Pesquisa revela onde o brasileiro tem gastado mais no cartão de crédito

Valor médio da fatura do cartão de crédito foi de R$ 897,67

 

 


Foi divulgada uma pesquisa sobre uso de cartões pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).  Ela contou também com a parceria do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). No estudo foi revelado que, quatro em cada dez brasileiros, recorreram ao cartão de crédito para fazer algum tipo de compra em fevereiro deste ano. Saiba mais detalhes sobre a fatura média e pra onde vão os gastos de acordo com o levantamento do Diário Prime.

 

 

 

Valor médio da fatura do cartão de crédito foi de R$ 897,67

 

 

 

A pesquisa apontou que o cartão de crédito tem sido usado cada vez mais para de despesas correntes do mês. E as compras de alimentos no cartão aparecem em primeiro lugar, citadas por 66% dos entrevistados.

 

 

Logo em seguida aparecem compras de remédios (46%); roupas e calçados (36%); combustíveis (35%).

 

 

Depois surgem as idas a bares e restaurantes (29%); assinatura de serviços de streaming, como conteúdo de vídeo e áudio, e revistas (19%). Somados, portanto, todos os gastos, a fatura média do brasileiro foi de R$ 897,67.

 

 

 

RANKING DAS COMPRAS A CRÉDITO

O uso do cartão de crédito (37%) ficou bastante à frente do segundo colocado, que é o crediário (10%). Mas o limite do cheque especial foi citado por 9% da amostra, os empréstimos por 7% e os financiamentos por 5%.

 

 

Assim, ao todo, 44% dos consumidores utilizaram, ao menos, uma dessas opções de crédito ao longo do mês de fevereiro. Isso, ante 56% que não usaram nenhuma dessas formas de pagamento.

 

 



 

Para o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior,  existem duas causas para esse resultado de liderança no ranking.

 

 

A primeira seriam as facilidades oferecidas pelo cartão de crédito, e a segunda seria o  aumento da sua aceitação pelos estabelecimentos comerciais. Mas ele adverte:

 

 

 

“É preciso ter cuidado para evitar o endividamento excessivo que pode levar ao não pagamento da fatura, aumentando muito o valor da dívida inicial em razão dos juros cobrados pelo atraso”.

 

 

 

AUMENTO DO NÚMERO DE INADIMPLENTES

De acordo com a sondagem, embora 73% dos consumidores tenham pago o valor integral da fatura em fevereiro, outros 25% acabaram entrando no rotativo, cuja taxa média chegou a 296% ao ano naquele mês.

 

 

Ainda de acordo com a pesquisa, 76% dos consumidores brasileiros vêm vivendo no limite do orçamento.

 

 

Desses, 45% se mantêm no ‘zero a zero’; ou seja, terminam o mês sem sobras de dinheiro. Já 32% afirmaram estar no vermelho. Apenas 15% disseram estar no azul.

 

 

Uma pesquisa feita pelo Serasa recentemente, revelou que mais de 40% da população adulta está inadimplente. O que significa, portanto, que 63 milhões de pessoas estão com o nome negativado.

 

 

Deixe seu comentário: