PSL desiste de Paulinho e Norma e firma apoio a Beto Passos em Canoinhas


Beto Passos ao lado de Galeski, quando este era presidente da Câmara/Arquivo

Presidente do PSL, Célio Galeski disse ter sentido maior firmeza no discurso de Passos

 

 

 

FECHADO

O PSL de Canoinhas marcou convenção para 15 de setembro, mas já tem sua diretriz definida para estas eleições. Segundo o presidente do partido na cidade, vereador Célio Galeski, o PSL vai apoiar a campanha a reeleição de Beto Passos (PSD) e Renato Pike (PL).

 

 

 

Galeski, como a coluna vinha noticiando, tentou o diálogo com Paulinho Basilio (MDB) e Norma Pereira (PSDB), mas desanimou com o que ele chama de “indefinição” de ambos. Galeski queria ser vice de Paulinho, considerando que na visão dele Norma teria de centrar esforços no Congresso, já que suas chances de assumir a suplência de Carmem Zanotto (Cidadania) são grandes. “A Norma não está preocupada com Canoinhas pelo fato de ficar nessa indefinição. Ela está preocupada com ela e com o partido dela. É isso que nossos filiados sentem. O Beto, por sua vez, ao contrário da Norma, está pensando no Município”, disparou. Galeski já foi secretário do governo Passos.

 

 

 

 

Ao ser pragmático, Galeski e o PSL garantem um lugar ao sol caso Passos se reeleja, mas Galeski adia mais uma vez o sonho de compor uma chapa majoritária. Se fosse por orientação do diretório estadual do partido, ele diz que seria candidato a prefeito, porém, como passou recentemente por uma cirurgia, acha que seria muito intensa a campanha, o que poderia comprometer sua saúde.

 

 

 

 

 

 

 

 

IRINEÓPOLIS

Lademir e sua candidata a vice, a ex-prefeita Circe Neppel/Divulgação

Convenções partidárias do PSDB e PSD realizadas na sexta-feira, 4, confirmaram a pré-candidatura de Lademir Arcari (PSDB) e Circe Neppel (PSD) à prefeitura de Irineópolis. Outros partidos realizam convenções esta semana e ainda podem somar-se aos tucanos e peesedistas.

 

 

 

“Irineópolis pra frente” foi o nome escolhido para a coligação, que tem como propósito a ampliação e continuidade das ações iniciadas na gestão do prefeito Juliano Pereira (PSDB). Lademir foi secretário da Administração de Pereira. Além da aprovação da pré-candidatura de Lademir e Circe, os convencionais do PSDB também escolheram os 14 pré-candidatos a vereador pela sigla. O PSD tem sete pré-candidatos ao legislativo municipal.

 

 

 

 

Lademir deve enfrentar Vanderlei Lezan (MDB) nas urnas. O ex-prefeito já confirmou que vai disputar a eleição, porém, ontem, o vereador por três mandatos Angelo Borges (MDB) também anunciou pré-candidatura, o que deve levar o diretório a uma prévia na convenção marcada para dia 15.

 

 

 

 

 

Paulinho da Farmácia (PL) e José Cocharski (PT) também ensaiam uma chapa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TRANSPORTE

Major Vieira também autorizou o transporte coletivo urbano. O Coletivo Santa Cruz ainda não definiu quando serão retomadas as linhas para a cidade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“O vereador é um locutor do povo”

do presidente da Câmara de Vereadores de Três Barras, Fabiano Mendes (PL)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CONVENÇÃO

Sobre a nota publicada ontem na coluna com foto da convenção do PRTB e do DC de Canoinhas com militantes aglomerados sem máscaras, a direção dos partidos esclarece que foram tomadas todas as precauções, com uso de máscaras e álcool em gel disponível na entrada. “Os participantes retiraram as máscaras apenas para o registro da foto”, garante.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LOCADOS

Está pronto para ser votado em plenário o Projeto de Lei (PL) 326/2019, de autoria do deputado Laércio Schuster (PSB), que dispõe sobre a identificação de veículos locados pela administração pública direta, autárquica e fundacional. A condição foi alcançada na tarde desta quarta-feira, 9, com o acatamento do parecer favorável da matéria apresentada pelo deputado Ricardo Alba (PSL) na reunião ordinária, por videoconferência, da Comissão de Transportes e Desenvolvimento Urbano.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

VERBA

O Senado aprovou projeto de lei (PL) que amplia o prazo para os estados e município utilizarem recursos repassados pela União para combate da crise desencadeada pela pandemia da covid-19. De acordo com o projeto, governadores e prefeitos poderão utilizar os recursos até 31 de dezembro de 2021. Agora, a proposta vai à Câmara dos Deputados.

 

 

 

 

Os recursos são oriundos de créditos extraordinários, liberados por medidas provisórias. Atualmente, esses créditos precisam ser utilizados até o final do ano, quando termina o Estado de Calamidade Pública decretado no país. O projeto, de autoria da senadora Simone Tebet (MDB-MS), confere mais tempo para uso desse dinheiro para combater as consequências da crise.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

REELEIÇÃO

O Senado recebeu o texto da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 33/2020, que permite a reeleição dos presidentes da Câmara e do Senado dentro da mesma legislatura, ou seja, os quatro anos que separam uma eleição estadual de outra. Atualmente, a Constituição não permite a recondução dos membros das Mesas Diretoras da Câmara e do Senado. As eleições das Mesas Diretoras acontecem a cada dois anos.

 

 

 

 

 

 

 

 

ANIMAIS

No mesmo dia em que o Senado aprovou projeto que aumenta as penas para maus-tratos a cães e gatos, os nossos amiguinhos tiveram outra vitória em Santa Catarina. O Plenário da Assembleia Legislativa aprovou nesta quarta-feira, 9, o projeto de lei (PL) que proíbe o uso de animais em testes de cosméticos, produtos de higiene pessoal e perfumes.

 

 

 

 

 

 

 

 

AINDA NA ALESC

Também foram aprovadas a proposta que proíbe colocação de nomes de pessoas condenadas pela Justiça em prédios e vias públicas e a que concede isenção aos voluntários nas eleições e aos jurados do Tribunal do Júri na inscrição de concursos públicos. As matérias seguem para análise do governador do Estado.

 

 

 

 

 

 

 

IRESA

Foi instalada na tarde desta quarta-feira, 9, na Assembleia Legislativa de SC a Comissão Mista que pretende analisar mudanças na Indenização por Regime de Serviço Público Ativo (Iresa) paga aos militares em atividade. O grupo vai discutir a possível agregação do adicional de 19,25% ao subsídio mensal pago aos membros da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar. Na reunião, foram eleitos o deputado Sargento Lima (PSL) como presidente, o deputadoo Maurício Eskudlark (PL) como vice-presidente e a deputada Luciane Carminatti (PT) como relatora.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

R$ 20 milhões

devem ser distribuídos entre consórcios intermunicipais de Saúde de SC, conforme matéria aprovada ontem na Assembleia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PARCERIA

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) firmou acordo de cooperação com a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) e suas instituições (Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar e Instituto Geral de Perícias de Santa Catarina), na tarde desta quarta-feira, 9, que irá possibilitar o intercâmbio de dados e inteligência.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

OLHA O GOLPE

Cuidado com os atestados. O objetivo era conseguir demissão sem justa causa, mas a artimanha resultou em condenação por falsificação de documento público. Na Grande Florianópolis, um vigilante foi apenado a dois anos de reclusão, em regime aberto, pelo crime de uso de documento público falso. A reprimenda foi substituída por duas medidas restritivas de direito, em que o réu terá de pagar prestação pecuniária no valor de um salário mínimo e também prestar serviços à comunidade durante o período da pena. Com o julgamento do recurso, a 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), em matéria sob a relatoria do desembargador Sidney Eloy Dalabrida, decidiu manter a sentença da comarca de origem.

 

 

 

 

Com a alegação de artrose no joelho, o vigilante apresentou um atestado médico de 10 dias de licença na empresa, em agosto de 2015. Como a empresa recebia um grande número de documentos irregulares, um funcionário administrativo percebeu que o atestado apresentado tinha a sigla do INPS (Instituto Nacional de Previdência Social), que na época já operava sob a identidade de INSS (Instituto Nacional de Seguro Social). Uma ligação para a unidade de saúde comprovou a falsidade do documento. Além do médico não reconhecer a letra e a assinatura, ele estava de folga no dia do preenchimento.





Deixe seu comentário: