Passos mirou a coligação perfeita, mas promoveu adversário e fez de um aliado, um inimigo


Passos e Pike se reuniram com Erzinger nesta semana/Moisés Gonçalves/Divulgação

Apoio nos bastidores para eleger Paulinho Basilio a presidência da Câmara se mostrou desastroso

 

 

MANOBRA ARRISCADA

Quando apoiou a eleição de Paulinho Basilio (MDB), por mais que negue isso, Beto Passos (MDB) subestimou o emedebista. Basilio é novo na política, mas aprendeu rapidinho as como alcançar e se manter no poder. Passos estendeu a mão para ele e ele, gentilmente, agradeceu. Passos esperava, como todo político, que a gratidão do vereador se convertesse em apoio político. Não aconteceu.

 

 

 

 

Basilio afirma que nunca prometeu nada a Passos. O prefeito, por sua vez, nega qualquer intervenção na eleição para a presidência na Câmara. Jogo jogado não fosse o fato de que Gil Baiano (PL) já estava eleito presidente da Câmara. O voto de Célio Galeski (PL), que não tinha outro motivo para votar em Basilio do que atender a um pedido de Passos, selou a discórdia.

 

 

 

 

No mesmo dia da eleição, questionado pela coluna, Basilio disse que se Passos esperava algo de ele, que sentia muito, mas não aconteceria. Parece claro que ele falava a verdade, ou, foi convencido por seus pares do partido a esquecer qualquer possibilidade de composição com Passos. Isso não parece claro, mas a julgar pelo comportamento do ex-prefeito Leoberto Weinert (MDB), talvez o nome mais respeitado hoje dentro do partido, não havia clima para discutir apoio a Passos.

 

 

 

 

Certo de que não poderá contar com o MDB, Passos agora tenta juntar os cacos com o PL. Renato Pike é o nome óbvio para a composição majoritária, mas nesta semana ganhou musculatura o nome do vereador Cel Mario Erzinger (PL), que inclusive se reuniu com Passos e Pike.

 

 

 

O MDB sabe que não quer apoiar Passos, mas bate cabeça para apontar o nome ideal para entrar na corrida com o peesedista. Weinert é visto como nome ideal, mas o ex-prefeito não quer ser candidato. O nome de Silmar Golanovski foi ventilado, mas o ex-vereador não se animou para a disputa. A alternativa mais viável para o MDB hoje seria aceitar indicar a vice de Norma Pereira (PSDB), que parece cada vez mias propensa a entrar na disputa, ainda mais depois que Carmen Zanotto declinou do convite para a Secretaria de Saúde do Estado.

 

 

 

 

Norma, por sinal, pode conseguir um amplo apoio se conseguir atrair o MDB e convencer a ala bolsonarista representada pelo Podemos e PRTB a apoiá-la.

 

 

 

 

 

 

TRANSPORTE

Julio Cavalheiro/Secom

O governador Carlos Moisés da Silva disse nesta sexta-feira, 22, que o Executivo deve decidir as regras para o retorno do transporte coletivo na próxima semana. O impasse, segundo Moisés, é garantir a segurança para os ônibus de transporte urbano, onde existe mais dificuldade de controle e fiscalização. A declaração aconteceu durante conferência online com prefeitos.

 

 

 

 

 

 

 

 

CLOROQUINA

A despeito da polêmica nacional com o uso ou não da cloroquina, em Canoinhas o medicamento já é administrado a pacientes com covid-19. Em União da Vitória, ontem, o prefeito Santim Roveda disse que lá também a droga está sendo administrada. Dois médicos de Canoinhas ouvidos pela coluna afirmaram que tomariam Cloroquina sem nenhum problema.

 

 

 

 

 

 

 

R$ 1.304

é quanto o governo paga pelo quilo da cloroquina em pó, insumo essencial para produzir comprimidos da droga. Há um ano este valor era de R$ 219,98

 

 

 

 

 

 

 

 

O VÍDEO

A divulgação do fatídico vídeo da reunião ministerial do presidente Jair Bolsonaro, que substituiria com louvores uma das edições do Casos de Família, do SBT, serviu para duas coisas: os apoiadores do “mito” reforçarem suas admiração e os detratores do presidente reforçarem seu asco ao capitão.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SEM SENTENÇA

Os júris populares estão suspensos em todas as comarcas de Santa Catarina por causa da pandemia. Estão sendo mantidas apenas as audiências urgentes com réu preso.

 

 

 

 

 

 

 

CHAPÉU DO POVO

Prefeitos que doam do próprio salário e tiram fotos para se promover nas redes sociais estão na mira da Justiça. Para promotores e advogados, donativos do salário podem ser enquadrados no Código Eleitoral.

 

 

 

 

 

 

 

 

AÇÃO

Com o avanço da covid-19 em Papanduva, o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), representado pelas Promotorias de Justiça da Comarca, se reuniu com autoridades municipais para debater novas estratégias de enfrentamento ao vírus.

 

 

 

Entre as medidas aprovadas está a elaboração de um plano de contingência e o aprimoramento na transparência municipal em relação ao boletim diário destinado à população. A intenção é evitar a proliferação de notícias equivocadas sobre a pandemia em Papanduva.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

EMENDAS

Pedido do deputado Neodi Saretta, encaminhado ao Governo do Estado, pede que as emendas impositivas relativas à área da saúde de municípios e unidades hospitalares sejam pagas em regime de urgência. Esses recursos, de acordo com o deputado, são de extrema importância, pois poderão auxiliar no enfrentamento da pandemia do novo Coronavírus. “Estamos passando por um momento crítico na área da saúde, por isso esses recursos são fundamentais tanto para municípios, quanto hospitais”.

 

 

 

 

Saretta relata que não há razão para governo não repassar esses recursos, principalmente neste momento em que municípios e hospitais estão gastando mais para atender a população.  Informações da Secretaria da fazenda feita à comissão de finanças da Alesc mostra que, mesmo com a pandemia, a receita líquida do Estado aumentou 2,68% no primeiro quadrimestre de 2020, em comparação com o mesmo período do ano passado.





Deixe seu comentário: