domingo, 17

de

outubro

de

2021

ACESSE NO 

QUARTA, 28/7: Bolsonaro oficializa espaço inédito ao Centrão no Planalto e aumento na conta de luz em destaque

Últimas Notícias

- Ads -

28 de julho de 2021

O Globo

Bolsonaro oficializa espaço inédito ao Centrão no Planalto

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) promoveu nesta segunda-feira (29) a maior série de trocas de primeiro escalão num único dia desde o início do governo: seis ministros deixaram seus cargos.





  • Tóquio 2020 – Choro de vencedor
  • Massa de ar leva frio perto de zero aonde ele nunca é registrado
  • Sítio Burle Marx – Novo patrimônio da Unesco
  • Consumidor volta às compras e dá alívio ao varejo
  • Obituário – José Arthur Giannotti
  • Obituário – Orlando Drummond
  • ‘Guerra da vacina’ já atrasa imunização nos EUA






O Estado de S. Paulo

Bolsonaro muda a Casa Civil para tentar viabilizar reeleição

Presidente do Progressistas, o senador piauiense Ciro Nogueira, um dos líderes do Centrão, foi confirmado ontem como novo ministro da Casa Civil. Com o movimento, o presidente Jair Bolsonaro tenta dar fôlego à sua campanha à reeleição, barrar a pressão pelo impeachment e atrair apoio político no Senado, onde enfrenta a CPI da Covid. Em sua primeira reunião com Nogueira, Bolsonaro acertou que o novo ministro será o responsável pela articulação política do Planalto com o Congresso. Sem partido, Bolsonaro negocia a filiação ao Progressistas e quer contar com a estrutura da sigla, que é forte no Nordeste, em sua tentativa de reeleição. Com a ascensão do Centrão, o presidente tira o protagonismo de oficiais generais sem cacife eleitoral, como o ministro Luiz Eduardo Ramos, que deixou a Casa Civil e foi deslocado para a menos prestigiada Secretaria geral da Presidência.








  • Governo muda Lei Rouanet e amplia controle sobre projetos
  • Presidente veta quimioterapia oral em plano de saúde
  • Rede de currículos de cientistas, Lattes sai do ar
  • O salto de Italo para a história
  • Gilmar cobra PGR sobre Braga Netto
  • SP deve acabar com cores para restrições
  • Sítio Burle Marx vira Patrimônio Mundial
  • EUA voltam a pedir uso de máscaras
  • José A. Giannotti – Referência da filosofia no País
  • Orlando Drummond – Craque do humor e da dublagem





Folha de S. Paulo

Inação federal com crise de energia pode pesar na conta

A demora do governo Bolsonaro em reconhecer a amplitude da crise energética e a falta de incentivos à redução do consumo podem elevar o risco de apagões e encarecer a conta de luz no país, alertam especialistas.

As ações federais, até agora, concentram-se em tentar garantir a oferta, como a expansão dos fornecedores.

Para integrantes do setor, a contratação emergencial de termelétricas pode reduzir a pressão por ora, mas não permite a recomposição de reservatórios em 2022 se a seca se repetir. O custo da medida, ademais, será repassado ao consumidor.

O Operador Nacional do Sistema Elétrico vê risco de esgotamento ainda em 2021.

“A pior coisa que o governo está fazendo é não preparar os brasileiros para a situação difícil que vamos enfrentar”, diz o físico José Goldemberg, ex-secretário de Meio Ambiente de São Paulo.





  • Líder do centrão, Ciro Nogueira aceita Casa Civil
  • Bolsonaro faz 27 trocas ministeriais em 2 anos e meio
  • Intervalo de Pfizer mudará após concluída primeira dose
  • Com menos internados, governo paulista estuda flexibilizar regras
  • Morre Giannotti, referência na análise crítica do marxismo
  • Morre, aos 101, Orlando Drummond, ícone da TV
  • Plataforma Lattes sai do ar após apagão no CNPq
  • Tóquio 2020 – A grande onda de Italo