segunda-feira, 15

de

agosto

de

2022

ACESSE NO 

Secretário se irrita com pergunta do JMais sobre SC-477

Últimas Notícias

- Ads -

Ele disse ao repórter que ele precisaria estudar administração

IRRITADO

O secretário de Estado da Infraestrutura de Santa Catarina, Thiago Vieira, se irritou com uma pergunta do JMais sobre a SC-477. Este colunista gravava a entrevista coletiva com o governador Carlos Moisés (Republicanos), quando o questionou sobre o porque da demora em se lançar a licitação considerando que o projeto de recuperação foi concluído em dezembro de 2021. Moisés chamou Thiago, que o acompanhava, e pediu que ele respondesse a questão. O secretário explicou que seis meses eram irrelevantes diante de 30 anos de espera pela obra.

Ao ser lembrado que ele mesmo havia gravado o vídeo que pode ser visto abaixo prometendo a licitação para abril, Thiago tergiversou.

Depois de encerrada a entrevista, quando me aproximei do secretário ele se mostrou bastante exaltado sugerindo que a pergunta foi tendenciosa e que serviria apenas para desestabilizá-lo. A fala, que foi gravada, mostra Thiago subindo o tom afirmando que o repórter deveria estudar administração para entender os meandros de um processo como o da SC-477 e usou a entrevista com o governador como exemplo de falta de planejamento. A assessoria de Moisés remarcou por pelo menos três vezes a coletiva de imprensa. Mesmo definindo 18h45 como horário de atendimento à imprensa, acabou de fato chegando às 20 horas no local da entrevista. “Veja essa reunião, que horas foi marcada? E que horas aconteceu? É um exemplo de que nem sempre dá certo”, exemplificou.




BEM-HUMORADO

Ao contrário de Thiago, o governador se mostrou bem-humorado e, embora tenha tergiversado e se esforçado para defender o legado do seu primeiro ano de governo, não fugiu das perguntas, até mesmo da que o questionou sobre quem será seu candidato a vice. Deixou claro que o nome deve vir mesmo do MDB.




SEGUE O BAILE

Divulgação

Um dia depois de rejeitar Antídio Lunelli (MDB) para ser o candidato a vice na tentativa de reeleição, o governador foi até a casa dos emedebistas na terça, 28, em Florianópolis, para selar a aliança com o partido para as Eleições 2022. Moisés reuniu-se com o novo presidente estadual da sigla, Edinho Bez, o secretário-geral do partido, Beto Ferreira, e Ronério Heiderscheidt, um dos principais nomes da Executiva emedebista. Por enquanto, nada de fumaça branca sobre o vice.



ALFINETADAS

O empresário Antídio Lunelli voltou à carga quando o assunto é sua pré-candidatura à reeleição pelo MDB. Na entrevista que concedeu ao blog de Karina Manarin, do ND+, afirma que nunca quis ser candidato a vice mas que aceitou em nome do MDB e da união do partido. Mais que isso, afirmou que os deputados “têm encantamento pela distribuição de dinheiro e que eles têm cargos indicados no governo” e reafirmou que seu nome será colocado na convenção do dia 23 de julho como pré-candidato ao Governo do Estado. Na entrevista, Antídio também revela conversa dele e do governador Carlos Moisés onde foram oferecidos cargos e secretarias além da possibilidade de candidatura ao senado. Como vice, a conversa era a possibilidade de renúncia de Moisés e ele assumir o último ano de governo.

Segundo o site SC em Pauta, Lunelli criou nova crise no partido ao invocar a posição de pré-candidato ao Governo pelo MDB, colocando em xeque a aliança com Moisés.

“O governador não me quis porque eu sou um crítico do governo”

de Antidio Lunelli em entrevista ao ND+





INDEPENDENTES

O número de mulheres de Santa Catarina que adotam o sobrenome do marido depois do casamento caiu 26%. A cada quatro, uma abre mão dessa opção.    

Quando o Código Civil foi publicado em 2002, mais de 90% das mulheres adotavam o sobrenome do marido. Até 2010, este dado caiu para 84%. E entre 2011 e 2020, o percentual passou para 75%. 





R$ 8,50

É quanto alguns supermercados estão comercializando o litro do leite em SC