação de Norma Pereira (PSDB) entrou com representação contra o adversário alegando que “os representados veicularam em propaganda para eleição majoritária mídia em desacordo com a Legislação Eleitoral, sem divulgar os partidos que formam a coligação, o nome e o número dos candidatos.” A juíza eleitoral Marilene Granemann de Mello julgou improcedente o pedido porque “a considerar que os representados adotaram as providências tendentes à regularização das propagandas, de modo a evitar transmissões sem a denominação da coligação e dos partidos integrantes, demonstrando isso em mídia que acompanha a defesa, é certo que a demanda esvaziou o seu objeto.”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ENSAIO

Neste sábado, 24, a produção dos debates com os candidatos a prefeito de Major Vieira e Bela Vista do Toldo fez uma simulação em tempo real dos programas que serão transmitidos ao vivo na quinta-feira, 29 (Bela Vista do Toldo) e na sexta-feira, 30 (Major Vieira). Três voluntários representaram os candidatos. O debate será mediado pelo editor do JMais, promotor dos eventos, Edinei Wassoaski.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PÚBLICO

A partir de segunda-feira, 26, o JMais abrirá canais de comunicação para que os eleitores mandem perguntas aos candidatos de Bela Vista do Toldo e Major Vieira. As perguntas serão selecionadas por uma comissão formada por membros da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) subseção de Canoinhas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

RECORDE

O aplicativo Pardal registrou até o momento 2.788 denúncias de propaganda eleitoral irregular ou ilegal em Santa Catarina, relativas ao período eleitoral de 2020. As três principais irregularidades acusadas pelos cidadãos catarinenses envolvem a utilização de placas, carros plotados e carros de som.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FISCAL

O objetivo do Pardal, criado pelo TSE, é incentivar os cidadãos a atuarem como fiscais da eleição no combate à propaganda eleitoral irregular e ilegal. O aplicativo possibilita informar as irregularidades em tempo real. Após baixar a ferramenta, o cidadão poderá fazer fotos ou vídeos e enviá-los para a Justiça Eleitoral.

 

 

 

 

 

Entre as situações que podem ser denunciadas estão o registro de uma propaganda irregular, como a existência de um outdoor de candidato – o que é proibido pela legislação –, e propagandas em bens públicos ou de acesso ao público como escolas, igrejas, parques, lojas, restaurantes, bares, etc.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PARCIAL

Domingo, 25, é o fim do prazo para que candidatos e partidos políticos enviem à Justiça Eleitoral a prestação de contas parcial referente às Eleições Municipais 2020. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) alerta sobre a importância de envio dos dados antecipados para não haver sobrecarga no sistema.

 

 

 

 

Todos os diretórios partidários e candidatos, independentemente de estarem com o registro deferido ou não, deverão encaminhar a prestação de contas parcial por meio do Sistema de Prestação de Contas Eleitorais (SPCE).

 

 

 

 

 

 

 

 

 





Deixe seu comentário: