Recorde: Três Barras tem agora seis candidatos a prefeito


Edson Rocha é candidato pelo Avante/Divulgação

Edson Rocha é candidato pelo Avante

 

 

MAIS UM

Três Barras tem agora seis candidatos a prefeito. Edson Rocha, do Avante, registrou candidatura surpreendendo os demais concorrentes, que já haviam sido surpreendidos pela candidatura de Carmito, pelo Democracia Cristã. O Avante lança chapa pura tendo Ricardo de Oliveira na disputa pela vice.

 

 

 

Desde 1982 que Três Barras não tinha tantos candidatos a prefeito. Naquele ano, também seis disputaram a prefeitura. Naquele período, o Brasil ensaiava a abertura política e o sistema eleitoral permitia que um partido lançasse mais de um candidato a prefeito. Dessa forma, naquele ano, Pedro Merhy Seleme (PDS), Ione de Souza (PDS), Ivan José da Costa (PDS), Nery Sardá (PMDB), Gerson de Souza (PMDB) e Felipe Bedretchuck (PMDB) lançaram candidatura. Souza foi o mais votado nas urnas, mas quem levou foi Seleme, seguindo critério da legislação vigente à época. O mandato deveria ser de 1982 a 1986, mas houve uma mudança na legislação eleitoral brasileira e o mandato foi até 1988, ou seja, seis anos ao invés de quatro.

 

 

 

 

Dessa forma, além de Rocha, Luis Shimoguiri (PSD) vai disputar a reeleição com Ana Claudia Quege (PP) na vice, tendo o apoio do PSL e PTB.

 

 

 

Seu atual vice, Gilson Nagano (PL) disputa a prefeitura com Gugo Cornelsen (PSC) na vice.

 

 

 

O vereador Marco Antonio de Souza (MDB) disputa com o ex-vereador Luciano Grein na vice.

 

 

 

Estreante na política, André Neves (PRTB) disputa também com chapa pura com o subtenente José Luis Hoffmann na vice.

 

 

 

Os partidos têm até sábado, 26, para registrar as candidaturas. Até lá pode haver desistências, mas não novas candidaturas. A campanha começa no dia seguinte.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ENTREVISTAS

O JMais decidiu por encerrar a série de entrevistas com candidatos a prefeito de Três Barras nesta sexta-feira, 25, com a entrevista com o vice-prefeito de Três Barras Gilson Nagano (PL). A avaliação é de que dar sequência às entrevistas com o início oficial da campanha no domingo, 27, causa desiquilíbrio na cobertura, considerando que os próximos entrevistados poderiam pedir votos, ao contrário dos que já passaram pela sabatina.

 

 

 

Ademais, a programação era essa mesma, porém, as candidaturas de Carmito (DC) e Edson Rocha (Avante) surgiram depois de o site programar as entrevistas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DEBATES

Os debates com os candidatos das quatro cidades da comarca – Canoinhas, Bela Vista do Toldo, Major Vieira e Três Barras – estão confirmados para a segunda quinzena de outubro. Representantes dos candidatos devem ser convidados para uma reunião nos próximos dias.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

AGLOMERAÇÃO

A direção do JMais estuda como promover o debate em Três Barras considerando que seis candidatos já configura aglomeração, em plena pandemia. Há duas possibilidades sendo avaliadas: seguir a regra legal de que somente candidatos com representatividade na Câmara dos Deputados devem ser convidados ou reservar um salão amplo visando garantir o distanciamento social.

 

 

 

Outra questão a ser analisada é o uso das máscaras. Como avaliar um candidato, cujo rosto está coberto, quando ele elenca suas promessas?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Nós da cidade somos um ninho de passarinho, o resto é interior”

da vereadora e candidata a prefeito Norma Pereira (PSDB), sobre a necessidade de se cuidar da saúde das comunidades do interior de Canoinhas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LEITURA

Vereador Paulinho Basilio (MDB) questionou na sessão de ontem a compra de livros ao custo de R$ 2,3 milhões por parte do Município de Canoinhas entre 2017 e 2018. Ele apresentou respostas a requerimentos feitos a direção de escolas municipais afirmando que não houve doação de livros a alunos.

 

 

 

A Controladoria Geral do Estado recomendou o ressarcimento do valor de R$ 2,3 milhões em razão de irregularidades na prestação de contas referente aquisição de livros infantis.

 

 

 

 

Vereadora Zenici Dreher (PL) culpou o Estado pela falta de prestação de contas, no que foi contestada pelo vereador Paulinho, que atribuiu a obrigação de prestar contas sobre os livros para o Município.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CONTRAPONTO

O ex-secretário de Educação, Osmar Oleskoviz, que comandava a pasta à época, diz que o dinheiro foi liberado pelo Governo do Estado, foi feita a compra via licitação e os livros foram entregues. “Conferimos e distribuímos os livros em todas as escolas”, garante. Foi criada uma comissão da antiga Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) Canoinhas  que assinou o laudo de recebimento, menos o último porque, segundo Oleskovicz, à época a ADR já estava fechando as portas em Canoinhas. “Em um dos lotes não foi feito o laudo de entrega, mas temos todo o material que prova a entrega dos livros. Temos nota fiscal com o recebimento para provar isso. Quando entregamos o relatório do último lote, a ADR estava quase fechando, jogaram para Mafra, que também fechou”, explica Oleskovicz.

 

 

 

 

“Não culpo quem assinou o relatório, mas quem o extraviou. Se tem alguma falha, foi da ADR”, afirma.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DIA D

O destino do governador de Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva (PSL), e a vice, Daniela Reinehr, já está traçado, mas encontra hoje o ponto decisivo da derrota que deve sofrer nos próximos dias.  Os 10 nomes que vão decidir se o governador e a vice devem ser afastados dos cargos serão conhecidos nesta quarta-feira, 23. A comissão mista que analisa o prosseguimento do processo impeachment vai ser formada por cinco desembargadores e cinco deputados estaduais. As escolhas ocorrem ao mesmo tempo, a partir das 15h.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

POSSE

Deputado Carlos Humberto/Bruno Collaço / AGÊNCIA AL

O primeiro suplente da coligação PTB, PTC, PRTB, DC, Avante, PPS e PL, o empresário e vice-prefeito de Balneário Camboriú, Carlos Humberto Metzner Silva (PL), tomou posse na tarde desta terça-feira, 22, ao substituir o deputado Nilso Berlanda (PL), que tirou licença por 60 dias para tratar de assuntos particulares.

 

 

 

 

Na eleição de 2018, Carlos Humberto, que renunciou na manhã desta terça-feira ao cargo de vice-prefeito, obteve 24.610 votos – o 4º mais votado no partido – e ficou na condição de primeiro suplente da coligação. Ele foi o candidato a deputado estadual mais votado de Balneário Camboriú.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NA CONTRAMÃO

A deputada federal Caroline de Toni (PSL-SC) quer tornar o uso de máscaras opcional para pessoas que não tenham coronavírus. A catarinense apresentou um projeto de lei na Câmara dos Deputados para revogar a lei que exige a proteção individual em espaços públicos e privados. A parlamentar pretende que somente as pessoas com sintomas da doença ou que estiverem em contato permanente com contaminados utilizem a máscara.

 

 

 

Cientistas e médicos – a deputada não se encaixa em nenhuma das duas categorias – são unânimes em atestar a eficácia da máscara no combate ao coronavírus.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

VOTAÇÃO DO FUTURO

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) lançou um edital nesta segunda-feira, 22, a fim de estabelecer parcerias com empresas que desenvolvam um sistema de votação online que possa ser usado pelo celular e sem sair de casa.

 

 

 

A tecnologia será testada na eleição deste ano, mas com candidatos fictícios e em 2020 o voto seguirá na urna eletrônica.

 

 

 

A ideia do tribunal é que alguns colégios eleitorais de Curitiba (PR), Valparaíso de Goiás (GO) e São Paulo tenham estandes para testar a nova ferramenta no primeiro turno, em 15 de novembro.





Deixe seu comentário: