Operação que atinge Severgnini vem em momento de ascensão do prefeito de Major Vieira


Orildo Severgnini ao assumir a presidência da Fecam/Fecam

Operação Et Pater Filium atingiu ainda o filho do prefeito

 

 

 

MOMENTO DELICADO

A pouco mais de 100 dias das eleições municipais, a operação Et Pater Filium deflagrada ontem em Major Vieira tem tudo para prejudicar a candidatura de Helio Schroeder (MDB), duas vezes secretário de Agricultura do atual prefeito Orildo Severgnini (MDB). Schroeder nada tem a ver com a operação do Ministério Público, mas deve colher junto com o prefeito os efeitos das cenas que correram o interior de Major Vieira nesta sexta-feira, 31, mostrando viaturas rondando a casa do prefeito e a prefeitura.

 

 

 

 

 

Severgnini disse ao JMais que “quando eu provar minha inocência ninguém vai escrever uma linha do que foi falado hoje, mas vamos trabalhando, vida que segue”. Pode-se até escrever, mas quem estará interessado em ler, seria uma pergunta mais adequada. O escândalo rende mais cliques que o elogio ou a justa reparação de um dano. Beto Faria (MDB), por exemplo, quando prefeito, foi alvo de uma operação de busca e apreensão do mesmo MPSC que até hoje não teve desfecho. Ao que tudo indica, Faria pagou o pato por uma briga entre arqui-inimigas que trabalhavam no Lar de Idosos da cidade.

 

 

 

 

 

Pelo coletado nesta sexta, a investigação sobre o governo de Severgnini é bem mais séria e envolve seu filho, além de dois empresários, o que aumenta a repercussão, especialmente neste momento em que o prefeito ganha os holofotes do Estado ao assumir a presidência da Federação Catarinense dos Municípios (Fecam). Começava a pavimentar o caminho para ganhar espaço como liderança regional, ocupando o vácuo deixado por Antonio Aguiar. Severgnini sabe que o hiato de representação em Florianópolis que a região vive será sentido com maior intensidade em 2022 e tratava de ganhar espaço. Escrevo no passado, mas titubeante. Severgnini é safo e promete reagir, provando sua inocência. Os indícios coletados pelo MPSC são contundentes, mas não prova absoluta. Ainda há um longo processo pela frente. Se de fato Severgnini conseguir provar inocência cresce para 2022, porém, terá dificuldades em fazer sucessor em novembro já que dificilmente o processo se encerra até lá.

 

 

 

 

 

 

 

 

OUTRA HISTÓRIA

O filho do prefeito Orildo Severgnini, Marcus Vinicius Severgnini, alvo da mesma operação, foi preso, mas não por causa da ação inicial do MPSC. Ocorre que durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão, policiais encontraram dentro da casa dele arma não registrada. Sem comprovar o porte ele foi detido e encaminhado à Unidade Prisional Avançada (UPA) de Canoinhas, onde segue detido.

 

 

 

 

 

 

 

 

LICITAÇÕES

Se analisar de longe os processos licitatórios são justíssimos. Basta uma lupa mais acurada para ver como são frágeis quando atraem gente desonesta.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

GRATIFICAÇÕES

Assim como em Canoinhas, o pagamento de gratificações para profissionais de Saúde causou polêmica na Câmara de Vereadores de Três Barras. O vereador Marco Antonio de Souza (MDB) apresentou emenda para ampliar o benefício para funcionários da limpeza. Ocorre que esse serviço é terceirizado. ” Sugeri o caminho que eu achava adequado para tentar resolver a questão. Pedi que o prefeito entrasse e contato com a empresa e fizesse um aditivo exclusivamente para o pagamento a mais para o pessoal da limpeza”, explica Souza que teve emenda rejeitada por seus pares.

 

 

 

 

 

Colegas de Souza entenderam a emenda como eleitoreira – ele é pré-candidato a prefeito -, o que esquentou o debate na sessão extraordinária de quarta-feira, 29. “Rejeitaram a emenda porque o Shimoguiri pressionou eles”, afirmou Sousa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FECHADA

Fátima Santos/Arquivo

A agência da Caixa Econômica de Canoinhas não abre neste sábado, dia 1º, para atender clientes em busca do auxílio emergencial. Nesta sexta houve fila para entrar na agência, cena que já se tornou costumeira desde que o auxílio começou a ser pago.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DIVIDIDO

Marcos Corrêa/PR

Jair Bolsonaro (sem partido) vai influenciar nas eleições municipais em Canoinhas? Para os participantes da enquete encerrada ontem aqui no JMais, há quase uma divisão. 398 disseram que não e 269, sim.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FALANDO NISSO…

VVale

A divisão de manifestações por meio de outdoors mostrada na coluna nesta semana chegou a União da Vitória. Há duas semanas havia um cartaz manifestando apoio ao presidente. Nesta semana apareceram dois cartazes nada simpáticos a Bolsonaro. Acima a foto de um deles.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SINAL VERMELHO

O presidente da Câmara de Vereadores de Três Barras, Fabiano Mendes (DEM), autorizou o desconto em folha de pagamento de multas atribuídas ao carro da Câmara. Dessa forma, tiveram desconto em folha o servidor Joel da Cruz (duas multas que somam R$ 3.057,93), o servidor comissionado Antonio Sérgio Castilho (R$ 1.492,72) e o próprio Mendes (R$ 1.485,09).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

53%

das empresas têm dificuldades para pagar as contas, mostra pesquisa





Deixe seu comentário: