Pandemia e descredencimento de empresa atrapalham plano de reeleição de Beto Passos


Divulgação

Prefeito reavalia estratégia se cercando de novos e antigos aliados

 

 

 

 

 

PLANOS

A pandemia ainda estava distante no horizonte do prefeito Beto Passos (PSD) quando no final do ano passado veio a denúncia de que a empresa vencedora do maior (em valores) processo licitatório de seu governo foi desqualificada por supostamente ter fraudado o processo. Com a destituição da Progresso Ambiental e consequente desistência da segunda e terceira colocadas em assumir a obra, Passos se viu obrigado a voltar à estaca zero. Novo processo licitatório acaba de ser aberto. Todo o trâmite até ser declarada a empresa vencedora vai longe, o que compromete um dos carros-chefe da sua busca pela reeleição.

 

 

 

Passos queria entregar a maior parte dos 12 trechos de asfalto, o que não vai acontecer. Logo entra-se no período eleitoral, quando trava absolutamente tudo.

 

 

 

 

A pandemia só agravou uma situação já atrasada. Houve a paralisação de obras em todo o Estado, depois a retomada gradual e, agora, novo processo licitatório.

 

 

 

 

Na dúvida, Passos vem tentando se garantir conquistando aliados. Nas últimas semanas tem intensificado as conversas com lideranças de vários partidos. Quer buscar uma coalizão que enfrente quem vê como real adversária: a vereadora Norma Pereira (PSDB). Nos bastidores do PSD e do PL, que parecem cada vez mais caminhar para repetir a coligação a despeito de todas as turbulências dos últimos anos (a exoneração de Rafael Roeder a pedido do PL é o exemplo mais claro disso – leia mais abaixo), a vereadora vem crescendo e teve no episódio do vai ou não vai para o Congresso um ganho de capital político substancial. A aproximação de Norma da ala bolsonarista da política canoinhense deixou Passos ainda mais em alerta.

 

 

 

 

Sobre o MDB, que tentou a todo o custo atrair, Passos parece ter desistido depois das sinalizações claras do partido de que não apoiaria sua reeleição. Passos parece apostar no pragmatismo ao voltar-se novamente para o PL. Ao beneficiar membros oficiais ou não do MDB (o secretário de Planejamento João Linzmeier) assim como já havia feito com Paulinho Basilio ao dar uma mão na eleição para a presidência da Câmara, mostra que o que puder abarcar de apoio, vale, mesmo que alcance apoio pessoal, mas não do partido correspondente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 A ALIANÇA

Aliados de Passos avaliam que somente uma coligação entre PSDB, PL e MDB consegue representar real ameaça a sua reeleição.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PREPARO

Membros da executiva do MDB fizeram uma reunião virtual na quinta-feira, 7. O conteúdo da reunião ficou entre os participantes, mas sabe-se que um  novo nome surgiu como pré-candidato a prefeito: o do ex-vereador Silmar Golanovski.

 

 

 

Questionado a respeito, o presidente do MDB local, Paulinho Basilio, disse que o nome de Silmar sempre é um excelente nome para qualquer cargo que queira disputar”.

 

 

 

Sobre a reunião, Basilio diz que “vários assuntos foram debatidos e aprovados, entre eles reiteramos que o MDB vai sim ter candidato a prefeito. Possivelmente devemos lançar o nome do pré-candidato nas próximas semanas. Para uma decisão final temos de reunir todo o diretório.”

 

 

 

 

 

 

 

 

NEO-PÉ VERMELHO

O presidente da Associação Empresarial de Canoinhas (Acic) e do Hospital Santa Cruz de Canoinhas, Reinaldo de Lima Junior, filiou-se ao MDB de Canoinhas atendendo a insistente convite do deputado estadual Valdir Cobalchini. Ele garante, no entanto, que não tem pretensão de se candidatar a nenhum cargo eletivo, pelo menos neste ano. “Meu compromisso é com o Hospital”, garante.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

UM POR DIA

No ano passado 390 pessoas desencarnaram em Canoinhas. Comparando os números do Portal da Transparência de Registros Civil é possível perceber que a pandemia não causou nenhuma alteração no registro de mortes na cidade. A média é de um finado por dia. Compare abaixo o número de mortos nos quatro primeiros meses de 2019 e deste ano:

 

20192020
JANEIRO3235
FEVEREIRO2224
MARÇO4038
ABRIL3132
Fonte: https://transparencia.registrocivil.org.br/

 

 

 

 

 

 

 

 

A ELEIÇÃO É LOGO ALI

A exoneração do arquiteto Rafael Roeder da Secretaria de Planejamento foi por motivos políticos. Ele mesmo confirma o que ouviu do prefeito Beto Passos (PSD) e do vice-prefeito Renato Pike (PL). Bem avaliado no cargo, nos dois anos em que ocupou a pasta Roeder se manteve distante da atividade política. O cargo, no entanto, é indicação do PL.

 

 

 

Roeder nega que tenha sofrido pressão para fazer favores políticos, mas confirma que nas últimas semanas vinha intensificando as cobranças ao fiscal de obras de pavimentação, coincidentemente agora elevado ao cargo de secretário de Planejamento, João Linzmeier. “Cobrei dele uma postura de fiscal de obras, só isso”, afirma se referindo a obras paradas, como a da rua Samuel Schmidt, que ficaram estacionadas por mais de um mês. Roeder, no entanto, diz não querer entrar em polêmicas, que entende a postura do prefeito e vice e que agora ele está se adaptando novamente ao seu escritório, ao qual está se dedicando integralmente. “É um cargo político, a hora que decide-se trocar, não tem o que questionar. Me chamaram para colocar ordem na casa, agora coloquei (em ordem) e eles acharam que tá organizado, decidiram colocar outra pessoa para tocar”, conclui.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

CORDA NO PESCOÇO

Nos bastidores da política catarinense não se fala em outra coisa senão nas consequências da malfadada compra de 200 respiradores ao custo de R$ 33 milhões por parte do Governo Estado. Entre as versões para o escândalo, há uma unanimidade: se o processo de impeachment de Carlos Moisés for aberto, ele cai.

 

 

 

 

 

 

 

SEM PIEDADE

O presidente Jair Bolsonaro reclamou de nota oficial da Polícia Rodoviária Federal (PRF) que lamentou a morte de policial por coronavírus. O servidor atuava em Santa Catarina e faleceu na madrugada do dia 21 de abril. A fala do presidente ocorreu em uma reunião ministerial no dia seguinte, segundo o jornal Folha de S. Paulo.

 

 

 

 

Servidor administrativo da PRF em Florianópolis, Marcos Roberto Tokumori, 53 anos, estava internado na UTI do Hospital Celso Ramos, na Capital de SC. Na nota, a PRF disse que o servidor ficou internado por 23 dias e que o falecimento “entristece profundamente toda a nossa instituição”.

 

 

 

 

Para o presidente, a nota alarmaria a população sem considerar as eventuais comorbidades de Marcos. A família do policial, no entanto, afirma que ele era saudável até contrair a covid-19.

 

 

 

 

 

 

 

VAI ASSUMIR

Divulgação/PMSC

O coronel Dionei Tonet, atual diretor de Instrução e Ensino da Polícia Militar em Santa Catarina, assumirá o Comando Geral da corporação com a saída do canoinhense coronel Araújo Gomes. A expectativa é que a troca de comando ocorra na quarta-feira, 13.

 

 

 

 

Gomes vai assumir o cargo de secretário Nacional de Segurança Pública, em Brasília, o que deve aparentemente encerrar suas pretensões de ser candidato a prefeito de Florianópolis neste ano.





Deixe seu comentário: