Presidente da Acatur protesta na Câmara contra retirada de Canoinhas de rota turística


Anne Tokarski na tribuna da Câmara/Biluka/Divulgação

Por falta de reuniões do Conselho Municipal de Turismo, Canoinhas ficou de fora da rota Caminhos do Contestado

 

 

FORA DE ROTA

A presidente da Associação Canoinhense de Turismo (Acatur), Anne Tokarski, esteve na Câmara de Vereadores nesta terça-feira, 17, para protestar contra a retirada de Canoinhas da rota turística Caminhos do Contestado. Ela leu reportagem do JMais, que explica os motivos pelos quais Canoinhas, mesmo sendo o epicentro da Guerra do Contestado, está fora da rota.


 

 

 

O Município não apresentou atas de reuniões do Conselho Municipal de Turismo para o Governo Federal, o que validaria a presença do Município na rota que inclui Major Vieira, Itaiópolis, Mafra e Porto União.

 

 

 

Anne explicou que no dia 2 de setembro, em uma reunião com representantes do Governo do Estado, soube que Canoinhas só poderá voltar à rota em 2021. “Fora do mapa não teremos a divulgação do Município a nível nacional. Podemos trabalhar o turismo, mas seremos mais um município pequeno apenas tentando. Empresários do turismo não poderão solicitar linhas de financiamento para estimular visitantes. Vim pedir socorro à Câmara de Vereadores, para ajudar-nos a alavancar o turismo rural no nosso Município”, desabafou. 

 

 

 

Vereador Paulinho Basilio (MDB) disse que não se trata de pegar uma pessoa e apontar falhas, mas cuidar para que isso não aconteça novamente. O vereador elogiou o trabalho da Acatur e disse que cabe à Câmara cobrar do Executivo que não ocorram mais “deslizes” como este.

 

 

 

Wilmar Sudoski (PSD) afirmou que a saída de Canoinhas da rota aconteceu a despeito da vontade do prefeito e afirmou que também não é hora de encontrar culpados.

 

 

 

 

Paulo Glinski (PSD) disse que há sim a necessidade de se apontar o culpado, se houver, para que se corrija a situação. “Queremos uma resposta oficial (do Executivo), para que possamos nos inteirar da situação. Uma falha aconteceu. Onde foi a falha? A Santur está correta e a falha foi do Município? A falha é possível ser corrigida?”, questionou. Glinski defendeu que Canoinhas leve o turismo mais a sério.

 

 

 

 

 

 

INDÍCIO

A presidente da Acatur deu um prato cheio para Paulinho Basilio exercer seu poder de oposição no teto. O vereador, no entanto, optou por chamar de “deslize” o desleixo do setor de Turismo do Município. Indício de que uma possível aliança do vereador com Beto Passos (PSD) em 2020 pode estar longe de ser um boato.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

REQUERIMENTO

Em resposta a requerimento da vereadora Norma Pereira (PSDB), o diretor de Turismo de Canoinhas, Eder Chagas, repetiu que o problema da falta de reuniões do Conselho de Turismo se deve a falta de secretário, detalhe, por menos de um mês. Afirmou que com a posse de Edmilson Verka no cargo, a primeira reunião deve acontecer nos próximos dias.

 

 

 

 



 

 

 

 

“O que me deixa triste é que quatro municípios menores conseguiram, e nós não”

da vereadora Norma Pereira sobre os demais Municípios da região que estão na rota

 

 

 

 

 

 

 

 

REDE DE ÁGUA

Os vereadores de Três Barras aprovaram nesta semana, projeto de lei que autoriza o executivo a implementar rede de água tratada nas localidades de São João dos Cavalheiros e Campininha. Os locais sofrem com a falta de abastecimento e com a estiagem que atinge Santa Catarina. Ordenado como projeto 41/2019, o texto tramitou em regime de urgência, dada a situação crítica em que as famílias se encontram.

 

 

De acordo com o projeto a prefeitura fica autorizada a implantar a central e rede de distribuição de água nas localidades da Campininha e São João dos Cavalheiros, em locais cujos poços individuais não são autossuficientes para abastecer as residências destas localidades, principalmente na época de estiagem prolongada.

 

 

 

 

 

OS ESQUISITOS

A Justiça catarinense determinou que o programa Fantástico da TV Globo retire de seu acervo digital um quadro humorístico chamado “Grande Circo Eleitoral”. A emissora deve eliminar o vídeo em 48 horas ou editá-lo, sob pena de multa diária de R$ 1 mil. Quem moveu ação foi um aspirante a vereador de Florianópolis. O juiz de 1ª instância concedeu a tutela antecipada e a 4ª Câmara de Direito Civil do TJ, por unanimidade, confirmou a sentença.

 

 

 

Veiculada em 2 de outubro de 2016, a matéria exibia uma sequência de candidatos no horário eleitoral. Para chamar atenção, os aspirantes – de todo o Brasil – usavam artimanhas de gosto duvidoso. Um deles, ao falar que ficaria de olho no corruptos, tira o olho de vidro e oferece ao telespectador. O seguinte aparece vestido de Papai Noel e outro se diz chamar Branca de Neve. O Zé do Bode, por exemplo, afirma: “se eleito, vou tirar mil crianças da rua e irei colocar todas na calçada”. O Marco Coveiro está no cemitério, com uma pá, e promete “enterrar a corrupção”. 

 

 

 

 

SOBRENOME INCOMUM

A primeira pessoa do vídeo é exatamente o candidato que ingressou na Justiça. No entanto, diferentemente dos outros, ele não faz nada de extravagante – apenas diz o seu nome e sobrenome – este, aliás, bastante incomum. E foi por causa do sobrenome que ele se viu incluído no quadro, do qual brotam vários candidatos com perfis inusitados. Para o autor, de acordo com os autos, a repercussão negativa da matéria foi gigantesca. Ele recebeu diversas ligações e mensagens pelo celular e foi motivo de chacota no ambiente de trabalho e também no meio social, o que teria prejudicado sua campanha, além de atingir sua imagem. Ele obteve 195 votos ou 0,08% do total, número insuficiente para ocupar uma cadeira na Câmara de Vereadores da Capital.

 

 

 

 

 

SUSPENSA

Em cumprimento à determinação do Tribunal Superior do Trabalho (TST), empregados dos Correios deliberaram – em assembleias realizadas por todo o Brasil – pelo fim da paralisação parcial das atividades da empresa, a partir das 22h desta terça-feira, 17. Essa foi a condição para que os Correios aceitassem a proposta do TST de manter as cláusulas do Acordo Coletivo de Trabalho 2018/2019 até o dia 2 de outubro, data do julgamento do dissídio coletivo pelo colegiado do tribunal.

 

 

 

 

 

OFICINA

A Prefeitura de Canoinhas promove nesta quarta-feira, 18, a 2ª Oficina Comunitária de Diretrizes e Propostas dos Planos Diretor e de Mobilidade de Canoinhas, que ocorrerá a partir das 18h30m, na Sala Câmara de Vereadores de Canoinhas.

 





Deixe seu comentário: