Quando pertencia ao PR, Três Barras chegou a sediar empresa de cigarros


Embalagem dos cigarros fabricados em Três Barras que faz parte do acervo do colecionador Carlos Eduardo Silva

História das marcas Rio Tigre e Tres Barras é resgatada pelo historiador Fernando Tokarski

 

 

 

 

Os cigarros de Szczerbowski

 

 

Fernando Tokarski *

 

Durante um período impreciso, em Três Barras (SC), então no município paranaense de Três Barras, o imigrante polaco Luís Szczerbowski produziu os cigarros de papel sob as marcas Rio Tigre e Tres Barras, entre outras. Espírito inquieto, Szczerbowski em muitas décadas se antecipou à febre do plantio do tabaco que se espalhou no Planalto Norte Catarinense, especialmente na microrregião entre Mafra e Irineópolis.

 

Texto impresso na embalagem do cigarro Tres Barras/Acervo de Carlos Eduardo Silva

 

É bem verdade que além de folhas nacionais, ele industrializava a planta importada da Turquia, mas dá para dizer que Szczerbowski foi o precursor das modernas técnicas relacionadas à fumicultura na região. Fato é que sua indústria tabageira foi a única da região, criada num tempo em que nos confins entre o Paraná e Santa Catarina só se fumava cigarros de palha, mascava-se o fumo em corda ou se pitava cachimbos.

 

Lumber inspirou ilustração da embalagem/Acervo de Carlos Eduardo Silva

 

Por que a marca Rio Tigre? Porque foi na localidade de Rio do Tigre ou Colônia Tigre que Szczerbowski se instalou em 1912, depois de deixar Curitiba (PR) e nela iniciou uma série de empreendimentos agrícolas e industriais. Aliás, uma das palavras da moda é empreendedorismo. Seguramente se pode afirmar que Szczerbowski foi um empreendedor, pois além de sua fábrica de cigarros, também construiu um moinho de cereais, foi agricultor, comerciante, professor, fotógrafo, escritor e jornalista.

 

Luís Szczerbowski era um empreendedor/Acervo de Fernando Tokarski

 

Por que nas embalagens aparecem ilustrações das atividades da madeireira Lumber? Porque foi em Rio do Tigre que a grande empresa transnacional iniciou suas atividades propriamente ditas. As gravuras foram elaboradas a partir de fotos que Szczerbowski registrou, exímio que também era nessa arte.

 

Foto, feita por Luís, é uma das que inspirou uma das imagens contidas em uma das embalagens de cigarro. Mostra operários trabalhando na construção de um ramal ferroviário da Lumber/Acervo de Fernando Tokarski

Acervo de Carlos Eduardo Silva

Luís Szczerbowski, ou melhor, Ludwik, nasceu na Polônia em 17 de agosto de 1883 e morreu em sua casa em 27 de novembro de 1927, muito cedo, aos 44 anos, vítima de hemorragia. Em nosso entendimento, é a maior personalidade polônica da história regional. Sua descendência vive especialmente em Três Barras e Canoinhas.

 

 

 

 

 

*Fernando Tokarski é historiador; membro da Academia de Letras do Vale do Iguaçu (União da Vitória/PR) e da Academia de Letras do Brasil (Canoinhas/SC)

 





Deixe seu comentário: