Presidente do PSL de Canoinhas vai gerenciar Educação na região

Jacomel (à direita) em entrevista à coluna/Reprodução

Ethel Jacomel assumiu o cargo nesta segunda-feira, 12

 

 

CARGO

O presidente municipal do PSL de Canoinhas, militar da reserva Ethel Jacomel, assumiu nesta segunda-feira, 12, a Coordenadoria Regional de Educação. A sede da antiga Gerei continuará em Canoinhas, englobando os municípios de Canoinhas, Porto União, Irineópolis, Bela Vista do Toldo, Major Vieira e Três Barras. Dessa forma, o Governo mantém a mesma estrutura que já existia em Canoinhas nos governos de Luis Henrique e Raimundo Colombo.


 

 

Jacomel confirmou a informação à coluna dada ontem à noite pelo vereador Cel Mario Erzinger (PL) durante a sessão da Câmara de Vereadores.

 

 

 

Erzinger emendou o assunto à questão da Regional de Saúde, que está no fecha não fecha em Canoinhas.

 

 

 

Questionado sobre a regional da Saúde, Jacomel disse que a luta (por manter a regional em Canoinhas) continua. “Ainda não jogamos a toalha”, afirma.

 

 

 

RADAR

A região de Canoinhas pode sediar o novo radar meteorológico que o Estado pretende instalar na região do Planalto Norte. Até recentemente o discurso era de que os três existentes já conseguiam atender todas as regiões. Entretanto, segundo o órgão, durante o uso dos equipamentos se constatou que o relevo da região Norte impede o monitoramento de alguns pontos. Por isso a necessidade de um radar naquele ponto. O investimento será de R$ 5,5 milhões, mas a cidade que vai sediar o equipamento ainda não foi anunciada.

 

 



 

ERROS NO CONCURSO

 

Com mais de 25 mil inscritos, o concurso para o cargo de soldado da Polícia Militar de Santa Catarina (PM-SC) começou com uma polêmica. As provas foram aplicadas neste domingo, 11, em 12 cidades do Estado. Enquanto respondiam às questões, alguns candidatos encontraram erros de digitação espalhados pelo caderno. Um deles, por exemplo, estava no cabeçalho de apresentação da prova. O nome da corporação foi colocado errado: “Políca Militar”.

 

 

 

Há também erros de siglas em perguntas e um número que aumenta consideravelmente a pena para o crime descrito no cabeçalho de uma das questões. Desde a tarde de domingo, as imagens dos cadernos de provas se espalharam pelas redes sociais. A PM-SC ficou sabendo dos fatos e já se pronunciou por nota.

 

 

 

Segundo a corporação, “todas as denúncias estão sendo devidamente registradas e formalizadas para interpelação à empresa responsável pela realização da prova, abrindo prazo para que apresente as explicações devidas”. A banca que fez a prova é o Instituto Professor Carlos Bittencourt (Incab), do Rio de Janeiro.

 

 

 

A informação é do colunista Anderson Silva, do Diário Catarinense.

 

 

 

7%

da população se declara dona de casa; em 1993, 19% se declaravam com esta ocupação

Deixe seu comentário: