quinta-feira, 16

de

setembro

de

2021

ACESSE NO 

Queda das ações da Petrobras na Bolsa de Valores e aumento de casos graves de covid-19 em destaque nesta terça-feira

Últimas Notícias

- Ads -

23 de fevereiro de 2021

 

 

Folha de S.Paulo

Mercado reage a Bolsonaro, e indicadores do país derretem

Os principais indicadores financeiros do Brasil tiveram forte deterioração nesta segunda-feira (22), após Jair Bolsonaro (sem partido) interferir no comando da Petrobras e sinalizar outras intervenções.

A repercussão negativa levou à venda das ações da Petrobras, fazendo o preço do papel mergulhar e contaminar negativamente ações de empresas brasileiras de modo geral, mas especialmente as de estatais.

Na sexta (19), Bolsonaro indicou o general Joaquim Silva e Luna como novo presidente da petroleira. Se confirmado pelo conselho de administração da companhia, ele substituirá Roberto Castello Branco, alvo de críticas do presidente.

 

 

 

 

  • PEC extingue pisos de gastos para saúde educação
  • Aconselhado, Huck flerta com siglas da esquerda à direita
  • Ninguém vai interferir, afirma presidente após intervenção
  • SP tem maior ocupação de UTI desde o início da pandemia
  • Fiocruz receberá hoje 2 milhões de doses de Oxford
  • Projeto pode abrir caminho a vacinas da Pfizer e Janssen
  • Reino Unido se prepara para deixar lockdown

 

 

 

 

 

 

 

O Estado de S.Paulo

Ingerência do Planalto na Petrobrás faz valor de estatais cair R$ 113 bi

A intervenção do presidente Jair Bolsonaro na Petrobrás, com a indicação do general da reserva Joaquim Silva e Luna para o comando da estatal, causou forte turbulência no mercado financeiro. O risco de intervencionismo fez as ações das três principais estatais do País – Petrobrás, Banco do Brasil e Eletrobrás – perderem R$ 113,2 bilhões em dois dias. Só na Petrobrás, a desvalorização foi de R$ 99,6 bilhões. Com a ação da petroleira despencando ontem 20,48%, a B3 teve queda de 4,87%, a maior desde abril. A cotação do dólar atingiu R$ 5,45 e o risco do País subiu 11%. Os investidores estrangeiros temem a volta de uma política intervencionista do Planalto nas estatais, como na gestão Dilma.

 

 

 

 

 

  • Internações atingem pico e Estado terá mais restrições
  • Proposta não vincula novo auxílio a corte de despesas
  • Líder do governo na Câmara defende nepotismo
  • Reino Unido sairá de lockdown até junho
  • Trump terá de revelar seu imposto de renda

 

 

 

 

 

 

O Globo

Petrobras cai 20% na Bolsa e puxa perdas de estatais

 

 

 

 

 

 

  • PEC elimina piso de gasto com saúde e educação
  • Com internação recorde em UTIs, SP terá restrição
  • Depois de prisão de Silveira, Câmara quer rever LSN