Silêncio na Floresta é boa adaptação da literatura para a Netflix


Netflix/Divulgação

Série baseada em popular livro do autor best-seller Harlan Coben tem problemas de ritmo, mas entrete

 

 

 

MISTÉRIO

Já escrevi outras vezes sobre o quanto os serviços de streaming contribuem para tomarmos contato com o de melhor se produz no mundo. Silêncio na Floresta é mais um bom exemplo. Produção polonesa baseada em best-seller de Harlan Coben, a série tem apenas seis episódios, mas poderia ter quatro. Apesar de arrastada em determinados momentos, com longos closes do protagonista Pawel Kopinski (Grzegorz Damiecki), a trama é interessante.

 

 

 

 

Alternando em duas realidades, 1994, quando quatro jovens desaparecem em uma floresta próxima a um acampamento, e 25 anos depois, quando o aparecimento de um dos dois que jamais foram encontrados mexe com as lembranças do protagonista. Pawel é um promotor de Justiça que é chamado para reconhecer o corpo do rapaz. Dali brotam as lembranças de um passado mal resolvido. Uma das desaparecidas é irmã de Pawel.

 

 

 

Com uma vida marcada por tragédias – além da irmã desaparecida, a mãe também sumiu e a esposa morreu de câncer, deixando ele com uma filha pequena – Pawel vê a chance de solucionar o mistério que envolve o desaparecimento da irmã.

 

 

 

Conseguindo manter o mistério seguindo a clássica cartilha de soltar pequenas pistas ao longo da trama, Silêncio na Floresta é, sobretudo, uma boa chance de conhecermos como outras culturas  desenvolvem tramas de mistério e suspense. Passa longe de apresentar uma nova versão para a surrada visão estadunidense do gênero, mas, tem nas atuações, cenários e fotografia um fator que o diferencia do que estamos acostumados a ver.





Deixe seu comentário: