sexta-feira, 1

de

julho

de

2022

ACESSE NO 

Secretária justifica, mas não apresenta solução para problemas na Saúde

Últimas Notícias

- Ads -

Contrato com Hospital Santa Cruz parece a menos pior das alternativas

JUSTIFICATIVAS

Foi longa e tensa a participação da secretária de Saúde, Kátia Oliskowski, na sessão desta terça-feira, 17, na Câmara de Vereadores. Ao fim e ao cabo ficou a sensação de que por uma hora e meia a secretária se justificou, mas nenhuma solução apresentou. Muito menos os vereadores que a sabatinaram.

Acompanhada por mais de 500 pessoas, que assistiam a sessão pela internet, Kátia buscou explicar ponto por ponto os questionamentos dos vereadores, mas se perdeu em vários momentos, titubeando na tentativa de não se complicar. Ficou claro que há vários pontos obscuros no cumprimento do contrato assinado entre o Município e o Hospital Santa Cruz (HSCC).

O contrato tem falhas, mas parece das alternativas dadas a menos pior. Aliás, que alternativas temos? É fato que o sobreaviso que existia antes deste contrato não funcionava. A tática do WhatsApp era bem comum. Não que neste modelo de contrato a tática de atendimento por telefone tenha sido abandonada, mas no caso em tela há um portfólio maior de serviços oferecidos. Isso gera complexidade e confusão, o que os vereadores de oposição tentaram esclarecer espreitando a secretária a cada questionamento.

As tantas reclamações, como a do radialista que teve de desembolsar o custo de uma cirurgia de emergência porque lhe foi negado o acionamento do sobreaviso médico, continuam sem resposta. Parece que da fala da secretária extrai-se a máxima do Hardy “Oh vida, oh azar”, ou, pior, ecoa nosso presidente ao dizer que se precisasse morrer gente na pandemia, fazer o quê. Para a secretária parece razoável que um médico esteja em três lugares ao mesmo tempo (atendendo emergência da UPA, cirurgia e visitando pacientes no Hospital). Se alguém entrou na UPA mal e saiu péssimo, que volte depois que pode ser que tenha a chance de ser levado ao especialista. Se optou pelo atendimento particular, então não há o que fazer.

Ninguém sugeriu aprimorar o contrato. Para quem se sente prejudicado pelo atual sistema, nada muda. Vida que segue, ou o contrário dela.





“As pessoas têm a visão de que tudo que está acontecendo está relacionado”

Do vereador Marcos Homer (Podemos) ao conscientizar a secretária de Saúde Kátia Oliskowski de que a Et Pater Filium reverbera em todo o serviço público



PEGOU MAL

Pegou muito mal a fala da secretária de Saúde sugerindo que os vereadores homenageiem os profissionais da Saúde. Não que eles não mereçam, ocorre que a fala acontece duas semanas depois de a Câmara homenagear o promotor Renato Maia de Faria, grande algoz de Beto Passos, que alçou Kátia ao cargo de secretária.




PURO OU COM LEITE?

“Quantos de vocês ofereceram, fosse um café quentinho, para os servidores da Saúde? Uma homenagem aos servidores que estiveram na linha de frente contra a covid. Seria o momento de falar em caos quanto estamos reestruturando a Saúde?”, disse a secretária.




“Eu tenho caráter, tenho dignidade e as mãos limpas”

Da secretária Kátia Oliskowski. encerrando sua participação na Câmara




MUDOU NADA

As falas de Wilmar Sudoski (PSD), Osmar Oliskovicz (PSD) e Mauricio Zimmermann (PL) evidenciou o que já se suspeitava. O governo continua sendo governo na Câmara.






QUEM SERÁ?

O Parque da Cidade não vai mais fazer parte do Plano 1000, patrocinado pelo Governo do Estado. A informação é do vereador Marcos Homer (Podemos), que pediu que se retire a pedra fundamental da obra de onde ela está por conter “nomes de pessoas que causam repúdio na sociedade”.




PRAZO

Divulgação

Reunidos nesta segunda-feira, 16, os oito partidos de esquerda que compõem a Frente Democrática em Santa Catarina decidiram estabelecer um prazo para definir quem vai concorrer ao governo do Estado nas Eleições 2022. Em 31 de maio, o grupo deve anunciar os pré-candidatos da chapa. Os nomes de Décio Lima (PT) e Dario Berger (PSB) são os mais fortes para encabeçar a disputa.



MULTAS

Em 2021, 250 mil motoristas foram flagrados utilizando o celular no trânsito. São Paulo lidera concentrando mais de 37% dos registros nesse período, ou 91.362. Em seguida vêm Minas Gerais (30.843) e Goiás (16.971). Santa Catarina registrou 15.940 infrações, colocando o estado em 4º neste lamentável ranking no país.




PREPARAÇÃO ELEITORAL

O maior evento sobre direito eleitoral do Estado inicia nesta quarta-feira, 18, às 19h30, e prosseguirá até sexta-feira, 20, com 25 painelistas de todo o Brasil. O 8° Congresso Catarinense de Direito Eleitoral tem formato presencial e on-line, e é realizado pela OAB/SC, TRE/SC, Escola do Legislativo e Conselho Regional de Contabilidade, para debater temas atuais como inovação e tecnologias aplicadas às campanhas eleitorais, propaganda eleitoral na internet e combate à desinformação. A palestra de abertura terá a participação virtual do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin. Ainda na abertura, a presidente da OAB/SC, Cláudia Prudêncio, recepcionará na Seccional a nova ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Cristiane Britto, que é advogada, e também irá palestrar. O evento acontece na sede da OAB/SC.