Praticantes lutam contra imagem negativa causada por suposto sequestro


Axel, Lucas, Alan e Fabiano são praticantes de airsoft/Edinei Wassoaski/JMais

Em Canoinhas há pelo menos um grupo que se reúne periodicamente para praticar o esporte

 

 

 

Envolta em incógnitas, a prisão do cantor Tiago Faria – acusado de tentativa de sequestro – ainda não está bem esclarecida, e talvez só seja quando a Justiça se debruçar sobre a denúncia. Porém, muita gente já condenou o rapaz e, além disso, tem mais um vilão: os praticantes de airsoft. Isso porque Tiago usou uma arma utilizada para a prática de airsoft para cometer o suposto crime.

 

 

 

Integrantes do grupo de praticantes de airsoft Bastardos Inglórios (referência ao filme de Quentin Tarantino que idealiza um grupo de vingadores caçadores de nazistas durante a 2ª Guerra Mundial), de Canoinhas, têm vivido experiências desagradáveis desde então. Houve uma associação entre o esporte e o crime para pessoas que já chegaram a chamar a Polícia ao ver o grupo se preparando para a prática do esporte.

 

Grupo Bastardos Inglórios, com integrantes de Canoinhas e Três Barras/Arquivo pessoal

 

 

O airsoft surgiu no Japão, na década de 1970, por iniciativa de um grupo de pessoas que gostavam de tiro vivendo em um país onde civis são proibidos de portarem armas. Esse grupo criou o “armamento”, mas quem começou a confeccionar o equipamento em grande escala para o mundo foi uma empresa chamada Tokyo Marui. Inicialmente, o airsoft era restrito à modalidade de tiro ao alvo, mas conforme foi ganhando mais interessados, tornou-se um combate. Não há problemas nisso, visto que a munição não é letal. A arma, no entanto, é uma espécie de simulacro (imitação) de uma arma de verdade, exceto que tem a ponta laranja, justamente para diferenciá-las das armas de fogo.

 

 

 

 

No Brasil, 2003 é um ano muito importante para essa modalidade, pois foi quando surgiu o fórum Airsoft Brasil. A partir daí, o equipamento necessário começou a ser controlado e regulamentado por um órgão específico do governo, a Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados, hoje sob comando do Exército.

 

 

Arquivo pessoal

 

A Portaria nº 002 – Colog de 26/02/10 é a responsável por homologar a fabricação, comercialização e importação das armas de pressão e simuladores de armas de fogo.

 

 

 

O Bastardos Inglórios tem 12 integrantes. Eles praticam o esporte por meio de competições que ocorrem geralmente em uma área conhecida como Olaria ou no Campo Osório, em Três Barras, ou no espaço antes ocupado pela Modul Móveis, na avenida Expedicionários, em Canoinhas. “Não pode ser praticado em área urbana ou, se for, é preciso ser em local fechado. De qualquer forma, sempre temos alguém (o ranger) de olho se há alguma pessoa fora do grupo para evitar qualquer incidente”, explica Lucas Witt, um dos integrantes do Bastardos Inglórios.

 

 

 

 

As bolinhas de polímero que são disparados das armas, explica Felipe Axel Koehler, um dos fundadores do grupo, podem causar um ferimento leve se atingirem determinadas partes do corpo, mas podem ser bastante perigosas se atingirem os olhos. Por isso, os praticantes do esporte têm de se paramentar com coletes, capacetes e óculos. “Temos muito cuidado com as outras pessoas, tanto que, por lei, não podemos portar a arma fora da sua caixa”, explica. A arma só pode ser retirada da caixa se o esportista estiver paramentado e em local adequado para a prática do esporte. Quando estiver em deslocamento, o dono da arma precisa mantê-la dentro da caixa e com a nota fiscal que mostra o número de série da arma, o que permite o controle por parte do Exército de quem é o proprietário da arma. “Temos de evitar, ao máximo, manipular a arma em casa”, explica outro praticante do esporte, Fabiano Siqueira.

 

 

 

 

 

 

PRÁTICA

O esporte, comparativamente, é uma transposição dos jogos de videogame para a realidade, tudo em um clima de muita brincadeira. “Não nos importamos de que chamem de brincadeira, minha mãe mesmo diz que vou brincar quando saio para treinar”, conta Alan Bruno Vieira, também do Bastados Inglórios.

Entrega dos alimentos arrecadados pelo grupo para o Hospital Santa Cruz/Arquivo

 

 

Em campo, o esporte consiste em uma caçada entre times antagônicos. Ao ser atingido, em qualquer parte do corpo, o “ferido” levanta a mão. Geralmente, cada um tem três vidas. Os treinos podem levar alguns minutos como podem chegar a fechar um final de semana inteiro. É quando acontecem os acampamentos, geralmente uma vez por ano. O Bastardos Inglórios também já promoveu eventos regionais, recepcionando grupos de outras cidades. Em um dos mais recentes, arrecadou doações para o Hospital Santa Cruz de Canoinhas por meio de pagamento das inscrições. Pelo menos 87 pessoas participaram deste evento.

 





Deixe seu comentário: