Secretário pede exoneração e é retirado do processo do impeachment


Advogado de Jorge Tasca (e) entrega requerimento ao presidente da CPI, deputado João Amin, para retirada do ex-secretário do processo/Solon Soares/Agência AL

Advogado de Tasca se reuniu como o presidente do colegiado para entregar requerimento solicitando a retirada

 

 

 

O secretário de Estado da Administração, Jorge Eduardo Tasca, que figurava como um dos denunciados no pedido de impeachment pela concessão do reajuste salarial aos procuradores do Estado, foi retirado do relatório final da Comissão Especial do Impeachment. Na segunda-feira, 14, ele pediu exoneração do cargo.

 

 

 

Momentos antes da reunião da comissão que aprovou o relatório final, na manhã desta terça-feira, 15, o advogado Noel Antonio Baratieri se reuniu como o presidente do colegiado, deputado João Amin (PP), para entregar um requerimento solicitando a retirada de Tasca, justamente por causa saída do cargo.

 

 

 

“Jorge Tasca pediu exoneração ontem [segunda-feira], já concedida pelo governador e publicada no Diário Oficial. Então, por força da das Constituições federal e estadual, da legislação que rege o processo de impeachment e do regimento interno, ele tem que ser excluído do processo”, consta no requerimento.

 

 

 

O requerimento foi então repassado ao relator do impeachment, deputado Luiz Fernando Vampiro (MDB), que fez as adaptações no texto do parecer. “Diante do fato superveniente, diante da saída do cargo de secretário de Estado da Administração, perde objeto a denúncia contra si aforada no processo de impeachment, haja vista que este tem por objetivo justamente sua cassação do cargo citado”, considerou Vampiro.





Deixe seu comentário: