Por que a Academia premiou Parasita com o Oscar de melhor filme?


Elenco de Parasita comemora a façanha/Reprodução

Melhor safra de filmes em 20 anos teve um desfecho surpreendente, mas muito bom

 

 

IMPRESSIONANTE

Levou 92 anos de existência da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood para um filme falado em língua não inglesa ganhar o prêmio principal da noite do Oscar. A estatueta de melhor filme para Parasita parece impressionante, e é. Parecia tudo armado para a Academia consolar o sul-coreano com prêmio de melhor filme internacional e direção, dando o prêmio principal para 1917 ou Coringa (ao contrário das últimas décadas, qualquer um dos 9 filmes que concorriam na categoria principal tinha moral para levar o troféu) como fizeram no ano passado com Roma, que perdeu para o infinitamente inferior Green Book – o guia. O fato de Parasita abocanhar também o prêmio principal mostra que a Academia está disposta a fazer juz a sua imagem.

 

 

 

 

Todos os anos sempre dou atenção aos indicados a melhor filme estrangeiro (agora, adequadamente denomina filme internacional). Sempre vi ali os melhores filmes do ano, pelo simples fato de que a categoria rompe a barreira da língua. Como dizer que os melhores filmes do ano estão na categoria principal quando estão ali somente os falados em língua inglesa? Língua define qualidade? Lógico que não.

 

 

 

 

 

Foi para isso que, ao que parece, a Academia acordou. Nas últimas nove décadas, já há muito tempo, o prêmio ganhou status de global, assistido em mais de 200 países. Achar que por ser o inglês a língua mais falada do mundo, somente o que é filmado na língua merece deferência diminui de certa forma esse status. Soa fake dizer que é o maior prêmio do cinema, o que ignora festivais como Cannes e Veneza, muito mais multiculturais, que já premiaram filmes brasileiros, por exemplo, como O Pagador de Promessas, palma de ouro em Cannes na década de 1960. Cannes e Veneza não impõem barreiras à língua.

 

 

 

 

Interessante que a dinâmica de eleição do melhor filme do ano destoa de todas as demais categorias. Ao invés de eleger o melhor filme, os membros da Academia fazem um ranking de, no caso deste ano, nove filmes, do melhor para o pior na sua opinião. Se um deles somar mais de 50% dos votos no primeiro lugar, leva o prêmio. Como isso raramente acontece, a Academia soma os votos do segundo colocado. Se ele somar mais de 50% dos votos, leva o prêmio e assim por diante. É uma dinâmica interessante, que busca evitar distorções que poderiam acontecer se, por exemplo, o primeiro colocado levasse um voto a mais que o segundo colocado. Isso é justo? Não me parece.

 

 

 

 

A despeito disso, os membros da Academia ticaram, na maioria das vezes, em Parasita, para ocupar as primeiras colocações. Não se avexaram com as legendas e se deixaram embarcar e surpreender com a história de Bong Joon Ho. É um momento importante para o cinema, que merece se repetir nas próximas festas.

 

 

 

 

 

 

PETRA E O DOCUMENTÁRIO

Cena de Democracia em Vertigem/Reprodução

Democracia em Vertigem perdeu o Oscar porque é inferior à Indústria Americana, ponto. Sob o prisma da qualidade e esforço, Indústria Americana de fato supera todos os demais. Agora, se a Academia quisesse levantar bandeira, valeria muito mais chamar a atenção para os massacrados da Síria e premiar Para Sama, linda mensagem da mãe para a filha nascida em uma zona conflagrada. 

 

 

 

 

QUEM GANHOU… QUEM MERECIA GANHAR (SEGUNDO A COLUNA)

FILME

Ganhou: Parasita

Quem merecia ganhar: Parasita

 

 

 

ATOR

Joaquim Phoenix

Ganhou:Joaquim Phoenix – “Coringa”

Quem merecia ganhar: Joaquim Phoenix – “Coringa”

 

 

 

ATRIZ

Ganhou: Renée Zellweger – “Judy – Muito Além do Arco-Íris

Quem merecia ganhar: Renée Zellweger – “Judy – Muito Além do Arco-Íris

 

 

 

DIREÇÃO

Ganhou: Bong Joon Ho – “Parasita”

Quem merecia ganhar:  Bong Joon Ho – “Parasita”

 

 

 

ATRIZ COADJUVANTE

Ganhou: Laura Dern – “História de um casamento”

Quem merecia ganhar: Kathy Bates – “O caso Richard Jewell”

 

 

 

ATOR COADJUVANTE

Ganhou: Brad Pitt – “Era uma vez em… Hollywood”

Quem merecia ganhar: Joe Pesci – “O irlandês”

 

 

 

ROTEIRO ORIGINAL

Ganhou: “Parasita” – Bong jooh Ho e Han Jin Won

Quem merecia ganhar: “Parasita” – Bong jooh Ho e Han Jin Won

 

 

 

ROTEIRO ADAPTADO

Ganhou: “Jojo rabbit” – Taika Waititi

Quem merecia ganhar: “O irlandês” – Steven Zaillian

 

 

 

 

DOCUMENTÁRIO

Ganhou: Indústria Americana

Quem merecia ganhar: Indústria Americana

 

 

 

 

MAQUIAGEM

Ganhou: O escândalo

Quem merecia ganhar: O escândalo

 

 

 

 

FIGURINO

Ganhou: Adoráveis Mulheres

Quem merecia ganhar: Jojo Rabbit

 

 

 

 

CANÇÃO

Ganhou: “(I’m gonna) love me again” – “Rocketman”

Quem merecia ganhar: “Stand up” – “Harriet”

 

 

 

 

TRILHA SONORA

Ganhou: Coringa

Quem merecia ganhar: 1917

 

 

 

 

ANIMAÇÃO

Divulgação

Ganhou: Toy Story 4

Quem merecia ganhar: Klauss

 

 

 

 

FILME INTERNACIONAL

Ganhou: Parasita

Quem merecia ganhar: Parasita

 

 

 

 

FOTOGRAFIA

1917

Ganhou: 1917

Quem merecia ganhar: 1917

 

 

 

 

EFEITOS VISUAIS

Ganhou: 1917

Quem merecia ganhar: “Vingadores: Ultimato”

 

 

 

 

EDIÇÃO

Ganhou: Ford vs Ferrari

Quem merecia ganhar: Coringa





Deixe seu comentário: