domingo, 17

de

outubro

de

2021

ACESSE NO 

Secretaria de Estado da Saúde investiga casos da variante Delta em residentes em SC

Últimas Notícias

- Ads -

Dois moradores de Joinville tiveram contato com caso confirmado da variante e foram monitorados

A Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina (SES/SC) divulgou uma nota na segunda-feira, 12, informando que foi notificada no dia 6 de julho pela Secretaria de Estado da Saúde do Paraná que dois moradores do município de Joinville tiveram contato com um caso confirmado de covid-19 pela variante Delta (B.1.617.2) no início de abril, durante viagem ao município de Rolândia (PR).

O Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS) da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC) comunicou a Secretaria Municipal de Saúde de Joinville que iniciou imediatamente a investigação epidemiológica dos casos.

A SES/SC está prestando apoio ao município de Joinville na investigação, e informa que até o momento nenhum caso de infecção pela variante Delta foi confirmado no Estado. Do total de 658 genomas completos do SARS-CoV-2 analisados, 153 foram amostras coletadas em 2020 e 505 amostras coletadas em 2021, provenientes de pacientes que tiveram confirmação laboratorial por RT-PCR para covid-19. Destes, foram identificadas 22 linhagens diferentes do SARS-CoV-2 no estado ao longo do tempo, das quais a linhagem Gama (P.1) foi responsável por 54,2% de todas as identificadas.

Os estudos divulgados até o momento mostram que as vacinas disponíveis no Brasil oferecem alta proteção contra casos graves, hospitalização e óbitos por todas as variantes do coronavírus, incluindo a variante Delta, principalmente quando o esquema vacinal está completo (com duas doses ou dose única). No entanto, elas não impedem que a covid-19 seja transmitida, portanto o uso de máscaras, distanciamento social, evitar aglomerações, manter ambientes arejados com ventilação natural e praticar a higiene respiratória, utilizando água e sabão e álcool gel 70% para lavar as mãos, são medidas essenciais que precisam ser mantidas por todos nesse momento.



A INVESTIGAÇÃO
A partir do contato telefônico com os moradores de Joinville que tiveram contatos com os casos de Rolândia (PR), a vigilância epidemiológica de Joinville identificou que um deles apresentou sintomas leves (tosse, coriza e dor de cabeça) e realizou teste RT-PCR com resultado positivo. O outro manteve-se assintomático, tendo realizado teste de antígeno com resultado negativo. Ambos ficaram em isolamento domiciliar durante 14 dias. No entanto, tiveram contato nesse período com outros três moradores de Joinville, que vieram a testar positivo para covid-19 (dois pelo teste de antígeno e um pelo teste RT-PCR). Esses três moradores permaneceram em isolamento durante 14 dias, sem contato com outras pessoas.

Como os casos ocorreram em abril de 2021 e, a confirmação da infecção pela variante Delta do residente do Paraná só foi notificada a SES/SC no dia 6 de julho, foi realizada uma busca retrospectiva das amostras dos contatos com o caso confirmado do Paraná nos laboratórios que realizaram os exames na época, para identificar quais estariam viáveis para realização de sequenciamento genômico. Uma amostra já enviada ao Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen/SC) não se encontrava viável para realização do sequenciamento. Uma segunda amostra está sendo encaminhada ao Lacen/SC para avaliação, e caso esteja viável, será encaminhada para realização de sequenciamento pela Fiocruz. As amostras que foram utilizadas para realização de teste rápido antigênico, por razões técnicas, não podem ser encaminhadas para sequenciamento genômico.

O Lacen/SC e a Dive/SC atuam em conjunto com a vigilância epidemiológica de Joinville identificando amostras de residentes que realizaram exame pela técnica RTqPCR no mesmo período, e verificando a viabilidade das mesmas para serem encaminhadas para sequenciamento genômico.